sábado, 31 de janeiro de 2015

Sogra de PM morto por traficantes questiona o secretário: ‘Você sabe a dor da minha filha?’


O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, esteve ontem à tarde no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, para acompanhar o enterro do corpo do soldado Bruno Guimarães Miguez, morte por bandidos da Cidade de Deus, na noite de quarta-feira. O ‘xerife' do Rio foi alvo de protestos dos familiares do PM, e a sogra do militar chegou a colocar o dedo em riste para ele, culpando-o pela morte. "O culpado disso talvez seja o senhor. 
O culpado disso que nós estamos passando hoje, que a minha filha está passando, o senhor é culpado. Você sabe a dor da minha filha?", desabafou a sogra de Miguez, cara a cara com Beltrame e dois oficiais da PM, em cena que foi flagrada por uma cinegrafista. Depois da bronca, Beltrame saiu de fininho. Em entrevista, o secretário lamentou a morte de Miguez: "Infelizmente, mais uma vez, perdemos mais um policial em uma emboscada. Em um lugar que está, na nossa avaliação, relativamente tranquilo, em função de outros acontecimentos. 
Mas eu não tenho como promover uma cidade totalmente limpa, sem homicídios, onde não se tenha arma de fogo e onde policiais e pessoas não percam sua vida por atos irresponsáveis". 
A viúva passou mal durante o velório do soldado Miguez. Mais de 200 pessoas compareceram ao cemitério, muitas delas vestiam usando uma camisa em homenagem ao policial.

4 comentários:

  1. Esse secretario parece marica, o que precisamos é um sistema mais enérgico e menos compaixão aos bandidos, nada grande coisa, apenas oferecer aos bandidos o mesmo que nos oferecem.

    ResponderExcluir
  2. Quando prestou concurso já sabia dos riscos, então banca! PM morrer faz parte da profissão, são ossos do ofício, nem era pra ser notícia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só fala merda em oh recalcado,doido pra ser PM mais não consegue.kkkklllkl

      Excluir
  3. Não confio nele!

    O FIM DA PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO TRARIA BENEFÍCIOS PARA A PMERJ, PARA O ESTADO, PARA O CIDADÃO E PARA O POLICIAL MILITAR.

    Vejo com preocupação o fato de que um jovem que ingressa na Polícia Militar como soldado deve esperar 6 (seis) anos para ascender à graduação de cabo, haja vista que a PM privilegia a promoção por antiguidade, e não por mérito, o que demonstra um conflito de expectativas. O PM esperar, ou seja, ficar parado para receber uma promoção não é interessante para ele e nem para a Corporação. Só deveria ser promovido à graduação superior quem fosse aprovado em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir