quinta-feira, 21 de maio de 2015

Bala perdida atinge jornalista durante confronto em Niterói


Um intenso confronto entre policiais e criminosos da comunidade do Viradouro, em Santa Rosa, Zona Sul de Niterói, provocou tumulto e pânico na manhã desta quinta-feira na região. Na troca de tiros o repórter fotográfico do jornal O Itaboraí, Marcos Vieira, 54 anos, foi atingido por uma bala perdida no braço direito, enquanto exercia seu trabalho. Por quase três horas a PM impediu o trânsito de veículos na Estrada da Garganta, e em boa parte da Rua Doutor Mario Vianna, na altura da comunidade.  
A operação coordenada pelo 12º BPM (Niterói), contou com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar. O confronto começou por volta das 7h30 com a entrada dos policiais na região. Um veículo blindado (caveirão) foi usado para auxiliar no trabalho da PM nos acesso a comunidade.

Por causa tiroteio, a Polícia Militar interditou o fluxo de veículos na região, deslocando o trânsito para Ititioca e Estrada da Cachoeira, em São Francisco.

“O objetivo da operação é prender traficantes e apreender armas e drogas, além de retirar novas barricadas colocadas por criminosos. A via precisou ser interditada para evitar que inocentes sejam atingidos pelos disparos”, informou o coronel Gilson Chagas, comandante do 12º BPM. 
Por volta das 10h50 um novo confronto entre os policiais e traficantes deixou o fotógrafo Marcos Vieira ferido. Ele buscava abrigo em uma padaria na Rua Doutor Mario Viana, quando foi atingido no braço. Segundo a PM, o tiro veio da parte alta do Morro do Cruz, na subida da Garganta. A localidade é parte do Viradouro. 
“O grupo de jornalistas estava reunido na padaria quando ouviu disparos. Foi tudo muito rápido até percebermos o que realmente havia acontecido com nosso colega. É lamentável ter que falar sobre isso”, disse um colega de profissão. 
O fotógrafo foi socorrido por agentes do Bope e encaminhado para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal) no Fonseca, na zona norte da cidade. Ele foi atendido e liberado ainda com a bala alojada no braço. Na parte da tarde a vítima passou por cirurgia no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo, para retirada do projétil.

“Temos que lamentar essa situação. Nossa prioridade é preservar vidas e o socorremos o mais rápido possível”, disse o coronel Gilson Chagas. 
O presidente da Associação Profissional dos Repórteres Fotográfico e Cinematográficos do Rio de Janeiro (ARFOC-RJ), Alberto Elias Guimarães Jacob, lamentou o incidente.  
“Uma situação como esta é lamentável para nós profissionais. Sabemos dos riscos que passamos em uma operação policial e por isso adotamos uma política de segurança para quem trabalha em área de risco”, disse.

5 comentários:

  1. A Promoção de Praças por Tempo de Serviço tem que acabar! A PMERJ não pode abrir mão da QUALIFICAÇÃO da tropa.

    A PMERJ deve acabar com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço, que nivela a tropa por baixo e prejudica a distribuição de funções. A ASCENSÃO AUTOMÁTICA deixa a tropa acomodada, desinteressada pelo estudo e, consequentemente, desqualificada. O Soldado PM que cumpriu o interstício deve, portanto, prestar concurso interno para Cabo PM (CFC), para provar que tem condições de exercer a referida função, assim como o Cabo PM deve ser avaliado para ser promovido à graduação de Terceiro-Sargento PM (CFS). O Segundo-Sargento PM, por sua vez, deve fazer prova para o CAS, para posteriormente estar apto às promoções às graduações de Primeiro-Sargento PM e Subtenente PM. É preciso haver mudanças, pois não pode um PM que nunca estudou exercer funções para as quais não está preparado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cala a boca companheiro, o tópico é outro.

      Excluir
  2. Em primeiro de maio, um homem de 52 anos foi esfaqueado por assaltantes no Centro do Rio, antes de atacar o homem a facadas, o mesmo grupo já tinha feito outra vítima um pouco antes. Em oito de maio, uma mulher foi esfaqueada em Laranjeiras por um assaltante. Um médico, que andava de bicicleta, foi esfaqueado na noite desta terça-feira (19), na Lagoa, na Zona Sul do Rio e faleceu.

    Acima estão alguns trechos de matérias de O Globo e com certeza outras pessoas foram esfaqueadas em assaltos no mês de maio.

    A violência cresce absurdamente na cidade do Rio de Janeiro e o que vemos são muitos políticos e “cidadãos” defendendo assassinos cruéis. Alguém tem visto algum político aparecer em público protestando contra o aumento da violência ou contra bandidos? Não, mas vemos alguns se esforçarem ao máximo em defender criminosos publicamente e até mesmo, criando lei para proteger criminosos e dificultar o trabalho de policiais.

    Ajudando esses políticos e “cidadãos” amantes do crime, temos alguns jornais que descaradamente chegam a inventar mentiras para colocar a opinião pública contra a polícia e assim promovem o crime e o aumento da violência.

    Diante de tanta gente promovendo o crime e a violência no Estado inteiro, será muito difícil o governador, a Polícia Civil e a Polícia Militar darem jeito no que está se transformando o Estado do Rio de Janeiro: um verdadeiro campo de extermínio.

    As instituições de Direitos Humanos de Criminosos no Brasil, tanto bloqueiam o trabalho contra a violência no Brasil, quanto manda informações para o exterior transformando a polícia como a única que mata em terras tupiniquins. Então, ONGs estrangeiras começam suas campanhas internacionais contra a Polícia Militar no Brasil. Mas não vemos no Brasil e em nenhum outro país uma ONG que denuncie a crueldade e a violência praticadas por criminosos brasileiros.

    Estamos entregues a assassinos, com a bênção de instituições que se dizem de Direitos Humanos, a política de segurança pública tendo de trabalhar com cuidado para não arranhar criminosos cruéis e qual seria o objetivo disso tudo? Fazer do Brasil o principal país do narcotráfico às custas de sangue inocente? Quantas pessoas de bem serão esfaqueadas e assassinadas de outras formas até o final de 2015 para a alegria de políticos oportunistas que nem se quer tocam nesse assunto? Passou da hora de muitas coisas serem registradas e denunciadas nesse país.

    ResponderExcluir
  3. MAIS UM PM INOCENTE SERÁ INCRIMINADO NO RIO?

    Há menos de três dias lemos a matéria de Felipe Moura Brasil na Veja, denunciando a incriminação de policiais militares inocentes no Rio de Janeiro. Hoje somos obrigados a ver mais uma injustiça?

    Um sargento da Polícia Militar lotado no 27 BPM reagiu a um assalto e foi ferido, segundo várias informações de civis e policiais, policiais civis da 33 DP negaram socorro ao sargento.

    São 22:25 horas e começam a aparecer no Facebook e Whats App informações de que a Polícia Civil apurou e informou que quem teve desvio de conduta foi o Policial Militar que precisava de socorro?

    Temos na Internet vários vídeos de Policiais Civis destratando e humilhando Policiais Militares, vamos assistir essa covardia agora?

    Não temos nada contra a Policia Civil não, senhor governador Pezão, a não ser que a mesma, segundo matéria de O Dia, precisa da proteção de Policiais Militares (e nem sempre tratam os PMs com respeito). Além dos assassinatos de PMs, de PMs presos e expulsos por motivos fúteis ou por incriminação forjada, pagamos impostos para assistir mais uma injustiça?

    É dessa forma que teremos um Estado pacificado, desenvolvido e onde todos possam ter dignidade humana?

    ResponderExcluir