quinta-feira, 31 de julho de 2014

DH prende mais um acusado de matar sargento PM em Niterói

 
Acusado de envolvimento na morte do sargento Joílson da Silva Gomes, 40 - morto com mais de 50 tiros em Niterói, em fevereiro desse ano -, Vinícius dos Santos Marins, de 26 anos, foi preso por agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, no Complexo do Caramujo, na tarde de ontem. 
 
Segundo as investigações da DH, Vinícius teve participação efetiva no crime, atuando como um dos executores do PM. Segundo o delegado Marcus Amin, além dele, outros oito homens já foram identificados e tiveram a prisão decretada pelo homicídio. Entre os acusados estão lideranças da facção criminosa Comando Vermelho (CV), como Bruno Eduardo da Silva Procópio, o Piná, e Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D - chefes do tráfico no Complexo do Alemão, presos em abril. Continuam foragidos os traficantes Luiz Cláudio Gomes, o Pão com Ovo, da Favela Nova Brasília, Rodrigo da Silva Rodrigues, o Tinenem, e Edson Batista da Nóbrega, o Pará Canastra, ambos do Complexo do Caramujo.

Concurso para soldado tem 100 mil candidatos

O concurso da PM para preencher 6 mil vagas de soldados, que será realizado no próximo dia 31 de agosto, recebeu mais de 100 mil inscrições, de homens e mulheres. As inscrições terminaram no último dia 7. No total, serão 105.458 candidatos a soldado, sendo 83.892 homens e 21.566 mulheres. A relação candidato/vaga é 17,57 para cada uma das 6 mil vagas oferecidas, sendo que 20% são destinadas aos candidatos que se declararam negros ou índios. O vencimento dos aprovados, após passar pelo curso de formação, será R$2.409,06.
Os locais de provas do concurso serão divulgados dia 22 de agosto no site www.exatuspr.com.br. Os candidatos realizarão uma avaliação intelectual, com aplicação de prova objetiva e redação, de caráter eliminatório e classificatório. Depois serão submetidos à avaliação psicológica, exame antropométrico, teste de aptidão física, exame toxicológico, exames médicos e investigação social e documental.
As provas serão aplicadas em diversos municípios do Rio. Além da capital, as avaliações devem acontecer em Angra dos Reis, Arraial do Cabo, Campos dos Goytacazes, Itaperuna, Niterói, Nova Iguaçu, São Gonçalo, Teresópolis e Volta Redonda. A PM não informou onde os novos policiais irão trabalhar. A indicação acontecerá de acordo com a necessidade na época da formatura deles. Os novos concursados deverão reforçar o efetivo atual da PM, de 48 mil homens.

VAZOU NA REDE E VIROU NOTÍCIA NO JORNAL O GLOBO

ANCELMO - O GLOBO 
 
Alunos da PM brincam de imitar Adele.
No quartel Um vídeo que vazou na rede social WhatsApp mostra dois supostos alunos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), da PM do Rio, brincando de fazer dublagem da cantora Adele no hit "Someone like you". Um dos homens finge tocar o piano, enquanto o outro, mais ousado, usa um turbante e a camiseta da PM enrolada como se fosse um top. A brincadeira aconteceu ao lado de um conteiner da 3ª Cia (Companhia) do Cefap. Essa unidade da Polícia Militar é responsável por fazer os cursos de formação e treinamento de praças da corporação. 

Traficante do Complexo do Alemão é preso ao tentar fugir para o interior do estado


Foto: Divulgação/Disque-Denúncia
Após dois meses de investigação, Leonardo Cavalcante Nunes Vilar, o “Leozinho Rei” ou “LZ do Visconde”, de 24 anos, foi preso, nesta quarta-feira (30), por policiais da 34ª DP (Bangu). Ele é traficante do Complexo do Alemão e foi preso na Rodoviária Novo Rio, quando tentava fugir para o interior do estado.   
De acordo com os agentes da unidade, Leonardo é um dos chefes do tráfico na região, responsável pelo abastecimento dos pontos de drogas em Macaé, Casemiro de Abreu, Rio das Ostras e Araruama. Ele usava “mulas” menores de idade que vinham do interior do estado para aprender a embalar drogas, cobrar dívidas e transportar os entorpecentes até as regiões de venda.
Ainda segundo os agentes, o traficante foi preso em uma casa no Complexo do Alemão, em 15 de novembro do ano passado. A casa funcionava como depósito de drogas e ponto onde era feita a endolação de cocaína e maconha, mas nenhum entorpecente foi encontrado no local.  
Contra “Leozinho Rei” estavam expedidos dois mandados de prisão por tráfico de drogas. Ele tem anotações criminais por homicídios tráfico de drogas e lesões corporais. 
Leonardo era foragido da Justiça e tinha sua foto e histórico de crimes no site dos procurados do Disque Denúncia, onde era oferecida uma recompensa de R$ 1 mil por informações que auxiliassem na sua captura.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Novos salários da segurança pública


Os servidores ativos, aposentados e pensionistas da Segurança Pública no estado podem conferir as novas remunerações que vão receber a partir de janeiro de 2015 até janeiro de 2019. Ao todo, 113.557 funcionários integram os grupos da Polícia Militar, dos Bombeiros, da Polícia Civil, delegados e inspetores de segurança e Administração Penitenciária.
O impacto no orçamento do próximo ano com os aumentos da Segurança Pública será de R$ 1,5 bilhão. O valor por categoria é de R$ 1,088 bilhão para a Polícia Militar, R$ 157 milhões para o Corpo de Bombeiros, R$ 234 milhões para a Polícia Civil, R$ 4 milhões para os delegados e R$ 21 milhões para os inspetores. Os cálculos foram elaborados com exclusividade para a coluna pela Secretaria Estadual de Planejamento.
Ao comparar as remunerações atuais com as de 2019, o reajuste será de 17% para inspetores, 18% para delegados, de 45,16% para PMs e bombeiros e de 64% a 81% para policiais civis. No caso dos delegados, a remuneração é a soma dos valores do vencimento básico (VB), da representação e da Gratificação de Habilitação Profissional (GHP), que corresponde até 30% do VB.
Na Polícia Civil, o valor é o resultado do somatório do VB; do Adicional de Atividade Perigosa (AAP) de 230% sobre o vencimento; da Gratificação de Habilitação Profissional de 25% sobre o VB. E da Gratificação de Atividade Técnico Científica (100% sobre o VB). Nas tabelas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foram somados os valores do soldo, da Indenização de Habilitação Profissional (IHP), da Gratificação de Regime Especial de Trabalho Policial (Gret) e auxílio-moradia.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Projeto exige curso superior para ingresso na Polícia e no Corpo de Bombeiros

Deputado quer garantir um padrão nacional também mínimo para o ingresso nas fileiras dessas instituições.
Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 6632/13, do deputado William Dib (PSDB-SP), que exige curso superior para o ingresso na Polícia e no Corpo de Bombeiros Militar. O texto exige ainda curso de Direito para entrar no quadro de oficiais dessas instituições.
Hoje as exigências previstas no projeto não constam do Decreto-Lei 667/69, que reorganiza as polícias militares (PM) e os Corpos de Bombeiros Militares dos estados e do Distrito Federal. O projeto altera esse decreto-lei.
 A proposta também padroniza os demais requisitos para o trabalho nessas corporações, pois, atualmente, cada estado tem uma legislação diferente para o ingresso na PM e no Corpo de Bombeiros.

Escolaridade
De acordo com a proposta, quanto ao grau de escolaridade, o interessado deverá comprovar a conclusão de:
- curso de bacharelado em Direito, para o ingresso na carreira de Oficial do Quadro de Oficiais Policiais Militares (QOPM);
- curso de graduação superior nas áreas de interesse (médico, enfermeiro, etc), conforme regulamentação própria de cada instituição policial militar, para os praças ingressarem na carreira de Oficial do Quadro de Oficiais Especialistas; e
- curso de graduação superior em qualquer área, para o ingresso na carreira de Praça de Polícia Militar.
O projeto prevê que as unidades da Federação que não possuírem essas exigências para o ingresso na carreira terão o prazo de três anos para se adaptarem às novas normas.

Demais condições
Segundo o texto, são condições básicas para trabalhar na PM e no Corpo de Bombeiros:
- ser brasileiro;
- estar quite com as obrigações militares e eleitorais;
- não ter antecedentes penais dolosos;
- estar no gozo dos direitos políticos;
- ser aprovado em concurso público;
- ter procedimento social irrepreensível e idoneidade moral;
- ter capacitação física e psicológica compatíveis com o cargo, verificados através de exame de aptidão; e
- ser aprovado em exame de saúde e exame toxicológico com larga janela de detecção.
Promoção
Ainda conforme a proposta, observada a legislação própria de cada unidade da Federação, o acesso na escala hierárquica tanto de oficiais quanto de praças será gradual e sucessivo, e o processo de promoção de cada posto ou graduação deverá observar os critérios de antiguidade, bravura, post mortem e ressarcimento de preterição.
Por fim, o texto estabelece que as Polícias Militares manterão cursos em estabelecimento de ensino da própria polícia militar, podendo, ainda, ser desenvolvido em outra unidade federada, ou em parceria com instituições de ensino superior, públicas ou privadas, como requisito para a promoção.
“Ao longo da sua existência, as Polícias Militares foram obtendo padronização, porém impostas pelo governo militar”, explica William Dib. Depois do processo de redemocratização, continua o parlamentar essas corporações passaram a editar, nos estados, legislações diferenciadas quanto às exigências mínimas para o ingresso nas suas carreiras.
Como consequência, acrescenta, não há um padrão nacional também mínimo para o candidato ao ingresso nas fileiras dessas instituições. “Isso traz sérios problemas, levando em conta os serviços que esses profissionais vão desempenhar junto à sociedade após integrarem o efetivo ativo das Polícias Militares.”
Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:


Dois PMs baleados hoje

Um policial militar foi baleado, na tarde desta terça-feira, próximo à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão. O ataque aconteceu pouco depois das 15h.
Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), policiais estavam baseados próximo à sede da UPP, quando foram alvos de disparos vindos da comunidade Nova Brasília. O PM passa bem e o caso foi registrado na 45ª DP (Complexo do Alemão). A coordenadoria informou ainda que o policiamento nas UPPs do Complexo do Alemão segue com o reforço de 300 agentes e com o apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).
  
PM é baleado por adolescente de 15 anos durante operação   
Um subtenente do 9º BPM (Rocha Miranda) foi baleado, na tarde desta terça-feira, durante uma operação na favela Faz Quem Quer, na Zona Norte do Rio. O militar foi atingido por dois tiros, na barriga e na perna, e está sendo encaminhado para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio. Ele teria sido atingido por um adolescente, de 15 anos, que foi apreendido na ação. Um homem, acusado de participar do confronto, também foi detido. Com eles, foram apreendidos duas pistolas e um rádio transmissor. A ocorrência foi registrada na 29ª DP (Madureira).

Esquema de corrupção nos contratos com ONG de Major reformado

REVISTA VEJA 

Homem forte do Prefeito Eduardo Paes opera esquema de corrupção no Rio

 Rodrigo Bethlem acusado de desviar R$ 70 mil por mês 
de convênio para tratar dependentes químicos

O convênio em questão foi fechado com uma ONG chamada Casa Espírita Tesloo. Mais conhecido pela sigla Cad Único, foi assinado em 2011 por 9,6 milhões de reais e tinha o objetivo de atualizar o cadastro feito pela prefeitura para 408.000 famílias receberem benefícios dos programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família. Mas a ONG tem um histórico muito maior de contratos com a prefeitura – o que leva a crer que o assalto aos cofres públicos é ainda mais escandaloso. Desde 2009, a Tesloo faturou cerca de 72,8 milhões de reais do governo Paes para administrar abrigos e centros de acolhimento de dependentes químicos. Só de aditivos no período, foram 18, no total de 22,6 milhões de reais. Nos áudios, Bethlem explica para Vanessa que está com dificuldades de receber a mesada porque a ONG não estava prestando contas corretamente.
O dono da Tesloo, é o major reformado Sérgio Pereira de Magalhães Junior. O oficial criou a ONG em 2002 para atuar na área social junto com a mãe, o irmão e a esposa. A instituição começou a abocanhar contratos com o município do Rio desde a gestão Cesar Maia, mas foi com Paes e Bethlem que o faturamento da Tesloo explodiu. Além das generosas relações políticas, Magalhães Junior tem no currículo um passado truculento enquanto esteve na ativa na Polícia Militar. Há registro de 42 autos de resistência de sua autoria – ou seja, foi esta quantidade de bandidos que o major matou em confrontos. A Polícia Civil do Rio também investiga o envolvimento do dono da Tesloo com milícias na Zona Oeste.
Não é a primeira vez que o deputado Rodrigo Bethlem vê seu nome ligado a personagens de atividades nebulosas. Filho da atriz Maria Zilda Bethlem, e genro de Jorge Felipe ( Presidente da Câmara dos Vereadores do Rio) foi subsecretário de Governo de Rosinha Garotinho em 2006. Lá nomeou como seu assessor especial o bombeiro Cristiano Girão, perigoso miliciano da Zona Oeste do Rio de Janeiro, preso desde 2009. A relação de Bethlem com grupos de extermínio também foi alvo da CPI das Milícias da Assembleia Legislativa do Rio em 2008. O deputado foi arrolado como testemunha de defesa de um homicídio de que eram acusados os irmãos Jerônimo e Natalino Guimarães, ex-vereador e ex-deputado estadual líderes da Liga da Justiça, o mais perigoso grupo paramilitar do Rio.
O Tribunal de Contas do Município chegou a pedir em 2012 para a prefeitura não renovar mais qualquer convênio com a Tesloo por indícios de fraudes nos contratos, mas até este ano a ONG continuava a ter contratos ativos no governo Paes. O TCM encontrou de tudo nos contratos analisados: desde ausência de notas fiscais para determinados pagamentos até o superfaturamento na compra de alimentos. Leia a reportagem completa AQUI

Traficante “Gordinho”, segundo homem do tráfico no Morro do Alemão é preso


O traficante considerado pela Polícia Civil como o segundo homem da hierarquia do tráfico do Conjunto de Favelas do Alemão foi preso na manhã desta terça-feira (29), segundo o delegado Felipe Curi, da 45ª DP (Complexo do Alemão). Anderson dos Santos do Nascimento, conhecido como “Gordinho”, foi pego na localidade conhecida como Palmeiras, na favela Fazendinha.
Após investigações, Anderson passou a ter dois mandados de prisão pendentes. Com ele, foram apreendidos celulares e cadernos com anotações da contabilidade do tráfico de drogas. Segundo informações, Anderson era um dos alvos da operação policial realizada no Complexo do Alemão, que visava prender traficantes responsáveis pelos confrontos ocorridos na Rua 2, na comunidade Nova Brasília.
Para o titular da 45ª DP (Complexo do Alemão), delegado Felipe Curi, trata-se de uma prisão de importante para desarticular a quadrilha de traficantes que atua no Complexo do Alemão. Gordinho foi preso durante ação de agentes da delegacia, em conjunto com policiais da UPP da Fazendinha.

Pezão: 'PM não pode ser julgada pela má conduta de um grupo'

FONTE: SRZD
O governador Luiz Fernando Pezão afirmou nesta segunda-feira (28) que a Secretaria de Segurança tem como uma das prioridades o combate à má conduta dos policiais. Segundo ele, o trabalho da Polícia Militar não pode ser julgado por causa do mau comportamento de alguns agentes.

Luiz Fernando Pezão. Foto: Agência Brasil

"Se teve um governo que cortou na própria carne foi o nosso governo. Em sete anos e meio, punimos mais de 1.500 policiais militares por má conduta, com expulsão, prisão. Não compactuamos com violência, nem contra policiais militares, quando são assassinados, e da mesma forma quando praticadas por policiais, que cometem arbitrariedade, crimes", disse.
Para Pezão, julgar toda a Polícia Militar por causa da conduta de um seleto grupo é algo que não deve ser feito. "Não podemos julgar a maioria da nossa força de Segurança por alguns policiais militares, que não tem comportamento condizente com a legalidade. Não podemos julgar uma tropa de 48 mil policiais militares e 11 mil policiais civis, com base na má conduta de um grupo. Estamos fazendo um grande esforço para melhorar a formação deles", afirmou.

domingo, 27 de julho de 2014

Seis policiais militares são presos

MATÉRIA DE ONTEM 
JORNAL O DIA 

                                                      
  MATÉRIA DE HOJE 
JORNAL O DIA 

Os seis PMs envolvidos na morte de Vitor Luiz Rodrigues e Rafael de Souza Azerbinato no Morro do Fogueteiro alteraram a cena do crime, segundo informações da Polícia Civil. De acordo com agentes da 5ª DP (Mem de Sá), os policiais reagiram de maneira exagerada e retiraram o corpo de Vitor do local do homicídio. Foram presos os policiais Vinicius Castro Nascimento, Antônio Carlos Roberto, Adriano Costa Bastos, Raoni Santos Lima, Roberto do Nascimento Barreto e Cezar Rodrigo Pavão Duarte. Todos são lotados na UPP Coroa/Fallet/Fogueteiro
Foram presos os policiais Vinicius Castro Nascimento, Antônio Carlos Roberto, Adriano Costa Bastos, Raoni Santos Lima, Roberto do Nascimento Barreto e Cezar Rodrigo Pavão Duarte. Todos são lotados na UPP Coroa/Fallet/Fogueteiro
A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou que um Inquérito Policial Militar (IPM) foi aberto para investigar o crime. Os PMs foram encaminhados, na madrugada deste domingo, para a Unidade Prisional da Polícia Militar (BEP), em Benfica, na Zona Norte da cidade. Com os PMs, foram apreendidos três fuzis e sete pistolas.
O pedreiro Rafael de Souza Zebinato, de 23 anos, chegou a ser levado por moradores ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Outro homem, Vitor Luiz Rodrigues, de 40 anos, apontado como suposto traficante, morreu no local do confronto. Com ele, segundo a PM, foi encontrada uma pistola calibre 40, drogas, um rádio transmissor e um caderno de anotações do tráfico. No entanto, a esposa de Vitor nega a informação de que ele tinha envolvimento com o tráfico.

"Ele não era traficante. Meu marido trabalhava como taxista. Estava subindo o morro de moto para casa quando os PMs o abordaram e deram um tiro na perna dele e outro na cabeça. Depois, jogaram o corpo numa vala que tinha ali perto", contou a dona de casa Daniele Barbosa dos Santos. "Eles executaram meu marido", afirmou.
De acordo com os policiais, eles faziam um patrulhamento de rotina na Rua Eliseu Visconti, próximo ao número 200, em Santa Teresa, quando se depararam com Vítor Luiz Rodrigues, de 38 anos, que os recebeu com tiros. Segundo os PMs, outros traficantes surgiram e os os militares ficaram encurralados por duas horas enquanto aguardavam reforço policial.
A prisão dos policiais militares foi realizada pelo delegado da 5ª DP, Antônio Bonfim.

Polícia desarticula serviço de disque-drogas em Maricá


Um homem acusado de trabalhar no serviço chamado pelos traficantes como “Disque-Droga” foi preso, na noite deste sábado, por policiais do 12º BPM (Niterói) na cidade de Maricá. Com Mario Gomes Santos Junior, o “Mario 157”, de 20 anos, foram apreendidas sete cápsulas de cocaína e cinco trouxinhas de maconha que ele estava saindo para entregar para seus “clientes”.
Segundo os policiais do Patrulhamento Motorizado Especial (Pamesp), estavam no Loteamento Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, quando viram Mario em uma moto vermelha e foram abordá-lo como se faz de praxe, mas ele acelerou a tentou fugir. Depois de alcançado, os PMs reconheceram o acusado como membro de um grupo que faz assaltos na região.

O suspeito foi levado para a 82ª DP (Maricá), onde foi autuado por tráfico de drogas e os agentes vai investigar sua ligação com o Bonde do Felipinho, grupo de assaltantes que vem sendo investigado e já tem alguns homens presos.

sábado, 26 de julho de 2014

NOVA BRASÍLIA: Tiro que matou mãe de 27 anos teria sido dado por traficantes

O DIA
 
Traficantes que ‘brincavam’ de manusear arma de fogo em uma boca de fumo em Nova Brasília são apontados por testemunhas como autores do disparo acidental que tirou a vida da estudante Cátia Valéria Borges Alves, de 27 anos. A jovem foi encontrada morta dentro de casa. A comunidade, do Complexo do Alemão, conta com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
“Ela estava sentada no sofá da sala quando foi baleada. O tiro varou a porta e acabou acertando minha filha na nuca. Foi um único tiro”, conta o pai, Cláudio Borges, de 50 anos, lembrando que a filha se dedicava a um curso de Farmácia e planejava começar a trabalhar em breve.
A Delegacia de Homicídios assumiu o caso e já começou a ouvir testemunhas. De acordo com os investigadores, o laudo cadavérico deve ficar pronto na segunda-feira, quando haverá possibilidade de especificar o modelo da arma utilizada. O enterro de Cátia é hoje, às 11h, no Cemitério de Inhaúma.
Um homem que preferiu não se identificar disse que traficantes andam com armas à mostra na comunidade Nova Brasília e que ameaçam moradores que se aproximam de policiais militares

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Agente da PRF é preso com armas em tanque de GNV na Via Dutra

JORNAL EXTRA
Um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi preso com armas escondidas dentro do tanque de GNV (Gás Natural Veicular), enquanto conduzia seu carro, um Vectra, pela Via Dutra, em Lavrinhas, na região do Vale do Paraíba (SP), na noite desta quinta-feira. A operação foi realizada em conjunto pela própria PRF e da Polícia Federal (PF). No porta-malas, foram encontrados dois fuzis calibre 762, doze pistolas calibre 9mm, e cerca de 65 kg de munição.

As pistolas apreendidas


Um dos veículos abordados durante a fiscalização, com placa de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, era conduzido por um policial rodoviário federal, em dia de folga. Os materiais ilícitos estavam escondidos no interior de um cilindro de gás natural veicular instalado no porta-malas do carro e preparado para enganar alguma ação policial.Um segundo homem, que acompanhava o agente em outro veículo, também foi preso. Ambos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal de Cruzeiro, onde foram autuados em flagrante por porte de armas de uso restrito, crime com pena prevista de até seis anos de reclusão. Eles serão encaminhados ao sistema penitenciário estadual.
De acordo com a PRF, o policial já estava sendo monitorado pela Corregedoria da corporação. No momento da prisão, ele afirmou que estava conduzindo o Vectra para um amigo. O agente, que não teve o nome divulgado, atuava na Baixada Fluminense. A Polícia Rodoviária repudiou a atitude do servidor, em comunicado.



Cerca de 65 kg de munição apreendidos 



Dois fuzis foram encontrados durante operação da PRF e da PF

segunda-feira, 21 de julho de 2014

PMs fazem rebelião no BEP

O motim começou por volta das 11h da manhã e, segundo as primeiras informações, teve como causa uma decisão judicial que determinou a transferência de presos para o Complexo Penitenciário de Gericinó. Os presos estariam reclamando ainda da qualidade das quentinhas e das constantes inspeções nas celas.

 

Houve quebra-quebra dentro do presídio. Policiais do Batalhão de Choque foram para o local para controlar a situação. Um grupo da Polícia Militar foi designado para negociar com os rebelados.
Em nota, a PM informou que "a Corregedoria Interna da Polícia Militar foi acionada para a Unidade Prisional nesta segunda-feira em função da transferência determinada pelo Poder Judiciário de um ex-policial militar para Bangu, que está sendo contestada por alguns presos. Mesmo com o movimento, o ex-PM já foi transferido. O Batalhão de Choque (BPChoque) reforçou  a segurança no local e as negociações com outros presos estão em andamento". No final da tarde desta segunda, a situação parecia controlada na unidade prisional, mas o trânsito seguia interditado na rua onde fica o BEP.

Câmera de viatura mostra PMs levando jovens para morro onde um deles foi assassinado

Um vídeo divulgado pela Polícia Militar mostra dois PMs apreendendo três jovens que foram levados para o morro do Sumaré, na zona norte, onde um foi assassinado. As imagens mostram dois jovens sendo apreendidos e em seguida os policiais colocam outro no veículo e os levam para o morro do Sumaré. No alto do morro, um dos jovens foi executado e outro se fingiu de morto para se salvar. O terceiro convence os policiais de que não tinha nenhum envolvimento com os outros adolescentes e é liberado pelos agentes. Eles ainda dão carona para o jovem e o deixam nos arcos da Lapa. O crime aconteceu em junho, e os dois PMS, Fábio Magalhães Ferreira e Vinícius Lima Vieira, estão presos no BEP (Batalhão Especial Prisional). Segundo a Polícia Civil, eles são acusados de homicídio qualificado, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver. 

Vítima de sequestro filma bandido durante ação

Um empreiteiro mineiro de 43 anos ficou em poder de um bandido armado durante cinco horas e percorreu 26 quilômetros nas duas avenidas mais movimentadas da Barra da Tijuca, com o criminoso em seu carro. O homem — que pediu para não ser identificado — foi abordado às 9h, quando entrava em seu carro, um Honda Fit, no estacionamento do supermercado Carrefour, na Avenida das Américas.
Somente às 14h, foi liberado pelo bandido — depois de ter passado por outros nove estacionamentos à procura de outras vítimas. Os últimos momentos do sequestro-relâmpago foram filmados pela vítima, com um celular escondido entre as pernas.
Vídeo mostra bandido dentro do carro da vítima
bandido dentro do carro da vítima
Nas imagens  (ASSISTA O VÍDEO  ) é possível ver o rosto do bandido e a arma, um revólver calibre .38, que ele usava, escondida numa bolsa preta. O vídeo foi feito quando a vítima e o criminoso estavam dentro do carro, no estacionamento do Hortifruti da Avenida das Américas, pouco depois das 14h. Sem ter conseguido sacar dinheiro com o cartão do empreiteiro, o bandido afirmou que só liberaria o homem se eles encontrassem outra vítima.
— Ele levou R$ 400 da minha carteira, mas não conseguiu tirar dinheiro com meu cartão, porque minha conta estava vazia. Então, percorremos vários outros estacionamentos em busca de uma vítima que estivesse sozinha — contou o empreiteiro.


Bandido esconde a arma momentos antes de abordar nova vítima
Bandido esconde a arma momentos antes de abordar nova vítima 
As imagens mostram o momento em que o bandido sai de um carro e entra no outro, um Pajero, com uma mulher no banco da frente. “Fica na moral. Só sai com o carro, o cara está comigo ali”, diz o bandido para a nova vítima. Logo após ser liberado, o empreiteiro registrou ocorrência na 16ª DP (Barra), que teve acesso às imagens e abriu inquérito para identificar o criminoso.
O empreiteiro ainda contou que só fez a filmagem por que achava que, sem o registro, o caso ficaria impune.
— Estava com medo de ele tentar me levar para casa. Tenho quatro filhos e só pensava neles enquanto dirigia. A partir de um momento, resolvi filmar escondido porque, se não fizesse, ninguém ia acreditar e não ia dar em nada. Isso não pode ficar impune — afirmou.
‘Odeio roubar pobre’
Em depoimento na 16ª DP, o empreiteiro contou que, no estacionamento da loja Macro, o bandido “tentou fazer um casal de vítimas, mas não obteve sucesso, pois a mulher saiu correndo e gritando”. Na ocasião, o homem tentou fugir, mas, com a arma em sua direção, voltou para o carro. O empreiteiro ainda contou que o bandido só decidiu liberá-lo porque viu que não havia muitos objetos de valor no carro.
— Quando ele viu meu relógio, disse: “Bota de bater laje e relógio porcaria? Odeio roubar pobre”. Aí, decidiu procurar outras vítimas — afirmou.
A segunda vítima também foi à 16ª DP, após ser liberada pelo criminoso no fim da tarde. Em depoimento, ela disse que o bandido ainda fez um saque com seu cartão antes de liberá-la.

domingo, 20 de julho de 2014

Base da UPP é atacada e viatura é incendia por traficantes no Complexo do Alemão

JORNAL EXTRA
Policiais que estavam dentro do contêiner da rua Canitar no Complexo do Alemão, foram alvo de disparos de fuzil. Um policial, identificado como soldado Cordeiro, foi baleado no abdômen e encaminhado ao Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha. A viatura que estava estacionada ao lado da base da UPP foi incendiada pelos bandidos. Um caveirão do 16º BPM (Olaria) foi enviado ao local a pedido do comando da UPP.
Segundo os policiais, o ataque é uma retaliação à prisão de Diogo Wellington Costa, o “Diogo Bebezão”, 28 anos, na madrugada deste sábado. Segundo agentes da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que fizeram a prisão, o traficante estava numa festa na comunidade e foi surpreendido pela presença da polícia quando saía do local, pela Rua Canitar.



Viatura também foi atingida por disparos

Segundo o delegado titular da especializada, Gilson Perdigão, houve troca de tiros e “Bebezão” foi ferido na barriga, mas conseguiu fugir, sendo capturado logo depois. Ele foi preso em flagrante por tentativa de homicídio
Na tarde deste domingo, Matheus Alexandre Silva dos Santos, de 18 anos, foi morto em troca de tiros com policiais. Segundo os PMs, uma equipe fazia patrulhamento pela Praça do Índio, quando foi surpreendida por um grupo de traficantes armados, por volta das 14h. Matheus foi baleado e levado para o Hospital estadual Getúlio Vargas, não resistiu ao ferimento e morreu. De acordo com a polícia, Matheus estava com uma pistola 9mm e um carregador.

Digitais sem licitação na PM

Informe do dia

Ex-comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o coronel Gilson Pitta terá que pagar multa de R$6.368,25 determinada pelo Tribunal de Contas do Estado. Depois de avaliar documentos da própria PM, os conselheiros não concordaram com a dispensa de licitação que favoreceu a firma Biológica Sistemas Ltda. Em 2009, a empresa acabou contratada por R$ 445.580,36 para colher impressões digitais dos candidatos que participaram de provas para ingresso na corporação.

Soldado Bombeiro é expulso por ter expressado sua opinião no Facebook

Esta informação é uma das que tenho vergonha em vincular em nosso site. Dizem por aí que militares são cidadãos de segunda categoria, alijados de todos os direitos de um cidadão comum. Será verdade? O Soldado Mol do Corpo de Bombeiros do Estado do Espírito Santo foi expulso da corporação por ter expressado sua opinião no Facebook. Um punição pesada demais pra quem disse apenas a verdade. Como uma corporação trata o profissional que tanto ama sua profissão, dedicado com o serviço, com ficha exemplar, que o seu único "erro" foi lutar por melhores condições de trabalho, por melhores salários, por dignidade? Onde estão os sites e blogs especialistas em Segurança Pública que não fizeram nenhuma menção ao caso? Onde está a imprensa nessas horas? Onde estão os chamados representantes de classe e associações? Onde está a justiça? 

Aprovado estatuto que garante poder de polícia às guardas municipais

Polícia cancela patrulhas noturnas de UPPs para evitar confrontos

Para evitar novos confrontos em favelas cariocas, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) Arará e Mandela receberam a ordem expressa de suspender os patrulhamentos noturnos nas comunidades. A informação consta num documento oficial, reproduzido pela revista “Veja”, que leva os timbres do governo do estado, da Secretaria de Segurança e da PM.
Assinado pelo comandante das unidades, capitão Paulo Cesar de Oliveira Ramos Filho, o memorando, datado da última quarta-feira, diz: “Este comandante informa este supervisor que determine as Guarnições para não realização de Patrulhamentos noturno no interior das comunidades Arará e Mandela”.
A prática da vista grossa é confirmada por relatos de policiais lotados em UPPs. O objetivo do recuo seria preservar a tropa e refrear os crescentes conflitos que vinham criando o medo de que a violência transbordasse para o asfalto, inclusive para as rotas turísticas.
“Policiais reclamam que esta ordem foi dada por conta de um acerto entre o tráfico e o comando da UPP”, denunciou um policial militar que preferiu não se identificar, através do WhatsApp do EXTRA.


Casos isolados de violência vêm ganhando força nas comunidades pacificadas. Desde o início de 2014, cinco PMs morreram e 44 foram feridos a bala por bandidos em favelas com UPP — um número superior à soma de todos os outros anos do programa, que até então havia registrado oito mortos e 39 feridos. Em Manguinhos, no último mês de março, um grupo de bandidos incendiou cinco bases policiais. Na Rocinha, criminosos agrediram policiais com tijolos depois da prisão de um suspeito, em dezembro. Na cracolândia colada ao Complexo de Manguinhos, centenas de viciados são vistos dia e noite em uma área cercada de UPPs e a apenas 200 metros da Cidade da Polícia Civil.

