segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Depoimentos revelam que dois tenentes forjavam recebimento de produtos no Hospital da PM

JORNAL EXTRA


Dois depoimentos de testemunhas à Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança (Ssinte) e ao MP revelaram como a entrega de material médico ao Hospital Central da PM (HCPM) era forjada. Segundo os relatos, dois tenentes lotados na unidade assinavam as notas de recebimento dos produtos, mesmo quando o material não era entregue ou quando uma quantidade menor do que a acordada em contrato chegava à unidade. 
Os dois oficiais — um deles lotado no setor de almoxarifado e o outro, no de obras e manutenção — já foram identificados no inquérito. A fraude possibilitava que, mesmo sem a entrega dos produtos, a nota fiscal chegasse à Diretoria de Administração e Finanças (DGAF), que autorizava o pagamento ao fornecedor. 
O coronel Alberto Borges, ex-chefe da Diretoria Geral de Saúde da PM (DGS), revelou, que as compras fraudulentas, alvo da investigação, “partiam do Fuspom e passavam pelo Estado-Maior Administrativo”. Segundo o oficial, o processo natural de aquisição partia da unidade de saúde, passava pela DGS e era encaminhado à área de finanças, que autorizava o pagamento pelo Fundo Único de Saúde da PM (Fuspom). Segundo o coronel Alberto Borges, os processos passavam pelo Estado-Maior Administrativo, comandado por Ricardo Pacheco.
Segundo o coronel Alberto Borges, os processos passavam pelo Estado-Maior Administrativo, comandado por Ricardo Pacheco. No esquema fraudulento, de acordo com Borges, o processo de compras partia diretamente do gestor do fundo, sem conhecimento do diretor da unidade de saúde. Por isso, seria necessário que alguém operasse dentro do hospital para fraudar a chegada dos produtos. Na época das compras investigadas, o gestor do Fuspom era o coronel Décio Almeida da Silva, exonerado em setembro. Já quem chefiava o Estado-Maior Administrativo era o coronel Ricardo Pacheco, que deixou o cargo na semana passada. — O coronel Décio reportava-se diretamente ao coronel Pacheco quase diariamente. Eu os via se relacionando de maneira muito próxima. Por isso, acredito que o Décio reportava a ele os processos que administrava — disse Borges.

18 comentários:

  1. Pergunta que náo quer calar: por que eles ainda não estão presos?

    ResponderExcluir
  2. Show!!!!!
    Agora vão prender quem ?
    Já sei!!!
    O comandante da guarda pq não conferiu a carga.
    Kkkkk
    Coronéis e tenentes foram enganados pelo sargento da guarda.
    Vamos ficar de olho nisso.

    ResponderExcluir
  3. Apuraram responsabilidade e a cumplicidade na empreitada criminosa. É só prender e depois partir para o confisco dos bens deles e do laranja

    ResponderExcluir
  4. Quem será preso ?
    Os coronéis, os tenentes ou
    O sargento do guarda que não fiscalizou o caminhão de entrega.
    Já sabemos a resposta.

    ResponderExcluir
  5. O laboratório ta fechado, não tem agua em todo hospital , nem para beber. a Odontoclinica tb não tem material . Esta cadavez mais dificil ........

    ResponderExcluir
  6. Esse caso da falta de material tem que ser encaminhado ao mp. Encaminhar tambem aquele video q o cel castro gravou sobre o fuspom dizendo que tudo na rede de saude era uma beleza. Eu vou ter que esperar um ano no livro de espera para concluir meu tratamento na odontoclinica.

    ResponderExcluir
  7. Denuncias no ALMOXERIFADO, (S.O.M.) SETOR DE OBRAS E MANUTENÇÃO,CENTRAL DE MATERIAL, LAVANDERIA, TESOURARIA.? E O RANCHO NO PERIODO DA OBRA , COITADO DA DIREÇÃO DEPOIS DA ERA CEL DÉCIO, VAMOS HCPM MESMO COM ESSES PROBLEMAS , COM AS ESCALAS DOS POLICIAIS 24 X 48hrs E SEM A GRATIFICAÇÃO POR PRODUTIVIDADE Q OS BPMS 4 e 5 bpm ganharam estamos lutando , CELIBIS OLHAI POR NOS.VALEU.

    ResponderExcluir
  8. CAP DA P1 do HCPM, TUA hr vai chegar.

    ResponderExcluir
  9. ACABEI DE CHEGAR DO HCPM E FIQUEI ABISMADO COM OQUE VI,FALTAM GASES,FALTAS FIOS PARA SUTURAS,FALTAM ROUPAS PARA OS ACOMPANHANTES DE PACIENTES EM CIRURGIAS,FALTAM GALÕES DE ÁGUA DE BEBER OU SEJA,FALTA TUDO E SEM PREVISÕES PARA ALGUÉM QUE ESTEJA AGUARDANDO CIRURGIAS....ESTES OFICIAIS ACABARAM COM NOSSO HOSPITAL....SÓ ACREDITO VENDO QUE ESTES MARGINAIS SEJAM PUNIDOS E QUE DEVOLVAM AS QUANTIAS FURTADAS...

    ResponderExcluir
  10. A tomografia não tem material para fazer a revelação, o médico com muita má vontade tem de ir até o setor para visualizar a imagem no monitor do PC. O RX só está fazendo se for emergência, marcação só para o ano que vem. *ESTÁ PIOR QUE O INSS* .............................VERGONHA.................

    ResponderExcluir
  11. Essa investigação no HCPM tem q chegar no RANCHO,porque o CAP saiu do RANCHO e foi para a P/1 e continua dando ordem noRANCHO.sendo o CAP,que é AFILHADO DO CEL envolvido nesses escandalos na saúde. O tal CAP já esta sendo investigado internamente pela P/2 do HCPM E HJ OCUPA UM CARGO DE CONFIANÇA DA DIREÇÃO DO HCPM acho que o CEL e PADRINHO AFASTADO FEZ O PEDIDO. PRONTO FALEI.

    ResponderExcluir
  12. Venho escrever que o CAP da P/1 do HCPM estar montando uma verdadeira qiadrilia colcou um SUBTEN e esta colocando um 1 SGT ,que já fazia esquems nas atividades do RANCHO ÉPOCA DAS

    ResponderExcluir
  13. Será que eles são culpados ou buchas da adminidstraçāo?

    ResponderExcluir
  14. Nós praças temos excluir esse desconto em nossos contracheques, afinal de contas, os hospitais da PMERJ são excelentes para atender nossos Ilustres Oficiais. Pra eles, é um verdadeiro plano de saúde, tendo em vista que não ficam em filas, são atendidos por seus pares, os médicos oficiais, dentre outras várias mordomias.
    Vamos excluir esses desconto, vamos acabar de sepultar esse FUSPOM.

    ResponderExcluir
  15. Em NOVEMBRO de 2013 começou a obra do RANCHO DO HCPM, o entäo SUBDIR ADM DO HCPM era o CEL o mesmo envolvido nessa fraude da fuspom. obra superfaturada vendas de quentinhas para os funcionários da firma que fez a obra, esse CEL colocou o CAP CHEFE DO RANCHO DO HCPM para comandar o esquema de quadrilha, funcionou até AGOSTO DE 2014 QUANDO O DIR MÉDICO DO HCPM afastou esse CAP DO RANCHO até festa da sua ESPOSA ESSE CAP fez com o dinheiro das transaçöes que o CAP tinha , a ATUAL DIREÇÄO DO HCPM SABE E ATÉ ESTA NA P/2 PARA INVESTIGAÇAO. e do nada esse CAP esta chefiando a P/1, e quer podar o SUBTEN do seu esquema para FRAUDAR A P/1 também ATENÇÄO HCPM JÁ COLOCOU A ESCALA 24/48, esta pegando no pé de todos os PRAÇAS forçando algumas vantagem para seu esquema pessoal da AREA DA SAÚDE TOMEM CUIDADO COM O CAP E O SUBTEN DA P/1 DO HCPM. IH IH IH FALEI.

    ResponderExcluir
  16. MANDE ESSAS DENUNCIAS PARA O M.P.GAECO SÓ ASSIM FICAREMOS LIVRES DESSES OFICIAIS .

    ResponderExcluir
  17. So acho.que deveriam investigar funcionarios da central de material

    ResponderExcluir
  18. O que vocês estão esperando para cancelar esse desconto IMORAL E INDECENTE do fundo de saúde,famoso caixa 2 desses OFICIAIS BANDIDOS E do GOVERNO ESTADUAL,falta coragem ou vergonha na cara,acredito que seja a 2ª opção, façam um plano de saúde ,existe um convênio do próprio Estado,no qual pagamos praticamente a metade do valor,cancelei o meu tem uns 3 anos,sou bem atendido,não preciso madrugar em filas ou aguardar 3 meses ou mais para uma simples consulta,enquanto que os Oficiais são atendidos na hora,cansei de ver isso,inclusive nas Policlínicas Odontológicas,o fundo de saúde PMERJ foi declarado Inconstitucional pelo TJ/RJ,ponham um fim nisso,e outra,depois que cancelarem peçam os últimos 5 anos descontados na Justiça,e se precisarem algum dia serem atendidos e for negado o atendimento procurem o Oficial de dia do Hospital,comuniquem o fato,e procedam a DP da área e registrem como Omissão de socorro,abuso de autoridade e ainda configura crime militar de prevaricação.

    OBS: O HOSPITAL DA PM VAI SE MANTER DA MESMA FORMA QUE SE MANTINHA ANTES DA CRIAÇÃO DA LEI Nº 279 DE 1999, QUE INSTITUIU O FUNDO DE SAÚDE, COM UM DESCONTO DE 3% DO SOLDO DO PM E BM. ANTES NÃO ERA COBRADO E O HOSPITAL SE MANTINHA MUITO BEM, DEPOIS O GOVERNADOR MOREIRA FRANCO AUMENTOU PARA 5%, COM A CRIAÇÃO DO FUNDO ÚNICO RIO PREVIDÊNCIA, FOI REVOGADA A CONTRIBUIÇÃO E PASSOU 19 MESES REVOGADO O DESCONTO, MESMO ASSIM O GOVERNO E A PM CONTINUOU A DESCONTAR NOS NOSSOS CONTRACHEQUES, O ENTÃO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL, QUANDO ÉRA PRESIDENTE DA ALERJ, ENVIOU UMA MENSAGEM PARA O PLENÁRIO, PARA JUSTIFICAR A CONTINUAÇÃO DO DESCONTO E AINDA COMO SE NÃO BASTASSE, AUMENTOU PARA 10% QUE ESTÁ ATÉ HOJE E O TRATAMENTO NO HCPM PIOROU INCLUSIVE OS PMs BRIGAVAM COM OS ATENDENTES QUANDO NA MARCAÇÃO DAS CONSULTAS, PARA EVITAR ESSE PROBLEMA A DIREÇÃO DO HCPM IMPLANTOU O SERVIÇO DE MARCAÇÃO DE CONSULTA POR TELEFONE QUE NA VERDADE NÃO FUNCIONA.

    ResponderExcluir