sábado, 31 de janeiro de 2015

Licitação de compra de coletes à prova de bala é suspensa



A secretaria de segurança do Rio suspendeu uma licitação para comprar quase 4 mil coletes à prova de balas para as polícias Civil e Militar. Somente na última semana, seis policiais militares foram baleados em serviço no Rio. 
O pregão eletrônico deveria ter sido realizado em novembro do ano passado, mas ainda não há previsão de quando a licitação vai acontecer. A estimativa da secretaria era gastar até R$ 12,2 milhões com a compra dos 3.722 coletes balísticos.

Um comentário:

  1. Não estão preocupados com a SEGURANÇA do Policial Militar e nem com a QUALIDADE dos serviços prestados.

    O FIM DA PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO TRARIA BENEFÍCIOS PARA A PMERJ, PARA O ESTADO, PARA O CIDADÃO E PARA O POLICIAL MILITAR.

    Vejo com preocupação o fato de que um jovem que ingressa na Polícia Militar como soldado deve esperar 6 (seis) anos para ascender à graduação de cabo, haja vista que a PM privilegia a promoção por antiguidade, e não por mérito, o que demonstra um conflito de expectativas. O PM esperar, ou seja, ficar parado para receber uma promoção não é interessante para ele e nem para a Corporação. Só deveria ser promovido à graduação superior quem fosse aprovado em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir