quinta-feira, 2 de julho de 2015

Exército e Marinha entregam ao estado dossiê sobre o tráfico no Complexo da Maré


Depois de ocuparem por um ano e três meses o Complexo da Maré, o Exército e a Marinha repassaram às forças de segurança do estado, que assumiram a região na terça-feira, um conjunto de informações de inteligência sobre a ação de criminosos nas favelas da área. Os dados incluem nomes e apelidos dos principais chefes do tráfico, seu poder bélico e rotas de fugas mais utilizadas. Há também vídeos gravados no complexo.

Um dado que chama a atenção no material é a quantidade de jovens — muitos sem qualquer passagem pela polícia — envolvidos com o tráfico. De abril de 2014 até o mesmo mês deste ano, as Forças Armadas identificaram e detiveram mais de 250 adolescentes suspeitos de participação na venda de drogas na Maré.

MAIS DE 670 PRISÕES

Um balanço parcial das operações do Exército e da Marinha mostra ainda que, em mais de 83 mil ações, os militares efetuaram 674 prisões e 1.356 apreensões de drogas, armas, munição e veículos, entre outros itens. Antes de abril de 2014, a taxa anual de homicídios na área ocupada era de 21,29 mortes por cem mil habitantes ao ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Após a ocupação, a taxa caiu para 5,33.

Na madrugada do último dia 14 de junho, uma equipe das forças especiais da Marinha e do Exército fez uma operação na Maré para prender um importante chefe do tráfico. Material da ação, que foi toda filmada com câmeras de infravermelho de alta precisão, por militares em terra e num helicóptero. Apenas 12 homens participaram da incursão, na qual foram usados dois veículos blindados. Em poucos minutos e sem qualquer disparo, o traficante foi capturado.

Na quarta-feira, um dia após as Forças Armadas deixarem a região, 80 PMs fizeram operações em oito favelas do complexo. Quatro suspeitos de envolvimento com o tráfico foram presos. Também foram apreendidos seis motos, três carros, 700 pinos de cocaína e 226 trouxinhas de maconha, além de dez quilos da droga.

A PM está nos acessos às comunidades e fará ações pontuais para apreender armas e drogas, até que as quatro UPPs previstas para a região sejam inauguradas no ano que vem. Segundo o governador Luiz Fernando Pezão, o esquema da ocupação da Maré ainda está sendo discutido.

— Estamos desapropriando terrenos e fazendo as bases para as UPPs. Vamos contratar mais seis mil policiais no próximo concurso. Colocar mais policiais não só na Maré, como em outros lugares. Não tem policial na prateleira. A gente tem que formar cada vez mais, com mais acesso à tecnologia, à informação e dando condições de trabalho — disse, acrescentando que amanhã serão licitadas as obras para a construção da base do Comando de Operações Especiais (que integrará Bope, Choque e o Batalhão de Ação com Cães) num antigo quartel do Exército na Maré.

A seleção de novos PMs está sendo feita. Depois, os aprovados vão passar pelo curso de formação de soldados, que dura um ano.

3 comentários:

  1. Precisa reformar por completo o CFAP, aquilo é uma piada, podem começar pela pista de corrida com galhos de árvore de bitola grossa, além dos vários desníveis da pista. Sem contar com a higiene dos banheiros. E claro, os equipamentos para treinamento, treinar utilizando carabinas da segunda guerra mundial é uma piada.

    ResponderExcluir
  2. Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.


    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir
  3. COM A RETIRADA DO EXÉRCITO DO COMPLEXO DA MARÉ OS POLICIAIS MILITARES ESTARÃO A MÊRCE DE DEUS E DA SORTE PORQUE SÃO TRINTA BANDIDOS BEM ARMADOS COM FUZIS E GRANADAS CONTRA DEZ PMS COM FUZIS INFELISMENTE NÃO VAI DEMORAR MUITO NÓS IREMOS SABER DAS NOTÍCIAS DE PMS BALEADOS E MORTOS PELA VAGABUNDAGEM, BEM COMO PESSÔAS INOCENTES TAMBÉM BALEADAS. E OS GOVERNANTES DO RJ SÓ DIZEM ASSIM: VIDA QUE NÃO É MINHA, FOGO NELA.

    ResponderExcluir