segunda-feira, 9 de março de 2015

Elas dão novo perfil à segurança pública


As PMs do 7º BPM (SG), Vanessa Guerhard, Fernanda Brum e Roberta Machado e a delegada titular da 72ª DP, Raíssa Celles

De distintivo no peito ou arma na cintura, elas já não imaginam uma rotina distante do dever de “Servir e proteger”. Cada vez mais presentes nas ruas e nas delegacias, policiais militares e civis têm, aos poucos, transformado um ambiente majoritariamente masculino, sem se deixar abater pelo preconceito que as cerca diariamente.

Na Polícia Civil há 11 anos, a delegada Raíssa Celles, titular da 72ª DP (Mutuá), lembra que quando ingressou na função, aos 26 anos, causou espanto em muitos cidadãos que procuravam atendimento.
 “Fui bem acolhida pela equipe que já atuava aqui, mas muitas pessoas não acreditavam que eu era a delegada, tanto por ser mulher quanto pela minha idade. Até mesmo nos eventos eu notava que a presença feminina era raríssima. Isso mudou muito ao longo desses anos, basta ver a própria 74ªDP, que tem plantão formado por mulheres em sua maioria”, contou Raíssa, grávida de sete meses. Convicta de que a ascensão da delegada Martha Rocha como chefe geral da Polícia Civil, em 2011, teve forte impacto sobre a entidade, Raíssa ainda comemora que, em ambos os órgãos de segurança, há igualdade salarial entre os gêneros.

Há cinco anos na corporação, a PM Roberta Machado, 31, avalia que, embora a porcentagem feminina seja garantida por lei (30% do total nos concursos) e mais significativa atualmente, a reação da sociedade ainda é adversa.

“O preconceito é diário, seja na rua ou dentro da Corporação. Há sempre uma piadinha, um questionamento à nossa capacidade de realizar uma ação, desde municiar a arma até participar de uma operação”, relatou Roberta. 

Apaixonada pela Polícia Militar, Vanessa Guerhard ingressou na corporação aos 30 anos, idade limite estipulada pela corporação. Irmã e esposa de policial, ela ressalta que, em algumas circunstâncias, a exigência se torna ainda maior pelo fato de ser mulher.

“Minha turma contava com apenas 39 mulheres entre 500 alunos. Tiramos as melhores notas, vestimos o colete de 10 quilos como todos os demais, porém ainda assim, há aqueles que nos olham com desdém, como se não pertencêssemos àquele lugar”, enfatizou.

Se por um lado, há homens que questionam a presença das policiais femininas, por outro, as mulheres elogiam a iniciativa.

“Como eu dirigia a viatura, às vezes éramos surpreendidos com pedestres que me aplaudiam e parabenizavam por ser policial. Isso demonstra que, de alguma forma, estamos influenciando as mulheres de forma positiva, fazendo-as acreditar que elas são capazes e também podem fazer o mesmo”, ressaltou Fernanda Brum, de 31 anos, dois deles na Polícia Militar.

18 comentários:

  1. O COMPANHEIRO,EU LEGAL SER PAPA MIKE,PAPA CHARLIE E PARA FOX,MAS POR TIRAR FOTOS E PEDIR PARA SER ENCONTRADO NA RUA DE SUA CASA,A CLASSE TEM E QUE FICAR NO ANONIMATO,BOTA PRA FOTO,OLHA TEM BANDIDO QUE TEM MEMORIA FOTOGRAFICA,E AI JA ERA,EU DIGO EU IA NA PAPA 2 E VIA ALGUMAS FOTOS E GUARDAVA NA MENTE ERA BATATA,POPIS O ANONIMATO E O SEGREDO DO VIVER.PO SAO 32 ANOS DE FARDA ENTRE AERONAUTICA E PMERJ. EU QUE DIGO NEM FACE BOOK EU TENHO E JA ME RECONHECERAM BOTANDO A CARA E FACIL DE SER RECONHECIDA,DESCULPA-ME E PURA VERDADE.

    ResponderExcluir
  2. Na Polícia Militar, as mulheres ("PM Fem") não trabalham como POLICIAIS, trabalham como agentes administrativas!

    ResponderExcluir
  3. Com certeza, as três soldados estão em funções administrativas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que sim colega, não é vantagem pra gente elas estarem trabalhando em uma RP.

      Excluir
  4. A opinião da grande maioria é: "Ser Policial Militar não é profissão para mulheres."

    Com raríssimas exceções, eu prefiro trabalhar sozinho do que ter uma "PM Fem" na guarnição!

    Poucas mulheres conseguem exercer plenamente a função.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão, estou contigo em seu comentário. Coaduno de suas ideias. Infelizmente, 99% das PM Fem não servem para a atividade fim e se "escondem" na atividade meio.
      Sinceramente, prefiro estar sozinho que com uma policial fem, afinal, será apenas mais uma coisa para eu me preocupar.
      A PMERJ deveria adotar concurso com vagas administrativas como a PRF e PF faz e alocar as policiais fem nestas funções. Seria um salto de qualidade!

      Excluir
    2. Concordo plenamente com você.

      Excluir
    3. Meus caros, na polícia ainda tem pouca mulher e elas estão em funções compatíveis com a realidade feminina. Talvez as belas colegas aí da foto não tenham sido avisadas onde é localizado o coração de bandido. E claro que existem exceções e realmente, algumas são aptas para o combate, mas essas não irão dar mile posando para foto. Mais como dito é exceção!
      Nas Forças Armadas a coisa tá complicada. Elas estão tomando tudo e estão sendo formandas para tudo que é tipo de atividade, incentivadas pela mídia, por uma população ignorante, burra e cega, por quem tem "olho gordo" nas nossas riquezas e por aí vai. Alias essas riquezas parecem inesgotáveis. Tem roubo de tudo que é lado. Desperdício pra tudo que é canto, e não acaba!
      O percentual feminino nas tropas crescem a cada dia. Todo mundo acha lindo, até mesmo as novas gerações de generais, bem remunerados assim como os políticos. Gastam sem pena da "viúva" e ainda por cima, ficam cercados de belas pernas. O ambiente de trabalho com certeza, é hoje muito melhor. Confesso que o visual da caserna é contagiante atualmente. Assistam o próximo desfile de 7 de setembro. Parece até uma passarela da moda mais não tem nenhum poder de amedrontar pretensos inimigos do Brasil.
      Esse nosso paizinho é mesmo de brincadeira. A sorte é que não entra em guerra por nada desse mundo. Tão jogando o nosso dinheiro fora, formando até mesmo piloto - "pilota" - de caça (só serve para foto em revista). Ela vai voar até que idade? Vai engravidar quantas vezes durante o tempo hábil para a função? Quantas licenças maternidade terá? E a licença para amamentação? Se ela engravidar na sequência de 1 filho a cada dois anos, bastam 3 rebentos para não trabalhar efetivamente sequer 5 anos na função durante a idade hábil para isso - Se quiser aumentar o prole então, não compensa nem perder tempo aqui fazendo a conta do tempo de trabalho. Vocês tão rindo? A conta é paga com o nosso "sacrifício fiscal". Entenderam por que pagamos tantos impostos? Tem mais: Acho que ela não vai poder ultrapassar a barreira do som menstruada e provavelmente vai tentar se poupar para não arriscar encher as pernas de varizes por conta da pressão do voo supersônico. Não precisa ser nenhum economista para saber que o investimento não tem retorno.
      E se realmente houvesse uma guerra já com a maioria do efetivo combatente sendo de mulheres, 30% poderiam estar gravidas, 20% nas licenças mencionadas e as demais em depressão. Lógico que iria sobrar para vocês meus amigos Papa Mike e para os Bravo Mike. Vocês são reservas das forças armadas e teriam que ajudar o restante da tropa (homens restantes) a fazerem o serviço para o qual elas recebem salário.
      Em funções administrativas e principalmente na área de saúde elas até que mandam bem. O resto é piada que nós pagamos.

      Excluir
    4. Você está repleto de razão e pode ter certeza que não estou rindo como você perguntou, pois concordo plenamente com você, uma parte do que você citou eu ja tinha postado em um comentário abaixo, anônimo 10 de março de 2015 18:30 infelizmente essa é a realidade e ponto.

      Excluir
  5. Policiais Militares esperam, desde quando ingressaram na PMERJ, por um SALÁRIO DIGNO!

    O salário do Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro está defasado. Menor salário da PMERJ e do CBMERJ deveria ser de R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos), afirma DIEESE. O salário do Soldado está em torno de R$ 2.382,00. A defasagem salarial é de R$ 800,81!

    O piso salarial da categoria (Militares Estaduais), em Fevereiro de 2015, deveria ter sido de R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos), de acordo com o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). No entanto, o valor continua insuficiente para suprir as necessidades vitais básicas de um Soldado da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros. Todos os meses, o DIEESE calcula qual seria o salário mínimo necessário com base nos preços da cesta básica.

    O recruta (Aluno do CFSd) já deveria ingressar nos quadros da PMERJ ou do CBMERJ recebendo o referido valor (R$ 3.182,81).

    A Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, define o salário mínimo como aquele fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas (do trabalhador) e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, ...¨(Constituição Federal, art. 7o - IV). Para calcular o Salário Mínimo Necessário, o DIEESE considera o preceito constitucional de que o salário mínimo deve atender às necessidades básicas do trabalhador e de sua família e que é único para todo o país. Usa como base também o Decreto lei 399, que estabelece que o gasto com alimentação de um trabalhador adulto não pode ser inferior ao custo da Cesta Básica Nacional.

    O Salário Mínimo Necessário, calculado mensalmente como uma estimativa do que deveria ser o salário mínimo vigente é, também, um instrumento utilizado pelos sindicatos de trabalhadores para denunciar o descumprimento do preceito constitucional que estabelece as bases para a determinação da menor remuneração que vigora no país. O valor atual do Salário Mínimo Necessário é R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos).

    O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos é uma criação do movimento sindical brasileiro. Foi fundado em 1955 para desenvolver pesquisas que fundamentassem as reivindicações dos trabalhadores.

    O custo de vida no Rio de Janeiro é o maior do país!

    Salário Mínimo Necessário divulgado pelo DIEESE, referente ao mês de Fevereiro/2015: R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos).

    ResponderExcluir
  6. Não vejo vantagem nenhuma mulher na PM, tiram vagas de homens que desempenhas todas as funções sendo que elas desempenham somente algumas, além de ficarem afastadas do serviço por 6 meses por motivo de maternidade e acochambrarem por estarem no período menstrual. Sou policial militar e já vejo que até mesmo no curso existem fens grávidas exigindo regalias. Fem é um problema para a instituição. A verdade é essa, concordando ou não.

    ResponderExcluir
  7. Hoje, a formação dos oficiais dentro da PM, que dura três anos e acontece em período de tempo integral, funciona como um nível superior conquistado internamente.

    Outra alteração prevista é que os praças — cujo requisito de escolaridade continuará a ser o nível médio — poderiam optar por seguir nesta carreira ou fazer um curso à distância de tecnólogo em Segurança Pública, por dois anos, que também será aplicado para quem quiser ser oficial, e terá o valor de um diploma superior. Com essa formação, eles estariam habilitados a se inscrever no concurso para o Curso de Formação de Oficiais.

    A possibilidade de ingresso único na PM, com o policial começando a carreira como soldado e podendo chegar a coronel, sem passar por outro curso de formação, foi descartada. A Polícia Militar informou que as mudanças ainda estão sendo “estudadas e planejadas”.

    Formação em dois módulos

    A formação dos praças e dos oficiais também terá dois módulos. O primeiro, igual nos dois casos, vai abordar os conceitos militares, como hierarquia e disciplina. Para os praças, o segundo módulo vai ensinar a parte prática do serviço, como aulas de tiro. Para os futuros oficiais, serão transmitidos conceitos das áreas jurídicas e de gestão.

    Outra proposta é aumentar o tempo de preparação dos praças, que hoje é de cerca de seis meses. Com uma formação um pouco mais longa, a cúpula da PM pretende reforçar os ensinamentos de legislação e de tratamento ao público. Outra ideia é aumentar o tempo de preparação dos praças, que atualmente é de cerca de seis meses. Com uma formação mais longa, a cúpula da PM pretende reforçar os ensinamentos de noções de legislação e tratamento ao público.

    Ao concluir o primeiro módulo da formação, os praças poderão escolher se querem ou não fazer o curso à distância de tecnólogo em Segurança Pública. Caso optem por essa qualificação e sejam aprovados no concurso para o Curso de Formação de Oficiais, eles não precisarão repetir o primeiro módulo, entrando diretamente no segundo. Isso deve possibilitar uma formatura mais rápida para esses agentes, em comparação com os demais.

    Não está prevista, porém, ao menos por enquanto, nenhuma vantagem para os praças que quiserem uma vaga no Curso de Formação de Oficiais. Eles disputarão em igualdade de condições com os demais candidatos.

    A questão do ingresso único, que chegou a ser discutida, é controversa dentro da Polícia Militar. Enquanto algumas correntes mais de vanguarda defendem a adoção desse sistema na corporação, outros grupos, formados por oficiais e praças mais antigos, são contrários.

    — É preciso valorizar os policiais mais capacitados e comprometidos — afirmou Melquisedec Nascimento, presidente da Associação de Militares Auxiliares e Especialistas (Amae).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curso de tecnólogo em Segurança Pública é muito pouco para o concurso de Oficial da Polícia Militar, deveria ser exigido o Bacharelado em Direito.

      Excluir
  8. Na foto, só a Delegada que estudou, as PMs precisam estudar e da farda se livrar, kkkkkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vezes não é isso, sou formado na UFRJ e mestrando em educação, além de Cabo na PMERJ. Bem possível que eu tenha mais estudo que a delegada ai, e com certeza que vc.

      Excluir
  9. enquanto vcs. falam ela estão com estrelas e gemadas se lixando para o que pensam ou deixam de pensar,continuem que quando vc.acordar a cadeira de zero um será delas vai vendo!! é só questão de tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do jeito que o Brasil está caminhando rumo ao precipício, não duvido que isso aconteça.

      Excluir
    2. Já pensaram na real possibilidade de a cadeira de zero um vir a ser ocupada por uma barbie na menopausa?
      Tudo bem bem que a função não é operacional, mas se pipocar uma grave situação emergencial no estado (o cenário político atual do pais da mostras do quanto isso é iminente), como militar o Comandante geral tem o dever de manter-se na vanguarda do combate. Imaginem que uma Oficial que também atende pelo pseudônimo "Pokahontas", poderá vir a ser essa 01. Vai dar carnaval na PMERJ.

      Excluir