domingo, 31 de agosto de 2014

Candidato posta foto do cartão de respostas e é desclassificado do concurso da PMERJ

O candidato Alberto Barros Diniz Junior foi desclassificado do concurso de soldados da Polícia Militar do Rio de Janeiro enquanto fazia a prova, neste domingo.
O candidato, que realizava o teste no campus Centro da Estácio de Sá, na Av. Presidente Vargas, teria postado uma foto do cartão de respostas em branco em uma rede social, através do celular, em plena sala de aula. É proibido usar qualquer tipo de aparelho eletrônico durante a prova.
Alberto deixou a sala e não terá sua prova corrigida. O caso foi registrado na 6ª DP.

Policiais militares acusados de estuprar mulheres no Jacarezinho são expulsos da corporação

O Comando da Polícia Militar informou neste domingo (31) que excluiu os quatro policiais militares suspeitos de terem praticado crime de violência sexual contra duas mulheres e uma adolescente na comunidade do Jacarezinho na madrugada do dia 5 de agosto. Os quatro ainda respondem ao processo perante a Justiça.
Segundo a PM, teriam praticado o crime de violência sexual os soldados Gabriel Machado Mantuano, Renato Ferreira Leite, Anderson Farias da Silva e Wellington de Cássio Costa Fonseca. "A conduta grave desses policiais militares, em desacordo com os ensinamentos recebidos durante a formação, atentou contra o sentimento de dever e decoro da classe. A ocorrência deste crime, por agentes garantidores da lei, é inadmissível", justificou o comando da PM.

O perfil do policial militar que combate a violência no Rio

Atualmente, a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro tem sido alvo de críticas devido ao comportamento de alguns PMs. Mas, a população não conhece quem  está por trás de uma simples farda. Até Agosto de 2014 foram registradas 14 mortes de policiais em serviço e outras 59 durante suas folgas. Os dados foram confirmados pela assessoria da corporação.
Para ser um policial militar, o candidato passa por uma prova objetiva, realizada através de concurso público, além de provas práticas, testes físicos, exames médicos e, ainda, pesquisa social.
Depois disso, o concorrente é encaminhado para o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, na Zona Oeste, onde faz um curso para formação de soldados. O aspirante à vaga passa por um curso de formação que dura oito meses.


Em entrevista ao Portal Manchete On Line, o Coronel Frederico Caldas, atual comandante-geral das Unidades de Polícia Pacificadora (Upps), esclareceu questões importantes.
Segundo ele, a função de um policial militar são as que estão previstas no Artigo 144 da Constituição Federal, ou seja, a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública.
Caldas destacou que a Polícia Militar do Rio trabalha 24 horas por dia. “A presença da PM pode estar através de um policial a pé, de viatura, seja atuando para evitar que um crime aconteça, seja em operações policiais”, disse o oficial. 
Existe um Regulamento de Promoção de Praças para aqueles que desejam seguir carreira dentro da corporação, onde são determinadas as condições de acesso à graduação superior. Normalmente, um acordo de tempo de serviço, cursos obrigatórios e situação disciplinar.  Em ordem crescente, os níveis hierárquicos são: Soldado, Cabo, 3º Sargento, 2º Sargento, 1º Sargento e Subtenente.

Quem está por trás da farda azul?
Caldas destacou que ainda não existe uma pesquisa socioeconômica para traçar o perfil do policial militar, mas, para entrar na corporação o candidato precisa ter o Ensino Médio completo e faixa etária entre 18 e 30 anos. Ele acrescentou que não é incomum encontrar policiais com cursos de graduação em nível superior ou mesmo pós-graduação.
“Não seria absurdo afirmar que somos recrutados majoritariamente nas classes sociais C, D e E. Apesar dos riscos da profissão, nossos concursos de acesso são bastante procurados, talvez por serem acessíveis, democráticos, meritórios e impessoais”, explicou o comandante.
Os militares correm vários riscos diariamente, o maior deles é arriscar a própria vida. A principal precaução de um PM é desenvolver as atividades sem oferecer perigo a si próprio, aos seus companheiros e, de uma maneira geral, a comunidade. E para que isto seja realizado com sucesso ele precisa confiar em seu treinamento, nos colegas de serviço e no seu equipamento.
Quando um PM morre dentro da corporação quando um PM morre é visto como ‘mais um sol que nasce’, no entanto nem todos sabem o significado desta expressão. Frederico Caldas afirmou que o fato de perder um companheiro é o mesmo que perder o sol, que é tão importante para nossa vida. Na verdade, é um verso da Canção do Policial Militar, cuja letra completa é a seguinte:

“Em cada momento vivido
uma verdade vamos encontrar
Em cada fato esquecido
uma certeza nos fará lembrar
Em cada minuto passado
mais um caminho que se descobriu
Em cada soldado tombado
Mais um sol que nasce no céu do Brasil
Aqui nós todos aprendemos a viver
demonstrando valor, pois o nosso ideal
é algo que nem todos podem entender
na luta contra o mal!
Ser Policial
é, sobretudo, uma razão de ser
É, enfrentar a morte,
mostrar-se um forte
no que acontecer
Em cada pessoa encontrada
mais um amigo para defender
Em cada ação realizada
um coração pronto a agradecer
Em cada ideal alcançado
uma esperança para outras missões
Em cada exemplo deixado
mais um gesto inscrito em nossas tradições
Em cada instante da vida
nossa polícia Militar
será sempre enaltecida
em sua glória secular!
Em cada recanto do Estado
deste amado Rio de Janeiro,
faremos ouvir nosso brado,
o grito eterno de um bravo guerreiro!
 Ser Policial
é, sobretudo, uma razão de ser
É, enfrentar a morte,
mostrar-se um forte
no que acontecer.”


Má conduta de alguns policiais reflete na corporação
O Coronel Frederico Caldas disse que esta informação é discutível. “É questionável a afirmação que o policial, de uma maneira geral, é mal visto. Certamente, as ações equivocadas de alguns policiais causam, em maior ou menor grau, desgaste à imagem da instituição, pois se espera de um policial, dentre outras coisas, a repressão ao crime – e não o seu cometimento. Mesmo com esse desgaste, vemos cada vez mais que as comunidades demandam a nossa presença, sobretudo aquelas que ainda não possuem UPP”, lembrou o oficial.
Em muitas comunidades pacificadas alguns moradores ainda ficam receosos com a presença dos PMs. Mas, Caldas garantiu que este temor é temporário e que a corporação trabalha arduamente parta retirar este rótulo.
“No que diz respeito à abordagem, foi produzido um manual, que está em fase final de aprovação por parte do Comando da Corporação e que será distribuído para todos os policiais militares das UPPs. A distribuição é parte de um movimento maior que inclui instruções e workshops, no sentido de atualizar e sensibilizar o policial a realizar abordagens com maior ética, respeito e educação. Quanto à permanência das UPPs nos locais, procuramos mostrar nas nossas ações diárias que o nosso compromisso com as comunidades é permanente e que viemos para ficar”, falou Frederico Caldas.
O oficial lembra que também existem ações punitivas para aqueles que têm desvio de conduta. Caldas traçou um panorama decisivo falando dos últimos anos. “A Corregedoria Interna da Polícia Militar foi redimensionada, tornando-se mais abrangente. Mais Delegacias de Polícia Judiciária Militar foram criadas, entre elas uma para atuar junto às UPPs”, finalizou o Comandante Geral das UPPs.

sábado, 30 de agosto de 2014

Cantineiro é detido com 15 celulares na Penitenciária Lemos Brito


Celulares encontrados dentro de caixas de bombons (Foto: Divulgalção/ SEAP)
O cantineiro da Penitenciária Lemos Brito, André Ramos da Rosa, de 35 anos, foi preso na manhã deste sábado (30), com 15 celulares que estavam escondidos dentro de três caixas de bombons, nas dependências da penitenciária, informou a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Denúncias fizeram com que a Coordenação das Unidades Prisionais do complexo Penitenciário de Gericinó e a direção da Penitenciária Lemos Brito realizassem o flagrante. Segundo a polícia o material seria entregue ao interno Alexandre Silva de Almeida, acautelado no mesmo local. Todos os envolvidos foram levados para 34ª DP, dentro do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. A Seap vai abrir uma sindicância interna para apurar o ocorrido.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Traficante oferece R$ 200 mil a PM ao ser preso

 Foi preso nesta quarta-feira (27) um dos chefes do tráfico do Morro da Providência, Centro da cidade. Como mostrou o Bom Dia Rio nesta quinta-feira (28), Aldinei Marcos da Costa Júnior, conhecido como Audi, ainda tentou subornar os PMs, oferecendo R$ 200 mil para ser liberado no caminho da delegacia. Segundo a polícia, o homem é suspeito de ordenar ataques a base da UPP da região.
A prisão foi feita em um dos acessos da comunidade, durante um patrulhamento de rotina. De acordo com os agentes, Aldinei foi parado em uma blitz por agentes da UPP e entregou uma habilitação falsa, mas foi reconhecido. O Disque Denúncia oferecia uma recompensa de R$ 1 mil por informações sobre o criminoso, que chegou a ser preso duas vezes, em 2006 e 2008.
Ainda segundo as investigações, Audi era responsável por comprar e distribuir armas para os criminosos do Morro da Providência. Após a prisão, a segurança foi reforçada na comunidade com apoio de PMs de outras UPPs próximas. Nenhuma troca de tiros foi registrada durante a noite.

Onde está o Secretário de Estado da Segurança Pública?

Polícia Civil desmonta arsenal do tráfico dentro de mata em Cabo Frio.

A maior apreensão de drogas, armamento e munição realizada este ano na Região dos Lagos foi deflagrada em uma ação que durou cerca de quatro horas por agentes da 126ª DP (Cabo Frio) na segunda-feira (26). Liderados pela delegada Flavia Monteiro de Barros, os policiais encontraram o material escondido dentro de uma mata no bairro Perynas, próximo à Praia do Siqueira, depois que dois fuzileiros navais, que realizavam treinamento no local, encontraram dois tonéis lotados de munições. Os militares comunicaram o fato à delegacia, que enviou equipes ao local, vasculhado por várias horas pelos policiais.

Ao todo, foram 13 barricas, 7.800 cápsulas de diversos calibres, cinco revólveres, 39 pistolas, uma carabina, um adaptador de pistola, 68 tabletes de maconha e 65 de cocaína, sendo que cada uma com aproximadamente um quilo, além de um colete, caderno com anotações do tráfico. quatro rádios transmissores, 66 carregadores de pistola e fuzil e uma pedra de crack com cerca de dois quilos.

Um dos itens que mais chamou a atenção da delegada foi o adaptador de pistola de uso restrito das Forças Armadas, um acessório considerado novo no mercado e de alta letalidade

- A utilização deste equipamento aumenta muito a precisão do tiro e trata-se de um equipamento pouco comum – observou a titular.

Segundo Flavia Monteiro, a investigação sobre a procedência do material será aprofundada nos próximos dias e a delegada não descartou a hipótese de o material estar ligado a uma facção criminosa que domina o tráfico de drogas na Praia do Siqueira. A titular ressaltou que as informações contidas no caderno de anotações irão auxiliar muito na apuração dos fatos.

A delegada lembra ainda que a apreensão de drogas e armamento em Cabo Frio aumentou em 30% neste primeiro semestre do ano com relação ao mesmo período de 2013. Segundo ela, as taxas de homicídio também caíram nestes quatro meses em que comanda a delegacia.

- A população está ajudando bastante com provas testemunhais, mensagens privadas em redes sociais, já que confia no trabalho da polícia. Garantimos o total sigilo e , mais uma vez, convocamos os moradores a participar deste trabalho, que significa mais segurança para todos – observou a delegada

O chefe do Setor de Investigação, Renaldo Caiazzo, ressaltou a preocupação em não encontrar nenhum fuzil no local. Segundo ele, a equipe percorreu mais de três quilômetros num local de difícil acesso.

- Encontramos muita munição de fuzil, mas nenhum fuzil. Acreditamos que esteja escondido em algum outro lugar. O local, de difícil acesso, era utilizado como esconderijo para dificultar qualquer busca - disse Caiazzo.

PM reage a assalto e mata dois ladrões no Aterro do Flamengo

 
Um policial militar reformado reagiu a um assalto dentro de um ônibus e matou dois assaltantes na manhã desta quarta-feira, no Aterro do Flamengo. Foi dentro de um coletivo da linha 132, que estava na altura da Rua Buarque de Macedo, no Catete. De acordo com a PM, o policial levantou e atirou contra eles assim que os assaltantes começaram a agir. Um terceiro bandido ficou ferido, assim como o policial, que sofreu um ferimento de raspão no braço e foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, mas passa bem.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Agente Socioeducativo do Degase é agredido por internos do CRIAAD Nilópolis

Agente-Socioeducativo-Jose-Luis-Bispo-1 
O Agente Socioeducativo José Luis Bispo, do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (CRIAAD) unidade de semiliberdade do DEGASE, em Nilópolis foi agredido nesta semana por adolescentes quem cumprem medidas socioeducativas. Os internos, que estudam na rede pública, agrediram um aluno da escola e fugiram de volta para o CRIAAD. Revoltados, um grupo de jovens da escola partiu para revidar a agressão e buscaram os internos na porta da unidade. Como as unidades de semiliberdade possuem menor segurança do que as de internação, houve invasão do grupo no CRIAAD.
O agente tentou intervir para impedir a entrada dos invasores, quando foi agredido com socos pelos próprios internos do CRIAAD.
Foi feito o Boletim de Ocorrência da agressão na Delegacia da região e os internos foram levados para o CRIAAD Nova Iguaçu.
O agente recebeu chutes e socos dos internos. Eram quase 30 estudantes para invadir a unidade. A vítima da agressão está com dificuldades para andar, pois teve distensão muscular, escoriações e lesões. Está se recuperando em casa, bastante abalado.

Ativistas fazem topless em protesto contra PMs acusados de estupro


As ativistas feministas Sara Winter e Bia Spring faziam, na tarde deste domingo (24), topless em frente à UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Jacarezinho, na zona norte do Rio, contra policiais da unidade acusados de terem estuprado três moradoras na comunidade do Jacarezinho no dia 5 deste mês. 

Estranho é saber que :
Sara Winter diz que é amiga da Maria UPP / Programa Superpop ( vídeo)

TRÊS POLICIAIS CIVIS SÃO EXPULSOS POR ENVOLVIMENTO COM O TRÁFICO DE DROGAS

Três policiais civis denunciados na Operação Guilhotina, em 2011, por envolvimento com traficantes e milicianos, foram expulsos da corporação. Após indiciados e presos por algum tempo, a exclusão dos inspetores Leonardo da Silva Torres, o Trovão, e Flávio de Brio Meister e do investigador Jorge Prado Ramos foi assinada na última sexta-feira pelo secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.
Entre os primeiros policiais expulsos da Civil em decorrência da operação está um antigo conhecido dos cariocas, o Trovão. Considerado exemplo de eficiência na polícia, ele foi um dos autores do episódio que ficou conhecido como Chacina do Alemão, em 2007, em que 19 suspeitos de tráfico foram mortos. O inspetor, que já foi lotado na Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), foi acusado de negociar armas e informações, além de receber propina no valor de R$ 100 mil do tráfico de drogas.
Flagra pelo telefone
O inspetor foi flagrado em uma interceptação telefônica na qual reclama de um policial por ele não ter “entocado” dois fuzis apreendidos em uma operação. Pelo armamento, Trovão conseguiria R$ 150 mil.
Leonardo ficou conhecido pelo comportamento adotado durante operações da Polícia Civil.
Com roupas camufladas e equipamentos utilizados por exércitos estrangeiros, ele tinha o costume de fumar charutos ao fim das incursões com o intuito de “espantar os males”. Trovão, que ganhou destaque nos jornais do Rio há sete anos durante a operação no Complexo do Alemão, também participou do documentário britânico Dançando com o Diabo.
A Operação Guilhotina, desencadeada pela Polícia Federal no dia 11 de fevereiro de 2011, indiciou 45 pessoas, entre delegados e policiais civis e militares. O objetivo era desbaratar uma quadrilha de policiais acusada de vender armas e informações a criminosos, além de subtrair produtos de crime encontrados em operações, como ocorrido no processo de pacificação do Complexo do Alemão. Os agentes contavam com o apoio até de lanchas e helicópteros.
As investigações foram iniciadas a partir de vazamento de informações numa operação conduzida pela PF em 2009, que tinha como principal objetivo prender o traficante Rupinol, que atuava na Favela da Rocinha junto de Nem, então chefe do tráfico. Nem, que está preso, pagava até R$ 100 mil para receber proteção e informações de operações.

Rio é o estado com mais policiais candidatos

O Rio é o estado com o maior número de policiais candidatos: 103 — 20 civis e 83 militares. Com 3.174 postulantes, está à frente até de São Paulo, que tem 3.676, sendo 60 policiais. Pela lei eleitoral, essa tropa — que representa quase a metade do efetivo da UPP da Providência, com 209 PMs — precisa deixar delegacias e batalhões para participar da disputa. Neste grupo, pelo menos dois são investigados por tentativa de homicídio, roubo e extorsão mediante sequestro.
O sargento Adeílton Guilherme de Oliveira, candidato a deputado estadual pelo PTN, responde na Justiça a um processo pela tentativa de homicídio de seu ex-cunhado. Segundo as investigações da 64ª DP (Vilar dos Teles), a vítima, Carlos José Soares Batista, afirmou em depoimento que não viu quem foi o autor dos seis disparos que atingiram seu pescoço, barriga e peito no dia 25 de setembro de 2008. Entretanto, ele aponta Adeílton como mandante do crime, por conta de brigas que teve com a irmã do candidato, de quem se separou na época.

Hoje, o processo está nas mãos do juiz Leonardo Rodrigues da Silva Picanço, que decide se o réu irá a juri popular. Adeílton nega as acusações.
— Estava em casa no momento do crime, e até hoje convivo pacificamente com meu ex-cunhado — afirma.
Outro envolvido em processos na Justiça é o PM Marcelo Santana, candidato a deputado estadual pelo PSB. Segundo o MP, Marcelo e outros três PMs abordaram e revistaram dois homens no dia 18 de março de 2008. Após a revista, roubaram R$ 1.860 das vítimas. Ainda segundo a denúncia, os PMs agrediram, fizeram ameaças de morte e exigiram que a dupla pagasse R$ 20 mil para que fossem liberadas. Procurado, o advogado de Marcelo não foi encontrado.

Apesar de estarem com pendências na Justiça, Adeílton e Marcelo podem concorrer. Segundo o procurador Paulo Bérenger, candidatos condenados em primeira instância não têm ficha suja.
— Para ser incluído na lei, o candidato precisa ser condenado em segunda instância (quando se julga recurso) — explica o procurador.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

PMS PRESOS INJUSTAMENTE

Os quatro policiais militares que estavam presos acusados da morte do jovem Fabiano de Oliveira Braga, de 17 anos, foram soltos. O rapaz morreu durante uma abordagem feita pelos PMs no dia 23 de fevereiro deste ano, na esquina das ruas Maria José e Conde de Linhares, em Oswaldo Cruz, na Zona Norte do Rio. A juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria de Justiça Militar, determinou a revogação da prisão dos soldados depois que o laudo complementar da necropsia mostrou que a causa da morte do rapaz foi intoxicação por cocaína.


Fabiano Braga, morto na madrugada de domingo 
Leia a reportagem do Jornal Extra

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Delegado sofre tentativa de assalto em Benfica

O delegado Rodrigo Barros, adjunto da 25ª DP (Engenho Novo), reagiu a uma tentativa de assalto na Rua Ana Néri, em Benfica, bairro da Zona Norte do Rio, na manhã desta quarta-feira. A informação é do 22º BPM (Maré). Ainda segundo o batalhão, a vítima reagiu e atirou, ferindo pelo menos três suspeitos. Um deles morreu no local e os outros foram levados para o Hospital Souza Aguiar, no Centro. Um menor foi apreendido. Ainda não há informações sobre a identidade dos baleados.

O carro do delegado ficou os vidros perfurados 
De acordo com a PM, quatro bandidos em duas motos vinham fazendo assaltos na Ana Néri se aproveitando do engarrafamento na via. Antes do delegado, uma mulher havia sido assaltada. O policial foi abordado em seguida. No momento dos tiros, houve pânico e correria na rua. Um suspeito ainda tentou fugir, mas acabou ferido duas quadras após o local do assalto, na Rua Doutor Rodrigues de Santana.
O carro do delegado, uma EcoSport branca, ficou no local do crime com os vidros perfurados, já que o policial atirou de dentro do veículo. As duas motos usadas pelo bando também foram encontradas na rua. Os quatro suspeitos seria da Favela do Mandela, no Complexo de Manguinhos.

Dezenas de curiosos foram ao local 


terça-feira, 19 de agosto de 2014

PM é carbonizado e dois homens são torturados em Belford Roxo

Jornal BELFORD ROXO

Um Policial Militar foi encontrado carbonizado nesta segunda-feira (18/08) na mala do seu carro, dentro da Comunidade do Gogó da Ema, em Belford Roxo, por volta das 5:30 horas. 

Douglas Costa da Silva, de 22 anos, era lotado na UPP Fazendinha. Ele foi sequestrado num posto de gasolina junto com mais dois amigos que foram torturados e depois liberados. Um entre eles teve em seu rosto escrito a sigla da facçao "CV" (ver foto abaixo).

O carro com o corpo do policial carbonizado foi encontrado na rua Begonia, no Gogó da Ema, no Bom Pastor, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.



UM COMANDANTE SEM COMANDADOS


MAIS DOIS POLICIAIS MILITARES SÃO MORTOS

Mais um policial foi morto por criminosos na noite desta segunda-feira (18) no Rio, em um dos acessos ao Morro da Pedreira, em Fazenda Botafogo, no Subúrbio. O subtenente Marcelo Dantas dos Santos trabalhava no Batalhão de Rocha Miranda. 
Amigos  do policial não quiseram gravar entrevista, mas disseram que o traficante Playboy, chefe do tráfico do Morro da Pedreira, teria ordenado a morte de policiais que trabalham na região.

*Na madrugada de segunda, traficantes sequestraram o soldado Douglas Costa Silva, da UPP da Fazendinha e outros dois amigos, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Os amigos do policial foram torturados e liberados em seguida. De manhã, um corpo carbonizado foi encontrado dentro de um carro, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. A Divisão de Homicídios pediu um exame de DNA para saber se o corpo é ou não do soldado.

Outro PM atacado
Um sargento do Batalhão do Méier também foi atacado por bandidos por volta das 21h desta segunda-feira. Ele estava em uma blitz, em Inhaúma, na Zona Norte, quando homens em uma moto passaram atirando. O policial foi atingido na perna e nas costas, foi internado no hospital da PM.

domingo, 17 de agosto de 2014

Ciclista agride guarda municipal, é preso e debocha

O guarda municipal Odilio do Nascimento Neto foi agredido por um ciclista hoje à tarde perto do Posto 12, no Leblon, Zona Sul do Rio. O agressor foi detido por policiais do 23º BPM (Leblon), e levado para a 14ª DP, onde está preso e foi autuado por tentativa de homicídio. Segundo testemunhas, o guarda levou um soco depois de ter advertido o ciclista de que não poderia fazer manobras com muita velocidade na orla, fechada para área de lazer.
Ao receber o cruzado, o guarda caiu (repare na foto) e bateu a cabeça na calcada da ciclovia, desmaiando. Ainda segundo testemunhas, o guarda começou a perder muito sangue e o ciclista, não satisfeito, pegou sua bicicleta e ia continuar agredindo o agente, que estava desacordado. Nessa hora, os pedestres interferiram, chamando a polícia. Dois guarda-vidas também pararam para ajudar.
O ciclista foi preso pela PM. No carro da polícia, veja na foto abaixo, ele ficou o tempo todo rindo e debochando das pessoas que gritavam, chamando-o de assassino e bandido. O guarda foi socorrido por uma ambulância do Samu.

Estrangeiro é atacado por morador do morro Chapéu Mangueira


Rafael é irmão do candidato a deputado Federal  pelo Psol, Dinei Medina
Um homem foi preso após ferir com um objeto cortante um dinamarquês na comunidade do Chapéu Mangueira, no Leme, Zona Sul do Rio. Suspeito de cometer o crime, Rafael Vicente Ferreira Medina, de 23 anos, foi levado para a delegacia em flagrante e detido por tentativa de homicídio na sexta-feira (15).
O dinamarquês, que não teve o nome revelado pela Polícia Civil, prestará depoimento, ele foi internado no Hospital Municipal Miguel Couto.
O suspeito foi encontrado pela equipe comandada pelo Sargento Marco Aurélio da UPP Chapéu Mangueira/Babilônia, acionada após o alerta de um taxista que passava no local. O caso foi registrado na 12ª DP (Copacabana).

CHEGA DE ESCRAVIDÃO - Escala Digna na PMERJ e CBMERJ 12x48 // 24x72



TRATA-SE DA ESCALA DESUMANA DE SERVIÇO DA PMERJ, ONDE UM MILITAR PODE FICAR SUBMETIDO A UMA ESCALA 24X24, 24X48, 12X24, 12X48 ALÉM DE DIVERSAS OUTRAS ESCALAS, EM QUE NÃO É RESPEITADA A RESOLUÇÃO SSP 510/2002 DE 44 HORAS DE TRABALHO SEMANAIS, E O QUE É PIOR, SEM A DEVIDA REMUNERAÇÃO. continue lendo AQUI

ACONTECEU EM CAMPOS DO JORDÃO

 
Uma senhora de 92 anos morreu na manhã desta sexta-feira, em Campos do Jordão, após ser atacada por três cães da raça rottweiler.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o ataque aconteceu por volta das 9h20 em uma casa no bairro Vila Nova Suiça.

Os bombeiros e a PM foram chamados após um vizinho que mora na casa da frente, escutou os gritos da vítima. Quando chegaram no local, os policiais viram os cachorros em cima da senhora que foi arrastada para o quintal da casa.

Para conter o ataque, os policiais dispararam contra os cachorros. Dois deles morreram e um ficou ferido e foi levado para o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) da cidade.

A vítima foi socorrida e levada para o pronto-socorro municipal com ferimentos no rosto e nos membros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

MORAL DA HISTÓRIA: o delegado indiciou os PMs por Crime ambiental. Alegou exagero por parte dos policiais militares.
O delegado apreendeu a pistola dos PMs e pediu autópsia para os cães.

PMs do batalhão de São Gonçalo são vítimas de assalto após deixarem o serviço

O SÃO GONÇALO
Dois policiais lotados no 7ºBPM (São Gonçalo) foram vítimas de dois assaltos, durante a noite de quinta-feira, em diferentes pontos da cidade. No Mutuá, um soldado foi rendido e teve o carro e outros pertences roubados. Depois de buscas, dois homens acabaram presos. Já na Trindade, próximo ao batalhão, um outro policial também foi abordado, mas conseguiu impedir o assalto e apreendeu dois adolescentes.
Crimes - De acordo com policiais da 73ªDP (Neves), o soldado foi abordado por dois homens armados, no Mutuá, quando chegava na casa do pai, um policial reformado. Conforme a vitima, a dupla anunciou o assalto e levou seu celular, o relógio e o carro. 
Com ajuda do pai, o policial fez uma busca pela região e, na Avenida Presidente Kennedy, no Centro de São Gonçalo, conseguiu recuperar seu veículo. A dupla ainda tentou fugir trocando tiros com os PMs, mas Jhony Cruz Barbosa, de 20 anos, acabou preso. João Batista da Costa Silva, 24, foi baleado, abandonou um revólver calibre 38 e fugiu. Minutos depois, ele deu entrada no Pronto Socorro de São Gonçalo e acabou preso. 
Na Trindade, o policial foi abordado atrás do batalhão, quando entrava no seu carro. Dois adolescentes, de 13 e 16 anos, usaram uma arma de brinquedo assaltar o militar, que reagiu e apreendeu a dupla.

Os registros foram feitos na 73ª DP (Neves), onde as armas foram apreendidas e os maiores autuados por latrocínio tentado e os menores por fato análogo ao crime de roubo.

sábado, 16 de agosto de 2014

ESTATUTO REGULA USO DE ARMA POR GUARDAS MUNICIPAIS

Guarda de Salvador já era autorizada a usar arma de fogo. Foto: Correio 24Horas.
A presidente Dilma Rousseff sancionou hoje (15) sem vetos o Estatuto Geral das Guardas Municipais (Lei 13.022/2014). O dispositivo regulamenta a carreira dos guardas municipais e autoriza expressamente o uso de arma de fogo por esses profissionais.
A decisão de armar suas guardas cabia aos municípios. Agora, de acordo com o estatuto, o direito ao porte de arma só poderá ser negado ou suspenso em decorrência de restrição médica, ordem judicial ou justificativa apresentada por autoridades estaduais.
A categoria vibrou com a aprovação do estatuto. O merecido plano de carreira valoriza os profissionais. Para muitos, a polêmica reside no porte de arma. Questionam se o treinamento oferecido pelos municípios preparou os guardas para essa responsabilidade. Outros alegam que para poder usar arma, o guarda também precisará fazer um curso preparatório, o que o colocará em condição de igualdade com os policiais militares. O jornalista e ex-guerrilheiro Cid Benjamin classificou a sanção como “barbaridade”. “A presidente sancionou o escandaloso projeto que dá poder de polícia às guardas municipais de todo o país e permite que seus integrantes usem armas de fogo. Dentro em breve estaremos diante das consequências dessa insanidade que é permitir que cada prefeito, de Norte a Sul do país, tenha sua polícia particular”, comentou no Facebook.

Falso PM é preso por porte ilegal de arma

Falso policial é preso e levado para a 19ª DP (Tijuca), onde oi autuado por pote ilegal de arma de fogo.
Falso policial é preso e levado para a 19ª DP (Tijuca), onde oi autuado por pote ilegal de arma 
Ricardo Ernesto Machado da Silva foi preso por porte ilegal de arma de fogo, na noite desta quinta-feira, por policiais militares. Além de um revólver calibe 38 com numeração raspada, ele estava com uma carteira da Polícia Militar em nome de outra pessoa. No momento da prisão, o acusado se disse segurança da Vila Mimosa, a principal área de prostituição do Rio.

Comandante de Itaperuna escala Bombeiros de forma Irregular!

FONTE : http://www.sosbombeirosinterior.com/

Recebemos a denúncia de que bombeiros militares do efetivo do 21º GBM – Itaperuna, foram irregularmente escalados para trabalhar em sua folga pelo Comandante da Unidade, Maj BM Joelson e com participação do Cap BM Luiz Otávio da SOP. Além de não haver sequer uma Ordem de Serviço, os mesmos foram ordenados a trabalharem no domingo SEM REMUNERAÇÃO! Isso mesmo senhores, voltamos aos idos de 1.500! Segue o “documento”:

Honestamente, não conseguimos entender a dificuldade de alguns oficiais em entender que um DECRETO foi feito para ser respeitado pela Administração Pública!

Na hora de punir, usam um decreto (inconstitucional, diga-se de passagem) para prender o praça. Na hora de respeitar a escala, indenizar o praça pela sobrecarga de trabalho, estes mesmos oficiais ESQUECEM o Decreto Estadual nº 43.538, de 03 de abril de 2012 e sua devida regulamentação RESOLUÇÃO SEDEC Nº 20 DE 01 DE JUNHO DE 2012 publicada no BOLETIM DA SEDEC/CBMERJ NÚMERO 105 DE 05/06/2012!

 

E a hora-extra Major Joelson???

Senhores, a cada dia que passa, fica mais claro que SÓ JUNTOS, SOMOS FORTES! Aos militares escalados ilegalmente, sugerimos que procurem o Ministério Público e denunciem este fato. Aos demais leitores pedimos encarecidamente que ajudem estes bombeiros, compartilhando ao máximo essa postagem.


b

Hackers invadem site da Polícia Militar

O site da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) foi invadido por hackers nesta quinta-feira. Com o codinome “Bakunin Malvadão”, o invasor assumiu a autoria da ação em um perfil no Facebook. Ele postou, na página inicial da PM, a foto do filósofo russo Mikhail Bakunin. Morto em 1876, ele foi citado em inquérito da Polícia Civil após ser mencionado por dois manifestantes, em conversa grampeada durante a operação Firewall, que investigou 21 pessoas acusadas de promover a violência em manifestações.
A foto de Bakunin também foi postada na galeria de oficiais que já comandaram a corporação. Numa página do Facebook, escreveu o hacker:
“O CyberTerrorista Bakunim_Malvadão ataca novamente, mas agora foi estranhamente promovido a comandante”, ironizou.
A assessoria de imprensa da PM afirmou que, até o início da noite, não tinha detalhes sobre a invasão. O órgão também não soube informar quanto tempo o site ficou corrompido. Até as 20h, o site permanecia em manutenção.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

PM é flagrado agredindo e jogando água em morador de rua no Centro do Rio


Uma briga entre policiais militares que estavam de folga terminou com um policial morto

Os policiais  se desentenderam em um bar da Rua das Camélias, na Vila Valqueire, Zona Oeste da cidade. Até o início da manhã, não havia informações sobre o motivo da discussão. Ambos dispararam e foram atingidos.
O subtenente Antônio João Galberto de Brito, lotado no Batalhão Rocha Miranda, foi atingido na nunca e morreu no local. O PM José Luiz da Cruz, baleado na barriga, sobreviveu e foi internado no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde está internado sobre custória. Ele passou por cirurgia para a retirada da bala.
Segundo a Divisão de Homicídios da Polícia Civil, o soldado internado está sob custódia. Testeminhas foram ouvidas na madrugada desta quarta-feira (13). As armas dos policiais foram apreendidas para perícia. A intenção da polícia é ouvir o PM que sobreviveu ainda nesta quarta.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Operação contra o tráfico de drogas na Vila Aliança

Jogador do Flamengo é suspeito de envolvimento com miliciano

 
O jogador Luiz Antônio de Souza Soares, 23, meio-campo do Flamengo, está sendo investigado por manter relações com um miliciano da Liga da Justiça - maior milícia do Rio de Janeiro, baseada na zona oeste da cidade - e cometer crime de estelionato.
Luiz Antônio é suspeito de presentear com uma caminhonete Ford Edge o ex-PM Marcos José de Lima Gomes, o Gão, um dos chefes da Liga da Justiça.
Em seguida, o pai do jogador teria registrado o roubo do veículo na 42ª DP (Recreio), para receber o dinheiro do seguro.
"Ele presenteou o miliciano para ficar bem com ele e cometeu um estelionato, uma fraude com fim de receber o valor do seguro desse carro. Foi um familiar do jogador que comunicou falsamente o roubo desse carro", disse o delegado da Draco (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado), Alexandre Capote.
O Flamengo informou, em nota, que aguardará a conclusão da investigação para se manifestar.

LEIA: Policial que registrou roubo de carro de jogador do Flamengo está preso

PM é morto com tiro de fuzil no Fallet/Fogueteiro

 
Um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fallet/Fogueteiro, no Rio Comprido, na Zona Norte, foi morto na manhã desta terça-feira. De acordo com as primeiras informações, o soldado Weslley dos Santos Silva Lucas levou um tiro de fuzil no peito quando trabalhava na comunidade.
Ele ainda foi levado para o Hospital Central da PM, no Estácio, mas não resistiu aos ferimentos.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

PM é assassinado em Campo Grande

 Um policial militar morreu após sofrer uma tentativa de assalto, no início da madrugada desta segunda-feira, na localidade de Santa Margarida, em Campo Grande, na Zona Oeste. De acordo informações do 40ºBPM (Campo Grande), o cabo Fabrício Alves, de 35 anos, era dono de uma lanchonete e teria reagido a tentativa de assalto ao estabelecimento, sendo baleado.
Lotado no 9ºBPM (Rocha Miranda), o PM estava na corporação há sete anos. Ele foi levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, também em Campo Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A Divisão de Homicídios (DH) da Capital está investigando o crime.

PMs e BMs ativos podem ganhar por meio de ações na Justiça, um aumento de até 28% sobre seus vencimentos

BLOG DO SERVIDOR

Adilson Bandeira é capitão do Corpo de Bombeiros e entrou com uma ação para receber a incorporação correta da Geat.

 Policiais militares e bombeiros ativos do Rio que ingressaram nas corporações até maio de 2001 podem ganhar, por meio de ações na Justiça, um aumento de até 28% sobre seus vencimentos, além de valores atrasados que podem chegar a R$ 117 mil, dependendo do posto ou da graduação. O montante corresponde aos retroativos dos últimos cinco anos, no caso de um coronel de qualquer uma das corporações, segundo cálculos do escritório Jund Advogados Associados.
Inativos que estavam em atividade até 2001 também fazem jus à correção, assim como pensionistas cujos pais, maridos ou companheiros estava na ativa na época.
Os tribunais vêm decidindo em favor desses servidores, que não receberam corretamente a incorporação aos vencimentos da Gratificação Especial de Atividade (Geat). Criada em maio de 2000, o adicional era pago mediante o cumprimento de alguns requisitos, como assiduidade, pontualidade e disciplina.
Em 2001, porém, a Geat foi incorporada, por decreto, de maneira parcelada, entre junho de 2001 e maio de 2002. Seriam 12 prestações de 5,625%, mas os PMs e os bombeiros acabaram recebendo menos do que tinham direito.
— Com a incorporação, a Geat perdeu o caráter de ser paga apenas a quem estava trabalhando e se transformou num aumento geral — diz o advogado Carlos Henrique Jund.
O argumento foi usado numa das decisões favoráveis aos servidores. A mesma sentença relata que, num dos casos, a incorporação foi interrompida na 10ª parcela a que os policiais e os bombeiros teriam direito. “Os documentos (...) demonstram claramente que (...) houve equívoco no percentual aplicado”, afirma a sentença judicial.
— Essa ação é para conseguirmos os nossos direitos, que não nos foram dados. A incorporação não foi feita da maneira correta, e tivemos perdas salariais em todo esse período. Estou na expectativa por um parecer favorável, já que existem várias decisões semelhantes da Justiça em favor dos bombeiros e dos policiais militares — afirmou o capitão do Corpo de Bombeiros Adilson Bandeira, de 54 anos.
COMO RECORRER
Documentos
Para entrar com uma ação judicial, é preciso ter em mãos documento de identidade, CPF, comprovante de residência e contracheques do período de maio de 2001 a junho de 2002. É preciso ter um advogado. O processo vai correr no Tribunal de Justiça (TJ).
Prazo
Teria direito à correção quem entrou na PM ou no Corpo de Bombeiros até maio de 2001, porque a incorporação da Geat começou no mês seguinte. Quem se tornou policial militar ou bombeiro após essa data não chegou a receber o adicional no formato de gratificação. Portanto, a perda salarial não ficaria caracterizada.
Requisitos
Quando foi criada, em 2000, a Geat era paga a quem estava no efetivo exercício do cargo numa das duas corporações.
Férias e licenças
Se estivesse de férias ou de licença, o PM ou o bombeiro não recebia a Geat, exceto em casos de licença para um tratamento de saúde, desde que essa ausência fosse motivada por enfermidade relacionada ao desempenho de suas atividades.
Aumento
Quando foi determinada a incorporação da Geat aos soldos de PMs e bombeiros, o percentual de aumento fixado foi de 68%, em 12 vezes.
Perda
Como a incorporação foi feita com um valor incorreto, as perdas médias para os oficiais e os praças das duas corporações chegaram a 20,13% sobre o soldo e sobre as demais parcelas da remuneração calculadas com base nele, como os triênios, que são gratificações por tempo de serviço.
Decretos
O decreto que criou a Geat não previa a incorporação. Ao contrário, estabelecia que esse procedimento não aconteceria. Foi necessário um novo decreto para mudar a regra e permitir que esse adicional fosse somado ao vencimento básico, o que traz vantagens na hora de calcular outras bonificações, como os triênios, que são um percentual do salário-base.

domingo, 10 de agosto de 2014

Polícia Federal apreende mais de uma tonelada de maconha em Resende

Policiais da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal apreenderam na madrugada deste domingo mais de uma tonelada de maconha, em um posto de gasolina, na Rodovia Presidente Dutra, na entrada de Resende. Após uma denúncia anônima, a PF chegou ao local, por volta das 2h30 da manhã, e prendeu em flagrante o motorista Eliazar Longhini, de 53 anos, que levava a droga no meio de uma carga de sementes. A operação contou com o apoio do 10º BPM (Barra do Piraí) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO-RJ), do Ministério Público estadual do Rio.
Segundo a DRE, Eliazar contou que lhe ofereceram o serviço quando ele estava em um posto de gasolina, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, na sexta-feira. A pessoa que o contratou para levar os 1.219 quilos da droga o instruiu a dormir em Resende para depois seguir para o Rio. De acordo com uma fonte da PF, a maconha seria entregue no Complexo do Alemão, pacificada desde novembro de 2010 . Pelo serviço, Eliazar receberia R$ 50 mil.
O motorista vai responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e tráfico interestadual e pode pegar de cinco a 15 anos de prisão, em caso de condenação. A PF ainda investiga se ele tem passagens pela polícia. A droga será incinerada.

O caminhão que transportou a droga 
A droga estava entre sacos de sementes 

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Ex-vereador de Niterói e ex-presidente da Viradouro são presos por morte de PM

Agentes da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói e São Gonçalo e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prenderam na manhã desta quinta-feira o ex-vereador e ex-secretário de Segurança de Niterói, Marival Gomes da Silva e o ex-presidente da Unidos do Viradouro, Marco Lira. Eles são acusados se serem integrantes de uma quadrilha que explora máquinas de caça-niqueis em Niterói, na Região Metropolitana, além de participarem da morte do policial militar Carlos Elmir Pinto de Miranda, em junho de 2012.
Segundo investigações, o PM trabalhava como chefe de segurança de Marco Lira e recolhia o dinheiro arrecadado com os caça-niqueis. Carlos Elmir teria sido assassinado por estar omitindo os valores arrecadados e quantidade de máquinas existentes áreas dominadas pelo tráfico.
Um dos funcionários de Marival teria descoberto o "golpe" e o ex-vereador, de acordo com denúncia do MP, propôs a execução do policial militar tendo como condição a sociedade nos caça-niqueis omitidos pela vítima.
O crime, que aconteceu no dia 9 de junho de 2012, foi executado por Walter Carneiro da Silva Filho, Nathan Augusto da Silva Pereira, Anderson Luiz Portugal dos Santos e Sandro Borges Soares. Um outro homem, Érides Mendes, também participou do homicídio, mas morreu em troca de tiros com a vítima. Além dos mandantes, todos foram denunciados por homicídio e formação de quadrilha armada.

PM do Batalhão de Campo Grande é preso em operação contra milícia

Agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas (Draco) e do Ministério Público (MP) fizeram na manhã desta quinta-feira (7) em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, uma grande operação contra a milícia. Como mostrou o Bom Dia Rio, cerca de 350 agentes participaram da ação. Até as 7h30 duas pessoas tinham sido presas.
De acordo com as investigações da polícia, o grupo de milicianos cobrava taxas dos moradores e os que não pagavam poderiam ser expulsos de casa ou até mortos. O síndico de um condomínio do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ foi preso. Policiais encontraram na residência de Ademir Horácio de Lima anotações que fariam referência as pessoas que estavam em débito.
João Henrique Barreto, policial militar da ativa do Batalhão de Campo Grande, conhecido como Cachorrão, também foi preso. De acordo com a polícia, ele seria o chefe da quadrilha.

PM é morto durante confronto com traficantes em Niterói

O sargento Gerson Ferreira de Almeida, de 39 anos, atingido no pescoço, chegou a ser levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Segundo as primeiras informações, o policial que seria lotado no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Caramujo, teria sido baleado no pescoço. A troca de tiros entre policiais e traficantes teve início por volta das 21h desta quarta-feira. Moradores da região ficaram assustados com os disparos e relataram o intenso confronto através das redes sociais.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Menor que fingiu estar morto no Sumaré é apreendido com moto roubada


O menor de 15 anos que sobreviveu a uma suposta tentativa de execução por parte de PMs no Sumaré, na Zona Norte, foi apreendido com uma moto roubada nesta segunda-feira (4) na favela Parque União, no Conjunto de Favelas da Maré, segundo informou a polícia nesta quarta (6). Ainda de acordo com as autoridades, o adolescente foi levado para a 21ª DP (Bonsucesso) onde foi autuado por fato análogo ao crime de receptação. No dia 11 de junho, o menor foi baleado por PMs no Morro do Sumaré e sobreviveu após fingir que estava morto.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Polícia prende chefe da maior milícia da Zona Oeste


Policiais da Divisão de Homicídios prenderam, na tarde desta terça-feira, o criminoso Marcos José de Lima Gomes, conhecido como Gão, apontado como o chefe da maior milícia que atua na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele foi localizado pelos agentes em Cosmos,  portando um fuzil e outros armamentos.
Após a prisão do ex-PM Toni Ângelo, em julho do ano passado, Marcos o substituiu como número 1 da quadrilha.
Marcos, que também foi policial militar, e Toni Ângelo já haviam sido presos anteriormente, mas foram soltos pela Justiça no início de 2009. Na ocasião, os dois foram flagrados pelas câmeras do circuito interno de um shopping de Campo Grande circulando armados e sem o uniforme da corporação. As investigações apontaram que eles estariam buscando um rival do grupo paramilitar comandado pelo ex-deputado Natalino José Guimarães e seu irmão, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho. Os dois políticos encontram-se presos e respondem pelo crime de formação de quadrilha.

Mulheres acusam seis PMs de estupro

A defesa de um dos PMs diz que a denúncia foi uma armadilha de traficantes. 

Três mulheres fizeram registro de ocorrência na 25ª DP (Engenho Novo), nesta terça-feira (5), contra seis policiais militares de uma UPP no Subúrbio do Rio, a do Jacarezinho, por abuso sexual. De acordo com o delegado Niandro Ferreira, titular da 25ª DP, uma perícia foi realizada no local e as mulheres foram encaminhadas para o exame de corpo de delito.

Os policiais militares, que estavam de plantão, passaram por reconhecimento na delegacia, nesta terça-feira. O delegado aguarda ainda os resultados dos laudos da perícia. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou que o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, major Renato Senna, ao saber do registro na delegacia, determinou que todos os policiais permanecessem na base, mesmo aqueles que já haviam cumprido seu horário de serviço.

A corporação afirmou que está colaborando ao máximo para a apuração da denúncia, que considerou gravíssima. Segundo a PM, se for comprovado o envolvimento de policiais militares no caso de violência sexual, "as medidas adotadas serão rigorosas, incluindo prisão e possível expulsão". O comando da PM lamenta o episódio e repudia este crime bárbaro, ressaltando que em nada condiz com o comportamento que se espera de um policial.

Traficantes do ADA no Morro da Pedreira exibem fuzis no Facebook


NOTÍCIAS BRASIL

Identificando-se como Wallace Souza Souza, o Preto Du Terra, e se dizendo ser do Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, um homem que faz apologia à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) se exibe publicamente em um perfil criado no Facebook postando fotos em que empunha fuzis e até mesmo um vídeo em que efetua disparos em direção ao Morro do Chapadão – localizado em frente e controlado pela facção rival Comando Vermelho (CV).
Nesta sexta-feira, dia 1º de agosto, Preto Du Terra publicou duas fotos com a legenda “Pique de costa barro” (sic): uma mostra cigarros de maconha dentro de uma embalagem de balas Halls e outra traz uma mensagem aos considerados “X-9? – como são chamadas as pessoas flagradas denunciando os criminosos: duas pistolas em cima de um desenho de um boneco assassino arrancando a cabeça de um delator.
Em uma das fotos – em que ele aparece com um fuzil no colo e mostrando o rosto ao lado de um comparsa que segura outra arma, mas esconde a cara -, duas amigas dizem ter desistindo das tentativas de aconselhá-lo a não se expor. “Falo mais nada. É contigo mesmo”, escreve uma delas.
O perfil dele na rede social é cheio de imagens em que aparecem fuzis, pistolas, garrafas de wisky e criminosos ostentando armas, coletes à prova de balas e fazendo a letra “L” – uma alusão ao traficante Paulo Cesar Silva dos Santos, o Linho (que teria sido assassinado em São Paulo, em 2003, mas cujo corpo nunca foi encontrado).



walace-souza-morro-da-pedreira-4
walace-souza-morro-da-pedreira-5
walace-souza-morro-da-pedreira-3
walace-souza-morro-da-pedreira-1
walace-souza-morro-da-pedreira-9
walace-souza-morro-da-pedreira-2
walace-souza-morro-da-pedreira-7

Subtenente Ricardo Garcia cria personagem para criticar a PM

JORNAL EXTRA
Subtenente Garcia entre o Subtenente Misso e o seu contrarregra

Ele é o subtenente Misso. Nome de guerra: SubMisso. O personagem, criado pelo subtenente Ricardo Garcia, foi a forma encontrada pelo PM, reformado há um ano, de mostrar o dia a dia dos policiais militares e ser “a voz dos companheiros”.
- É um jeito descontraído de chamar a atenção para problemas sérios de desvalorização profissional. Durante 33 anos servi à instituição e sei que quem está lá só tem o direito de ser submisso, de ser boneco - diz.
Se o boneco SubMisso é a voz dos PMs, o “YouTube” é a boca. Lá, Garcia hospedou no próprio canal (Subtenente Ricardo Garcia) o primeiro vídeo, que aborda o processo de pacificação de comunidades, entre outros assuntos, sob o título “TPM virtual”. SubMisso deve ganhar um canal próprio na sexta-feira, com a chegada do segundo episódio.

O destaque serão os gastos com a importação de cães que, segundo Garcia, chega a custar R$ 30 mil cada.
- Há um problema sério no trabalho do policial, que passa por toda a sociedade e pela instituição. O PM não está sendo valorizado por ninguém. Isso precisa ser pensado - ressalta.
Garcia diz não ter medo de perseguição. E afirma que tem feito mais amigos do que inimigos. O apoio chega na forma de e-mails, com relatos de policiais. As histórias serão contadas ao longo dos programas (o endereço para participações é garcia-domingos@ig.com.br ).
O trabalho é feito à noite, em um estúdio improvisado em casa, no Fonseca. Nele, câmeras amadoras ocupam gruas feitas à mão. O cenário foi construído por Garcia.
- Eu estou fazendo tudo, desde o roteiro até a edição final. Também não tenho como pagar uma equipe, já que minha aposentadoria é de R$ 1.200, depois de 33 anos servindo a PM. Mas me orgulho de não ter me corrompido, tento passar isso para quem está lá - explica.
O item mais caro é o astro SubMisso, que foi comprado por um vizinho de Garcia nos Estados Unidos. Já o boneco do “contrarregra” e “sonoplasta” foi mais barato.

Uma carreira marcada por polêmicas
A carreira militar de Garcia, encerrada no 12º BPM (Niterói), onde ficou por uma década, foi marcada pela polêmicas. Em 1999, ele se tornou o primeiro policial da ativa a escrever um livro: “O direito de não ter direito” rendeu, segundo o autor, 15 transferências de batalhões em um ano, de Campo Grande a Niterói. Depois, gravou o rap “Pancadão do PM”.
A Polícia Militar informou que não vai se pronunciar sobre o novo boneco e nem a respeito das denúncias feitas por Garcia.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Viatura da UPP Parque Proletário é atingida por disparos

JORNAL EXTRA

Uma viatura da UPP do Parque Proletário, no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, foi atingida por disparos no fim da madrugada desta segunda-feira. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), por volta das 4h, homens vindos da localidade conhecida com Caixa D’Água atiraram contra policiais militares que estavam próximos à base da Unidade de Polícia Pacificadora. Os agentes revidaram. Os suspeitos fugiram. Ninguém ficou ferido.
Ninguém ficou ferido, segundo nota do CPP 

Viatura foi atingida por disparosAtaque ocorreu no fim da madrugada desta segunda-feira