terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Deputado Paulo Ramos pede CPI para investigar ligação de coordenador do Afroreggae com 'Playboy'

O deputado estadual Paulo Ramos (Psol) protocolou, nesta terça-feira, um pedido de CPI para investigar o papel do coordenador do Afroreggae, José Júnior, nas negociações para a rendição do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, o traficante mais procurado do Rio. O deputado quer, através da Comissão, apurar qual a real função de Júnior na política de Segurança Pública do Estado. O coordenador do AfroReggae, José Júnior, confirmou no domingo a participação nas negociações para uma possível rendição do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o 'Playboy', no Morro da Pedreira, em Costa Barros, Zona Norte carioca. Em sua página no Facebook, o ativista postou uma foto com 'Playboy' e admitiu que intermediou a entrevista que o bandido mais procurado do país concedeu ao jornalista Leslie Leitão, da revista ‘Veja’.
"Temos que verificar a cumplicidade, a conivência, o trânsito que tem o senhor José Júnior em várias esferas administrativas e investigar a ONG Afroreggae, pelos contatos sem licitação, que me leva à certeza de tratar-se de desvio de recursos públicos e, no mínimo asssociação confessa ao tráfico do senhor José Júnior", disse Ramos. 
"Por que ele só publicou a foto no domingo, depois de toda a repercussão? Por que não disse antes que foi ele o intermediador da entrevista? O que ele tem a esconder? Ele está autorizado a negociar rendição de traficante pelas autoridades?", completou o psolista. 
O deputado também quer saber sobre o que o coordenador do Afroreggae se referia quando citou no Facebook que havia feito contato com o Ministério Público e um delegado de polícia para tratar do caso 'Playboy'. "Eu vou pedir uma audiência com o Marfan Vieira (procurador-geral do MP) e com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, é grave essa informação passada por ele e precisa ser investigada". 
O coordenador do Afroreggae foi procurado pela reportagem do DIA Online, mas não foi encontrado para responder as acusações do deputado. 


No domingo, José Júnior postou na rede social como foi seu encontro com 'Playboy e gerou polêmica até mesmo entre seus seguidores. “Ele fez questão de focar nos erros que ele cometeu e nos seus problemas. Não sei o q vai acontecer com ele ou o q ele decidirá pra sua vida mas percebi que esse ‘veterano’ de 32 anos ta refletindo o que é melhor pro seu futuro. Eu dei a minha opinião só q a decisão é exclusivamente dele. Que venham os tempos de paz”, escreveu José Júnior. 
Segundo o ativista, Playboy teria negado todas as histórias sobre corrupção policial, levantadas na entrevista. “Duas situações me impressionaram bastante, a história de um garoto da Zona Sul trabalhador, que virou o bandido mais procurado do Brasil e a sua lealdade nas relações estabelecidas não fazendo nenhum comentário que comprometa qualquer pessoa seja criminoso, policial ou morador da favela”, escreveu. 
Parte da conversa, informou, foi registrada num vídeo, ainda não divulgado. Ao comentar o post, disse ter sido convocado para prestar depoimento na Polícia Civil. 

Coordenador cita negociação envolvendo delegado e Ministério Público 
Ao responder as críticas de uma usuária do Facebook, o líder do Afroreggae citou o envolvimento do Ministério Público e de um delegado em uma negociação. Tudo começou quando uma internauta criticou a atuação de Júnior em acordos com traficantes para uma eventual rendição. 
Escreveu ela: "Sinceramente, acho que o MP tem que chamar você e os jornalistas que fizeram a tal entrevista com este bandido a prestar depoimentos. Por que é isso o que ele é, e não é por que ele não quis citar nomes de policiais, entre outros, que ele vai virar um homem bom. Na minha opinião, você e os jornalistas deveriam responder por associação ao tráfico. Quem se junta com porcos, farelo come..." 
 E José Júnior respondeu: "O contato foi feito intermediado por um delegado junto ao MP 2 dias depois" 
Coordenador do Afroreggae citou negociação com Ministério Público e com delegado no caso Playboy 

Após a resposta, Júnior foi bombardeado por indagações questionando o motivo de o Ministério Público e um delegado de polícia saberem do encontro e ainda assim não haver a prisão de Playboy. "Pois é como foi intermediado e o cara é o mais procurado e nao houve prisão? Nao há interesse?", escreveu uma seguidora do líder do Afroreggae. 
"Já que MP e delegado estão envolvidos, as autoridades estão cientes onde ele está e nao há interesse em pegá-lo!!!! Nós como cidadãos de bem sofremos com isso todo dia bala perdida assaltos...", escreveu outra seguidora. O coordenador da ONG não voltou à rede social para esclarecer as dúvidas. O DIA Online procurou José Júnior para esclarecer o que seria a negociação, mas ele se negou a falar com a reportagem. No início da tarde de segunda-feira, o Ministério Público negou as declarações do coordenador do AfroReggae de que tinha conhecimento do encontro dele com o traficante Playboy. 

Deputado também quer investigar contratos sem licitação do Afroreggae com Prefeitura 

Paulo Ramos também quer investigar os contratos sem licitação da ONG com a prefeitura. Em reportagem publicada pelo DIA , mostrou que o AfroReggae conseguiu com a prefeitura do Rio, desde 2010, sem precisar participar de licitação, contratos que somam cerca de R$ 9,5 milhões. O motivo do grupo ser dispensado das concorrências públicas é um mistério que nem o próprio AfroReggae ou o município conseguem explicar. 

 "Eu já encontrei quatro CNPJs do Afroreggae. O que é isso? Uma franquia? Não para entender uma coisa dessa", disse Ramos. 

Para a Secretaria municipal de Cultura, que celebrou alguns dos convênios, a organização possui uma “metodologia específica” no trabalho com jovens de comunidades. Perguntada sobre o que seria essa ‘metodologia’ diferenciada, integrantes da secretaria sugeriram que a reportagem entrasse em contato com a ONG para esclarecimentos. A organização, que atua em favelas como Vigário Geral, Parada de Lucas e Complexo do Alemão foi procurada, mas preferiu não se pronunciar. 
Na Secretaria Municipal da Casa Civil, o AfroReggae conseguiu quatro convênios — também sem licitação —, entre os anos de 2010 e 2014. Os gastos com esses contratos totalizam cerca de R$ 2,7 milhões. O dinheiro foi repassado, segundo a assessoria da pasta, para dar apoio operacional à realização de atividades no Centro Cultural Waly Salomão, em Vigário Geral. E o argumento para que o grupo ganhasse a preferência em detrimento a outras ONGs é que o AfroReggae é o única com tal expertise no local.

10 comentários:

  1. A missão da Polícia Militar traz, em si, o serviço imprescindível para a sociedade organizada. A disciplina, o senso do dever, a noção clara da missão a cumprir, são virtudes eminentemente éticas e não apenas técnicas. É claro que ninguém serve ao semelhante e à comunidade se for ignorante ou incompetente. Ninguém presta apoio, auxílio, presença aliada à justiça, à ordem e à harmonia, se não estiver bem preparado para seu desempenho profissional. E é nesse sentido que o aperfeiçoamento especializado traz contribuição indispensável. Mas, bem sabemos que a eficiência, a dinamicidade, a atuação eficaz, se não dispensa, certamente transcende esses aspectos. É no lineamento ético, é na honestidade de propósitos, no apoio à administração da justiça, é na elevação das atitudes, - tudo formulações éticas -, que reside a confiabilidade, o renome, a grandeza, o apreço da população, o reconhecimento da sociedade.

    ResponderExcluir
  2. Menor salário da PMERJ e do CBMERJ deveria ser de R$ 3.118,62, afirma Dieese.

    O piso salarial da categoria (Militares Estaduais), em janeiro de 2015, deveria ter sido de R$ 3.118,62 (três mil, cento e dezoito reais e sessenta e dois centavos), de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). No entanto, o valor continua insuficiente para suprir as necessidades vitais básicas de um Soldado da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros. Todos os meses, o Dieese calcula qual seria o salário mínimo necessário com base nos preços da cesta básica.

    O recruta (Aluno do CFSd) já deveria ingressar nos quadros da PMERJ ou do CBMERJ recebendo o referido valor (R$ 3.118,62).

    ResponderExcluir
  3. No mínimo, o mínimo!

    A Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, define o salário mínimo como aquele fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas (do trabalhador) e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, ...¨(Constituição Federal, art. 7o - IV). Para calcular o Salário Mínimo Necessário, o DIEESE considera o preceito constitucional de que o salário mínimo deve atender às necessidades básicas do trabalhador e de sua família e que é único para todo o país. Usa como base também o Decreto lei 399, que estabelece que o gasto com alimentação de um trabalhador adulto não pode ser inferior ao custo da Cesta Básica Nacional.

    O Salário Mínimo Necessário, calculado mensalmente como uma estimativa do que deveria ser o salário mínimo vigente é, também, um instrumento utilizado pelos sindicatos de trabalhadores para denunciar o descumprimento do preceito constitucional que estabelece as bases para a determinação da menor remuneração que vigora no país. O valor atual do Salário Mínimo Necessário é R$ 3.118,62 (três mil, cento e dezoito reais e sessenta e dois centavos).

    ResponderExcluir
  4. Prefeitura paga R$ 9,5 milhões ao AfroReggae por projetos sem licitação
    Motivo do grupo ter sido dispensado das concorrências públicas é um mistério inexplicado pela ONG e pelo município

    http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-01-30/prefeitura-paga-r-95-milhoes-ao-afroreggae-por-projetos-sem-licitacao.html

    ResponderExcluir
  5. quem não vê que esse cara é band?

    ResponderExcluir
  6. Quem deu esse poder a esse indivíduo ?.. Ele é funcionário publico?

    ResponderExcluir
  7. ESSE LANFRANHUDO PILANTRA 777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777TEM TEM QUERSER INVESTIGADO PELO MPF X MPERJ=++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++POLICIA FEDERAL AGORA PARA ONTEM+++++++++++++++++++++ELE NAO E POLIÇA INVESTIGATORIA +++++++++++++++++ELE X99999999INTRUJAOE NEM FUNCIONARIO PUBLICO++++++++++++++++++++++++PRENDA ELE E O iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiMPE DENUNCIE PRA MPE JA JA JA.........TJRJ COMO O RABO DELE JA JA JA JA AGORA E QUEM DEU PODER PARA ESSE ESCROTO BATEDOR DE LATA E PRATO+++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  8. A mesma facilidade que esse figura tem de ser recebido no gabinete do cmt geral,do secretario beltrame,do prefeito etc... Nós policiais e bombeiros também temos,funciona assim. Ou estou enganado?

    ResponderExcluir
  9. Mete esse lixo na cadeia ,sao bandidos .

    ResponderExcluir