Polícia Militar apreende droga em Volta Redonda

Policiais militares apreenderam na tarde de hoje, por volta das 14h40, 347 pinos de cocaína e 16 tabletes de maconha. Os entorpecentes estavam escondidos atrás do ginásio poliesportivo do Santo Agostinho, na Avenida Jaime Martins.
Os agentes chegaram ao local através de denúncias que indicaram o esconderijo das drogas. Ninguém foi encontrado. O material foi levado para a 93ª DP, onde ficou apreendido.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Agente penitenciário é assassinado em Duque de Caxias

Um agente penitenciário foi morto a tiros depois de reagir um assalto, na tarde desta quinta-feira, na Praça de Parada Morabi, bairro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo informações do 15º BPM (Caxias), Altair da Costa Paes Filho, de 56 anos, chegou a ser levado para o Hospital estadual Adão Pereira Nunes, mas não resistiu aos ferimentos.
Testemunhas relataram que Altair foi abordado por dois criminosos. Um deles também teria sido baleado pelo agente, mas mesmo assim a dupla conseguiu fugir do local após roubar um caminhão. As investigações sobre o caso ficarão a cargo da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense. Altair trabalhava no Departamento Geral de Ações Sócio Educativas (Degase).

terça-feira, 15 de julho de 2014

Amante de traficante, "enfermeira do tráfico" é presa em comunidade de Niterói

Uma mulher apontada pela polícia como "enfermeira do tráfico" foi presa nesta terça-feira (15) com outros seis suspeitos de envolvimento com o comércio de drogas na comunidade do Caniçal, em Itaipu, em Niterói, região metropolitana do Rio. Daniele Leite trabalhava com enfermagem em dois hospitais. Segundo a polícia, a suspeita de associação ao tráfico é amante de um traficante da região. Segundo a polícia, a auxiliar de saúde atendia traficantes feridos em confrontos com a polícia. Policiais civis com apoio de PMs do 12º Batalhão da Polícia Militar ocupam a comunidade para cumprir nove mandados de prisão.

Prisão administrativa de quatro policiais militares

Fonte: G1 

O Comando da Polícia Militar determinou a prisão administrativa de quatro policiais que participaram da operação durante protesto na Praça Saens Pena neste domingo (13). Três inquéritos Policial Militar (IPM) abertos para apurar a conduta de policiais, que receberam determinação para se apresentarem ao Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos, onde permanecerão presos por ordem do comandante da unidade.
Segundo a corporação, foram presos os soldados: Carlos Henrique Ferreira, suspeito de agressão ao cinegrafista canadense Jason O'Hara; Cristiano Ximenes, suspeito de roubo de câmera do mesmo fotógrafo; Jair Portilho Júnior, suspeito de agressão a um repórter fotográfico; e Rogério Costa de Oliveira, que aparece em vídeo chutando a manifestante Aline Campbell.
O Comando da Polícia Militar diz que "repudia atos de violência praticados por policiais militares, conforme revelados nas imagens de cinegrafistas amadores". A Corregedoria da PM abriu também uma sindicância para apurar a denúncia de que um policial teria assediado uma manifestante. A denúncia também tem base em um vídeo feito por cinegrafista amador.
Todas as denúncias e imagens recebidas relativas a excesso na ação de policiais militares estão sendo encaminhadas à Corregedoria para ajudar nas investigações.

Pezão pede rigor nas investigações contra PMs agressores

JORNAL O DIA 

'Não compactuo com violência', disse o governador

  O governador Luiz Fernando Pezão determinou rigor nas investigações para identificar e punir os policiais militares acusados de terem agido com violência contra jornalistas e manifestantes durante protesto contra os gastos para a Copa do Mundo, no domingo, na Praça Saens Penã, na Tijuca.
A determinação foi dada ao comandante da corporação, coronel José Luis Castro, e ao secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. Um Inquérito Policial Militar foi aberto para apurar os atos de violência praticados.
“Não compactuo com violência, seja ela praticada por agentes públicos ou por pessoas que tentam se aproveitar de manifestações democráticas para causar tumulto, danos e transtornos ao Rio. Determinei ao coronel Castro e ao secretário Beltrame rigor nas investigações”, afirmou Pezão.

PMs do Rio criticam propostas de candidatos para a categoria

FONTE: NOTIBRAS
pm 

Muitos policiais militares do Rio de Janeiro estão descrentes das propostas dos principais candidatos a governador para a área da segurança e à categoria. Apesar das promessas dos políticos de valorizar o servidor público com melhor remuneração e plano de carreira, estão cansados de ouvir as mesmas promessas que quatro anos atrás, quando o ex-governador Sérgio Cabral foi reeleito no primeiro turno.
O atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato à reeleição, propôs que “cuidar do servidor público é cuidar do cidadão, pois afinal é ele quem presta serviço à população”. Ele ressaltou que para ter serviço de qualidade é necessário valorizar o servidor, mas que isso não ocorre única e exclusivamente por reajustes. “Conceder remuneração digna é apenas uma parte, e sempre que possível, com muita responsabilidade fiscal, vamos valorizar os servidores como fizemos nos últimos anos”, disse.
Já o senador Lindbergh Farias, candidato do PT, afirmou que o servidor estadual enfrenta “anos de defasagem salarial”. E, por isso, os recentes aumentos são merecidos. Ele propõe estruturar as categorias com planos de cargos e carreiras e manter diálogo permanente. “Em 2013, durante a greve dos professores, por exemplo, os profissionais do ensino foram agredidos pela polícia nas manifestações. Isso é um absurdo, não pode mais acontecer”, disse o petista.
O candidato do PR, deputado federal Anhony Garotinho, criticou o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB): “Não vou tratar o funcionalismo estadual com a desfaçatez do Pezão, de dar aumento na hora do fim do jogo e para o ano que vem. Quase como quem diz ‘Eu já sei que vou perder e vou deixar para o próximo para pagar’.”
Para o candidato do PRB, senador Marcelo Crivella, os aumentos são “justos e legítimos”, embora muito aquém do merecimento dos servidores. “Os reajustes foram concedidos somente este ano, provando ser uma manobra eleitoreira do governador, que integra este governo há oito anos”, declarou.
Tarcísio Motta (PSOL) avaliou que os reajustes salariais concedidos aos servidores ainda ficaram abaixo do que seria necessário para ocorrer uma real valorização e melhoria da qualidade do atendimento à população. “Os governos Cabral e Pezão nunca tiveram uma política global para os servidores públicos. Na verdade, sua política foi conceder reajustes pontuais e parcelados, negando-se a negociar com as categorias, o que levou a muitas greves”, afirmou.
“Garotinho foi o pior governador de todos os tempos, ele transformou o Policial Militar do Rio de Janeiro em mendigo do contracheque. Garotinho desvinculou o soldo do Soldado do Salário Mínimo nacional, depois a categoria nunca mais recuperou esse valor. Agora, o negócio é buscar a antecipação dessas parcelas! Ao final dos cinco anos, o reajuste terá sido engolido pela inflação, ou seja, pela desvalorização do real”, criticou um policial que preferiu não se identificar, em comentário no site da SOS PMERJ.
Outro PM, que também não quis se identificar, disse: “Governo do Estado do Rio de Janeiro está em dívida com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, pois os reajustes salariais concedidos de forma parcelada ficaram aquém do necessário para recuperar os anos de defasagem salarial criados por Anthony Garotinho e Rosinha durante os seus governos, ou seja, insuficientes para repor as perdas salariais”.
“Juntando todos, não dá uma dose”, apontou um terceiro.

Miliciano da Liga da Justiça volta a cumprir pena no Rio e pede para ficar no “seguro”

Depois de cinco anos e quatro meses preso em unidades federais de segurança máxima, o ex-policial militar Luciano Guinâncio Guimarães, que faz parte da maior milícia da Zona Oeste, retornou ao Rio no final de março. De volta ao estado e ao Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, o filho do miliciano Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, pediu para ficar na Cadeia Pública Bandeira Stampa, conhecida como o “seguro” do sistema. Na unidade ficam, por exemplo, presos ameaçados de morte.
Luciano, que estava na penitenciária de Porto Velho, em Rondônia, abriu mão de cumprir pena na Penitenciária Lemos de Brito (Bangu 6), destinada a ex-PMs. O temor de Luciano é justificado pela guerra dentro da milícia da qual ele faz parte.
De um lado da briga pelo domínio da Zona Oeste estão, além de Luciano, seu pai, Jerominho, e seu tio, Natalino Guimarães Filho. Na outra ponta da disputa estão Toni Angelo de Souza Aguiar e Ricardo Teixeira Cruz, o Batman. Os quatro estão presos em unidades federais. Jerominho, Natalino e Batman em Porto Velho, e Toni em Catanduvas, no Paraná.
Atualmente, de acordo com informações de fontes da Polícia Civil, o segundo grupo está mais fortalecido. Na chefia, com a captura de Toni Ângelo, em julho do ano passado, está Marcos José de Lima Gomes, o Gão. Ele era segurança de Toni, mas seu comando tem desagradado a alguns membros da quadrilha, causando dissidências, disputas e mortes dentro do grupo.
Assim como seu filho, Jerominho tenta voltar para o Rio. Ele também está em unidades federais desde novembro de 2008. No início deste ano, a Justiça Federal de Rondônia havia determinado que o miliciano retornasse ao estado, mas a Vara de Execuções Penais do Rio reverteu a decisão com recurso no Superior Tribunal de Justiça.
No dia 26 de março, os ministros da Terceira Seção determinaram que Jerominho permanecesse em Rondônia. Em seu voto, o ministro Sebastião Reis Nunes ressalta a possibilidade de ele retornar à criminalidade e às suas funções ao voltar para uma unidade prisional do Rio.
Apesar da decisão favorável ao Rio, o ministro faz uma crítica à postura do estado de mandar presos para unidades federais: “Eles jogam os ‘abacaxis’ para presídios federais mas não procuram se aparelhar de forma necessária para ter presídios estaduais com condições de abrigar criminosos mais perigosos”.
Luciano foi preso em 2008 na cidade de Barbacena, em Minas Gerais, por policiais civis do Rio. Quatro anos depois, em outubro de 2012, ele foi condenado a 17 anos de prisão pela morte de um motorista de van. Os advogados do miliciano conseguiram anular o julgamento no Tribunal de Justiça do Rio em março deste ano. Ele será levado a novo júri. Luciano responde a outro homicídio, na 3ª Vara Criminal da Capital, com Jerominho e Natalino. Eles são acusados da morte de um outro motorista de van em 2005, em Campo Grande, na Zona Oeste.

PM morreu baleado durante uma perseguição a bandidos na Zona Oeste

O sargento da PM Antônio Carlos Novaes da Silva, do 40º BPM (Campo Grande), morreu baleado durante uma perseguição a bandidos em Senador Vasconcelos, na Zona Oeste, no início da madrugada desta terça-feira. Ele fazia parte da equipe do batalhão que interceptou bandidos na Estrada do Pré, na altura da Avenida Santa Cruz, uma das mais movimentadas do bairro.
Um homem que estava no carro suspeito de praticar assaltos na região também foi baleado. Eles foram levados para o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande, mas o PM não resistiu aos ferimentos. Não há informações sobre o estado de saúde do criminoso. Os outros ocupantes do veículo conseguiram fugir. A ocorrência ainda está sendo registrada na 35ª DP (Campo Grande).

A ação policial desnecessária em manifestações

ABORDAGEM POLICIAL
O vídeo abaixo é bem ilustrativo em relação às reclamações que vêm sendo feitas sobre a atuação policial em manifestações. Primeiro, não está clara a motivação da utilização de agentes químicos que gerou a correria e a tensão em um momento claramente pacífico (havia mais policiais militares do que manifestantes). Segundo, o vídeo mostra a ação desnecessária e abusiva de um PM que agride uma manifestante e felizmente foi contido pelos colegas. Em que estado de espírito estamos assumindo nosso serviço? Em que estado de espírito somos colocados para assumir o serviço?


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Policial Militar é baleado durante tiroteio na favela da Rocinha

Um policial militar foi baleado no braço no fim da noite deste domingo após um confronto com homens armados na comunidade da Rocinha. De acordo com informações da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o agente não corre risco de vida. Ele foi levado para o Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea.

Argentinos são presos após apedrejar ônibus com PMs

JORGE ANTONIO BARROS
Acredite, não é piada com argentino. Sem conseguir engolir a derrota para a Alemanha, dois argentinos manifestaram sua revolta em Copacabana. Jogaram pedras num ônibus da Viação 1001, que passava por Copacabana.
O ônibus parou e los Hermanos não tiveram tempo de fugir. Ao escolherem o veículo como alvo, não perceberam que o coletivo estava cheio de... PMs, que eram transportados para o Maracanã.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Presidente Dilma diz que vai tirar as Policias do Comando dos Governadores

CARTA CAPITAL
 A presidenta Dilma Rousseff defendeu que os estados tenham menos controle sobre as policias em entrevista à rede de televisão norte-americana CNN exibida na última quarta-feira, 9. Em sua fala, ela afirmou que são necessárias mudanças na Constituição para que a segurança deixe de ser uma atribuição das unidades federativas.
“O combate à criminalidade não pode ser feito com os métodos dos criminosos. Muitas vezes isso ocorre, e nós não podemos também deixar intocada a estrutura prisional brasileira”, disse Dilma, após ser questionada sobre a alta letalidade da Polícia Militar. “Eu acredito que nós teremos de rever a Constituição. Por quê? Porque essa é uma questão que tem de envolver o Executivo federal, o estadual, a Justiça estadual e federal. E porque também há uma quantidade imensa de prisioneiros em situações sub-humanas nos presídios.”
Na entrevista, Dilma disse que a letalidade da polícia “talvez seja um dos maiores desafios do Brasil”. Em sua pergunta, a jornalista Christiane Amanpour disse que a atuação da polícia brasileira “parece ser um legado ruim desse tipo de tortura, ditadura e da falta do Estado de direito que a presidenta combatia”.
Atualmente, segundo a Constituição, as policiais federais são as únicas controladas pelo Governo Federal. A Polícia Civil e a Militar são controlados pelos estados e, no caso desta última, seus agentes respondem por seus crimes na Justiça Militar.
As declarações de Dilma foram feitas na semana seguinte à divulgação do Mapa da Violência. O estudo indica uma grande responsabilidade dos policiais na elevada taxa de homicídios no País. No ano passado, a polícia matou cinco cidadãos por dia no Brasil, quatro vezes mais do que nos Estados Unidos e duas vezes e meia o índice registrado na Venezuela, segundo o anuário estatístico.

EMPREGO MACIÇO DOS PMS NO FINAL DA COPA


PM é morto dentro de casa em Bangu

O DIA 
O sargento da Polícia Militar, José Ricardo Valença Moniz foi morto a tiros na manhã desta sexta-feira, dentro da sua própria casa, na Rua Sibéria, em Bangu, na Zona Oeste. Os assassinos fugiram logo após o crime.
PM era lotado no 2º Comando de Policiamento de Área (CPA) e a Divisão de Homicídios (DH) da Capital está investigando o caso.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Atraso no Proeis: Policiais a serviço de Secretaria de Transportes relatam dificuldades.

O não pagamento de gratificações a policiais militares criou um impasse entre a Prefeitura do Rio e o Governo do estado. Policiais a serviço da Secretaria Municipal de Transportes não recebem as gratificações referentes ao Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) desde abril de 2014. A Prefeitura alega que não fez o pagamento devido a um parecer da Controladoria Geral do Município, que determina que só pode pagar aos policiais quando o governo do estado quitar uma dívida com a própria prefeitura.

O pagamento da gratificação é destinado aos policiais contratados para trabalhar em seus dias de folga em locais conveniados, em uma escala de 24 horas de trabalho por 72 horas fora do serviço. O pagamento destinado aos oficiais é de R$ 175 por turno trabalhado; para os praças, o valor é de R$ 150.
Policiais militares, que contaram que a situação financeira é desconfortável devido ao atraso. Segundo eles, esta não é a primeira vez que a gratificação atrasa.
"No serviço do Proeis, o policial arca com alimentação, transporte e todo e qualquer custo, imaginem bancar do próprio bolso nesses 3 meses sem receber”, disse um deles, que preferiu não se identificar.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Policial militar é baleado no rosto durante confronto em Manguinhos

JORNAL O DIA 
Policial da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela foi baleado no rosto, na noite desta terça-feira, durante confusão na localidade conhecida como Mandela II, no Complexo de Manguinhos, na Zona Norte. Segundo informações da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), por volta das 20h, os agentes realizavam um patrulhamento de rotina na região quando um homem que foi abordado incitou os moradores, que hostilizaram e atiraram objetos contra os PMs.
Logo em seguida, criminosos armados atiraram contra os PMs, que reagiram. No confronto, o soldado foi atingido e encaminhado para o Hospital Geral de Bonsucesso, onde permanece em observação. Os casos foram registrados na 21ªDP (Bonsucesso) e o policiamento está reforçado na comunidade.
 
PM é baleado durante tentativa de assalto em Itaboraí
Um policial militar foi baleado na noite de terça-feira, durante tentativa de assalto em Itaboraí, na Região Metropolitana. O soldado Anderson Carolino de Amorim foi abordado por três homens que tentaram roubar seu carro, próximo da Passarela Apolo, acabando sendo atingido por um tiro que perfurou seu fígado.
O PM foi encaminhado para o Hospital Municipal Leal Júnior, onde passou por cirurgia, e seu estado de saúde é considerado estável.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Policiais suspeitos de extorsão são presos no Rio

AGÊNCIA BRASIL 
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a área de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança fazem hoje (7) uma operação para prender quatro policiais suspeitos de participar de um esquema de extorsão a vendedores ambulantes, comerciantes e mototaxistas na zona oeste da cidade. A Justiça expediu mandados de prisão para dois policiais militares (PMs) e dois policiais civis.
O policial civil Carlos Antonio Torres, que já foi chefe de Investigações da Delegacia de Bangu, e o policial reformado Carlos Alberto Braz de Oliveira – apontado como responsável pelo recolhimento de propinas de comerciantes do Mercadão Popular de Bangu – foram presos durante a manhã. A ação é um desdobramento de uma operação feita em abril do ano passado, quando 66 pessoas foram presas, sendo 45 policiais militares e seis policiais civis.
O PM Jorge José de Oliveira Santos, do Batalhão de Bangu, deve se apresentar ainda hoje para ser preso. Um policial civil, cujo nome não foi divulgado, continua foragido. Eles serão responsabilizados pelos crimes de associação criminosa (quadrilha armada) e mais de 120 crimes de concussão – exigência do pagamento de propina.
De acordo com o Ministério Público, o grupo exigia pagamentos semanais de comerciantes e camelôs que vendiam produtos piratas e outras mercadorias ilícitas. Os policiais eram suspeitos ainda de ameaçar as vítimas com armas e de revender mercadorias apreendidas a outros feirantes.

Quem são os candidatos a governador do Rio de Janeiro

 Luiz Fernando Pezão (PMDB), Lindberg Farias (PT), Anthony Garotinho (PR), Marcelo Crivella (PRB) e Tarcísio Motta (PSOL) 

Candidatos ao governo do Rio apresentam propostas para o aumento dos servidores 

 Luiz Fernando Pezão (PMDB) defendeu que “cuidar do servidor público é cuidar do cidadão, pois afinal é ele quem presta serviço à população”. Ele ressaltou que para ter serviço de qualidade é necessário valorizar o servidor, mas que isso não ocorre única e exclusivamente por reajustes. “Conceder remuneração digna é apenas uma parte, e sempre que possível, com muita responsabilidade fiscal, vamos valorizar os servidores como fizemos nos últimos anos”, disse. 

 Lindberg Farias (PT) informou que o servidor estadual enfrenta “anos de defasagem salarial”. E, por isso, os recentes aumentos são merecidos. Ele defendeu ser necessário estruturar as categorias com planos de cargos e carreiras e manter diálogo permanente. “Em 2013, durante a greve dos professores, por exemplo, os profissionais do ensino foram agredidos pela polícia nas manifestações. Isso é um absurdo, não pode mais acontecer”, disse Lindberg Farias. 

Anthony Garotinho (PR) declarou que vai renegociar a dívida do estado com o governo federal: “Hoje está em R$ 81 bilhões, com previsão de chegar a R$ 100 bilhões no fim do ano”. Ele ainda atacou o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB): “Não vou tratar o funcionalismo estadual com a desfaçatez do Pezão, de dar aumento na hora do fim do jogo e para o ano que vem. Quase como quem diz ‘Eu já sei que vou perder e vou deixar para o próximo para pagar’.” 

Marcelo Crivella (PRB), os aumentos são “justos e legítimos e, mais que isso, muito aquém do merecimento pelos bravos servidores do nosso estado”. Segundo ele, “os reajustes foram concedidos somente este ano, provando ser uma manobra eleitoreira do governador, que integra este governo há oito anos.” Sobre a situação orçamentária, Crivella informou que, se eleito, as contas do estado “serão examinadas e geridas com transparência e lisura”. 

Tarcísio Motta (PSOL) avaliou que os reajustes salariais concedidos aos servidores ainda ficaram abaixo do que seria necessário para ocorrer uma real valorização e melhoria da qualidade do atendimento à população. “Os governos Cabral e Pezão nunca tiveram uma política global para os servidores públicos. Na verdade, sua política foi conceder reajustes pontuais e parcelados, negando-se a negociar com as categorias, o que levou a muitas greves”, afirmou.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Apreensão de quase 2 t de maconha no Chapadão

 Policiais militares fizeram uma operação neste domingo (6) no morro do Chapadão, na zona norte do Rio, e apreenderam quase duas toneladas de maconha. Um suspeito morreu e outro foi preso.
De acordo com a Polícia Militar, a vítima caiu de uma laje e chegou a ser levada para o hospital Carlos Chagas, na zona oeste do Rio, mas não resistiu aos ferimentos. Com ele, os agentes acharam um revólver calibre 38.
A carga de maconha foi encontrada em um caminhão. Em outro veículo, os policiais apreenderam 233 tabletes de 1 kg de maconha, 83 papelotes de cocaína, 138 munições, cinco carregadores de fuzil e seis carregadores de fuzil.
Foram encontrados quatro carros e cinco motos roubados. O material apreendido e o suspeito preso foram encaminhados para a Delegacia da Pavuna (39ª DP).
A ação contou com policiais do COE (Comando de Operações Especiais), do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), do GAM (Grupamento Aeromóvel), do BAC (Batalhão de Ação com Cães) e do BPChoq (Batalhão de

Policial escapa de assalto e consegue prender os bandidos

 Três homens foram presos neste domingo (6) depois de tentar assaltar um policial militar na rodovia Washington Luiz, na Baixada Fluminense. Com o trio, foram apreendidas uma pistola e uma arma de mentira.
O sargento Bianchini, lotado no Batalhão de Duque de Caxias (15º BPM), seguia de carro à paisana para o trabalho quando percebeu que estava sendo seguido. Ele pediu ajuda de uma viatura da PM, estacionada à margem da pista, e conseguiu capturar o trio.
Os suspeitos foram identificados como Wainer de Souza, de 23 anos, Rodrigo Silva de Paula, de 24, e Bruno Guedes da Silva, de 24 anos. O caso foi registrado na Delegacia do Imbariê (62ª DP).

sábado, 5 de julho de 2014

Sargento da PM é morto em Duque de Caxias

ROBERTA TRINDADE 
Lotado no 7ºBPM, o sargento Luciano Nepomuceno seguia para casa quando foi abordado por criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela Parada Angélica, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
Ao ter a identidade descoberta, ele foi levado para o interior da favela, onde foi torturado e morto. Policiais do 15ºBPM não receberam autorização para entrar na favela e resgatar o PM pois estava sendo realizado um baile funk e superiores hierárquicos consideraram que havia risco de haver um tiroteio que colocasse em risco pessoas sem envolvimento com o tráfico.
O sargento foi lotado no Setor de Manutenção (P-4) do 1º Comando de Policiamento de Área (1º CPA) e antes de ser transferido para o rancho do batalhão gonçalense chegou a trabalhar na segurança da esposa do prefeito Eduardo Paes.
O corpo do PM foi deixado, após o término do baile, próximo a um posto de combustíveis às margens da rodovia Washington Luiz, já no final da manhã deste sábado, dia 5 de julho.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Inquérito revela que disparo que matou bailarino do "Esquenta" veio de arma usada por policiais

O tiro que matou Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG do programa “Esquenta!”, em 22 de abril no Morro do Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, teria partido de uma pistola calibre 40.
A investigação do caso comprovou, aliás, que apenas dois soldados que trabalhavam naquela madrugada poderiam ter feito os disparos com essa arma.
Apesar disso, o inquérito ainda não concluiu quem teria sido o autor do tiro que matou o dançarino.
DG foi atingido pelas costas. A bala entrou pela lombar direita, atravessou o pulmão e saiu pelo ombro. Ele teria pulado de um prédio para a laje da Creche Escola Solar Meninos de Luz, para tentar fugir do tiroteio.
De lá, ele teria seguido pendurado em uma tela de arame, descendo em um estreito corredor na Creche Escola Lar de Pierina, “onde engatinhou e ainda tentou subir o muro, apoiando um dos pés, mas perdeu as forças”, descreveu o delegado Gilberto Ribeiro, da 13ª DP - do Posto 6.
Remetido ao Ministério Público com pedido de prazo para a inclusão do laudo da reprodução simulada, que poderá esclarecer a autoria do disparo, o inquérito mostra que nove PMs — um sargento e oito soldados — participaram da ação. Desses, cinco fizeram disparos, sendo que três usavam fuzis calibres 5,56 e 7,62. Dos dois soldados que estavam com pistolas .40, um atirou cinco vezes e o outro, que conseguiu chegar próximo à laje, disparou 11 vezes.

Capitão da PM é baleado na barriga durante tiroteio no Morro da Serrinha

JORNAL EXTRA
Um policial militar do 9º BPM (Rocha Miranda) foi baleado na barriga, na tarde desta quinta-feira, durante um confronto com traficantes do Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Identificado como capitão Marques, o oficial estava comandando uma operação do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do batalhão na comunidade, quando, por volta das 16h, a equipe foi recebida a tiros. O policial foi encaminhado ao Hospital estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, também na Zona Norte, e passava por uma cirurgia no início da noite desta quinta. Seu estado de saúde é estável.

Soldado da PM que fazia transporte de valores é morto na Região dos Lagos

JORNAL EXTRA
Um soldado da Polícia Militar foi morto, na tarde desta quinta-feira, na Via Lagos, em São Pedro d’Aldeia, na Região dos Lagos. Valério Albuquerque Melo Filho, lotado no 25º BPM (Cabo Frio), dirigia um Corolla cinza blindado, por volta de 14h, pela estrada, quando uma Hillux emparelhou com o veículo.


O carro que os policiais estavam e que caiu na mata
O carro que os policiais estavam e que caiu na mata Foto: Divulgação
Os carros se chocaram. Os dois homens que estavam no outro veículo teriam feito disparos contra o PM, que chegou a reagir, mas foi atingido e morreu no local. O subtenente reformado que estava no banco de carona conseguiu se esconder na mata e não foi atingido. Os criminosos teriam fugido com uma bolsa de dinheiro que estaria na mala.
De acordo com a assessoria de imprensa da corporação, o comando do 25º BPM informou que os policiais faziam transporte de valoresOs PMs faziam o transporte de R$ 6 milhões da empresa de valores Express. quando, na altura de São Pedro da Aldeia, foram fechados por dois carros. O soldado teria perdido o controle do veículo, que caiu nas margens da pista. Ainda segundo o comando, parte do dinheiro foi roubado. Os criminosos fugiram. O caso está sendo investigado pela 125ª DP (São Pedro d’Aldeia).


IPM 'absolve' oficial da morte do Amarildo

JORNAL O DIA 


O Inquérito Policial Militar (IPM) ‘absolveu’ o major Edson dos Santos da acusação de ter cometido crime militar no caso do desaparecimento e morte do pedreiro Amarildo de Souza, de 48 anos, em 14 de julho do ano passado. O oficial era suspeito de ter participado de ação montada para duas testemunhas mentirem em depoimento e sustentarem que a vítima fora assassinada pelo tráfico de drogas. Para a PM, no entanto, só o terceiro sargento José Augusto Lacerda, o soldado Newland Júnior e o soldado Bruno Athanázio foram os responsáveis pelo crime de corrupção a testemunhas. Eles serão avaliados ainda por Processo Administrativo Disciplinar (PAD).
O inquérito determinou ainda que o homem de confiança do major Edson, o soldado Rodrigo Avelar, infiltrado na operação Paz Armada, que prendeu Amarildo, seja investigado pelo desaparecimento de cinco fuzis. Ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, local onde a vítima foi capturada, o oficial está preso, com outros 12 PMs, acusados de envolvimento no crime. Na 35ª Vara Criminal, o oficial responde por tortura, ocultação de cadáver, formação de quadrilha e fraude processual, por ter agido em conjunto com os subordinados para subornar testemunhas. Do total, 25 são réus na Justiça comum
A solução do inquérito, chancelada pelo comandante da PM, José Luís Castro, e o corregedor, Sidney Camargo, ainda vai passar pelo crivo do Ministério Público que atua junto à Auditoria de Justiça Militar. Na própria PM não houve consenso sobre a ‘absolvição’ do major Edson. No documento, publicado no Boletim Interno da corporação, o encarregado do inquérito, major Fábio de Sá Romeu, entendeu que o major Edson participou com outros policiais do crime contra a Administração da Justiça Militar.
Durante as investigações, o encarregado também foi ofendido pelo terceiro sargento Jeferson Kleber Ferreira, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que terá que se defender da acusação. De acordo com a assessoria de imprensa da PM, parte do procedimento administrativo, que define se um policial vai ser excluído da corporação, ainda será concluído. Com relação aos oficiais, o processo administrativo é feito na estrutura da Secretaria de Segurança. Porém, a demissão depende de processo que tramita na Seção Criminal, do Tribunal de Justiça.
Cinco fuzis desaparecidos
Peça-chave no esquema montado na operação Paz Armada, que tinha objetivo de combater o tráfico de drogas na Rocinha, o soldado Rodrigo Avelar vai ter que dar explicações sobre o desaparecimento de cinco fuzis, que estariam em poder de traficantes. A abertura de sindicância foi feita no Inquérito Policial Militar.
Avelar não vai ser punido por falso testemunho. É que ele prestou depoimento na 15ª DP (Gávea) alegando ter recebido ligação do traficante identificado como Thiago da Silva Mendes Neris, o Catatau, avisando que Amarildo teria sido morto pelo tráfico de drogas. Ele modificou o depoimento na 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), alegando que não sabia de quem havia recebido a ligação.
Na realidade, Avelar havia falado pelo telefone com Marlon Campos Reis, que estava ao lado do soldado Douglas Vital: ambos também estavam lotados na UPP da Rocinha.
Pressões ao encarregado do inquérito
Não faltaram pressões sobre o encarregado do Inquérito Policial Militar, major Fábio de Sá Romeu, segundo o que foi publicado no Boletim da corporação. Segundo o documento publicado ontem, durante as investigações, o primeiro sargento Marco Antônio Pires do Carmo descreveu que em 10 de dezembro de 2013, um Peugeot 206, cuja placa não foi anotada, com dois homens, rondou a casa do major.
Além disso, durante a apuração, o terceiro sargento Jeferson Kleber Ferreira, do Batalhão de Operação Especiais, teria feito comentários impróprios sobre o trabalho de investigação do caso Amarildo, em 5 de novembro do ano passado. A conduta do militar será avaliada disciplinarmente. A PM já determinou que ele apresente sua defesa.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Bombeiros terão banda e festa pelos 158 anos

 
Concerto da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, às 20h, de quinta-feira agora, comemora os 158 anos da corporação. Será no quartel central dos bombeiros,  na Praça da República, no Centro do Rio.
 Aberto ao público, o evento terá a participação do ator Milton Gonçalves, representando Anacleto Augusto de Medeiros, primeiro maestro na banda. Além disso, Dudu Nobre vai acompanhar a banda. O repertório será de música popular brasileira e o espetáculo terá luz, som, efeitos especiais, gaitas escocesas e show pirotécnico.

Viúva e amante são presos suspeitos de matar sargento da PM

O policial foi  assassinado em casa no dia 26 de maio deste ano,  na Rua Abílio Barreto, em Guaratiba. O PM dormia quando foi baleado. Ele chegou a ser levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande, mas não resistiu. Para não levantar suspeitas, a cena do crime foi montada para dar a entender que o PM sofrera uma assalto: as duas armas dele, uma pistola e um revólver foram levados

A viúva, o amante e a mãe dela foram presos por policiais militares do 40º BPM (Campo Grande), na manhã desta quarta-feira, suspeitos da morte do sargento Marco Aurélio da Silva do Nascimento, lotado naquele batalhão. Os três são suspeitos de planejar a morte do PM. Já uma quarto homem, também já detido, teria sido o executor do assassinato. Todos os quatro tiveram a prisão decretada pela Justiça e foram capturados nos bairros de Guaratiba e Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.
Segundo informações do Serviço Reservado (P-2) do 40º BPM, a viúva Maria Helena Goulart, de 20 anos, seu amante, Fabrício Almeida Teixeira, de 28, e a mãe da jovem, Shirley Leal do Nascimento, de 54, planejaram o crime para ficar com os bens do sargento - entre eles, uma casa, um comércio e um carro - e o dinheiro do seguro de vida. Amigo de Maria Helena e Fabrício, Adjan Andrade José dos Santos Nascimento, de 20 anos, foi contratado para executar o crime.