domingo, 5 de julho de 2015

As Forças Armadas saem do Complexo da Maré e é substituída por um contingente muito menor da polícia militar


Não pegou bem a comemoração efusiva, vista pelas janelas dos ônibus, dos homens do Exército e da Marinha deixando o front 
Oque parece? Time de futebol comemorando campeonato, com homens gritando, sorrindo, erguendo punhos cerrados. O que é de fato? São tropas do Exército e da Marinha deixando o Complexo da Maré, na Zona Norte, após um ano e três meses de vigilância, com problemas, mortes, tiroteios e, enfim, enfrentamentos com as facções criminosas que teimam em permanecer no local, um complexo gigantesco que reúne nada menos que dezesseis favelas. A cena — se não chocante, ao menos constrangedora (como se os militares comemorassem a despedida de lá) — deu-se na terça-feira (30). Era mesmo o prazo, previamente estabelecido, para as Forças Armadas deixarem de atuar ali. Agora aqueles 3 000 soldados serão substituídos pela Polícia Militar do Estado do Rio. com um efetivo significativamente menor: cerca de 400 homens. 
Sabe-se desde o início do processo de implementação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) quão estratégica é a tomada da Maré. E, nesse sentido, a redução do efetivo não foi boa notícia para a cidade. Diminui a estrutura, retrocede-se no número do contingente, e o próprio secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, admite que. daqui para a frente, só haverá "'cerco e operações pontuais" naquela área. Enquanto ali estiveram, os praças e oficiais do Exército e da Marinha efetuaram 674 prisões c 1 356 apreensões de drogas, armas, munição e veículos roubados. E o número de homicídios havia caído, em um ano, para um quarto das ocorrências. Antes de partirem, as tropas repassaram à PM nomes, apelidos e dados sobre o poder bélico dos traficantes, além de vídeos que mostram o vaivém dos bandidos. Trata-se de um claro sinal de que ainda há muito que fazer por ali.


2 comentários:

  1. Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo"). Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir
  2. Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.


    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir