sexta-feira, 24 de julho de 2015

Policial é morto na Zona Norte do Rio

Um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) foi morto a tiros, na noite desta quinta-feira, na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio. O soldado Ricardo Santos Kinupa, de 33 anos, estava em sua folga, caminhando perto de casa, quando foi alvejado. Ele foi socorrido por parentes e levado para o Hospital estadual Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos. 

 
Segundo testemunhas, criminosos passaram em um carro atirando contra o policial. A Divisão de Homicídios está investigando o caso. Ricardo estava lotado na UPP da Mangueira. Ele já estava há quatro anos na corporação. Ricardo deixa duas filhas. Ainda não há informações sobre o enterro do policial.

6 comentários:

  1. Algum representante dos Direitos Humanos apareceu para comentar o homicídio praticado contra um agente da lei??
    Não, esses hipócritas só se manifestam em defesa dos criminosos, quando morre um bandido eles mostram a cara!!!!A INVERSÃO DE VALORES VEM CONTRIBUINDO PARA O AUMENTO DA CRIMINALIDADE NO NOSSO BRASIL.
    EM PAÍS SÉRIO, A POLÍCIA TEM AUTONOMIA PARA AGIR, O POLICIAL TEM TODO O APOIO DA SOCIEDADE...

    ResponderExcluir
  2. ESCALA DIGNA DE SERVIÇO JÁ!

    Queremos o cumprimento do Art. 6º da Lei Estadual 6.162/12 (RJ), de 9 de fevereiro de 2012;
    "Art. 6º: Fica o Poder Executivo autorizado a instituir por Decreto sistema de Banco de Horas Adicionais de Trabalho para policiais civis e militares, bombeiros militares e agentes penitenciários, mediante contraprestação pecuniária adicional pelas horas a mais trabalhadas."

    O Decreto Estadual nº. 43.538 (RJ), de 03 de abril de 2012, que versa sobre a jornada de trabalho para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro, tendo clara redação, sendo então a jornada de trabalho de 144 horas mensais para Policiais Militares da atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para os Policiais Militares da atividade meio (serviço de expediente), conforme O Art. 3º, §§ 1º e 2º do supracitado Decreto;
    "§ 1º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de escala, só serão considerados turnos adicionais àqueles que, tomando-se em conta o mês com duração de 30 (trinta) dias, excederem a 144 (cento e quarenta e quatro) horas mensais efetivas de turnos regulares.
    § 2º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de expediente, só serão considerados turnos adicionais àqueles que excederem a 40 (quarenta) horas semanais efetivas de expedientes regulares." .

    Solicitamos o cumprimento das escalas de 12x48 e 24x72 para a atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para a atividade meio (serviço interno).

    As escalas 12x48 e 24x72 estão previstas no Bol da PM n.º 027 - 08 Fev 12, páginas 82 e 83;
    "1 – 1º, 2º, 3º e 4º COMANDOS DE POLICIAMENTO DA ÁREA.
    Rádio patrulhas, cabinas e interdições – Escala 12x48 (doze horas de serviço por
    quarenta e oito horas de folga);
    Grupo de Ações Táticas – GAT, Auto Patrulha de Trânsito – APTran, Postos de
    Policiamento – PP, Postos de Policiamento Comunitário – PPC, Destacamento de
    Policiamento Ostensivo – DPO, Guarda do Quartel, Oficial de Dia, Adjunto ao Oficial
    de Dia e Quartilheiro – Escala 24x72 (vinte e quatro horas de serviço por setenta e duas horas de folga) tendo a garantia de 06 horas de descanso durante o serviço;
    Policiamento Ostensivo de Trânsito – POTran e Policiamento Ostensivo Geral à Pé –
    POG à Pé – Escala 4x2 (quatro serviços de 07 horas por 02 dias de folga);
    Auto Patrulha de Trânsito – APTran (nos locais onde o comando da unidade entenda
    não haver necessidade deste serviço por 24 horas) e Patrulhamento Motorizado Especial
    – PAMESP – Escala 10x38 (dez horas de serviço por 38 horas de folga).
    2 – 5º, 6º e 7º COMANDO DE POLICIAMENTO DA ÁREA.
    As escalas deverão seguir o mesmo padrão da carga horária acima especificada,
    podendo, de acordo com a distância do local de serviço haver um aumento proporcional
    das horas de serviço e folga.
    Exemplo de Escala de Destacamento de Policiamento Ostensivo no interior – 48x144.
    3 – UNIDADES POLICIAIS ESPECIAIS.
    As unidades policiais especiais deverão utilizar uma das escalas acima elencadas, tais
    como:
    12x48 – 24x72 – 4x2 – 10x38"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Instituição é vítima nada mais nem menos deste sistema falido e de políticos corruptos"!

      Excluir
  3. REFLEXO DA IMPUNIDADE

    Uma freira de 65 anos foi morta a facadas na manhã desta sexta-feira (24) em um centro de reabilitação de dependentes químicos em Guaratinguetá (a 186 km de São Paulo). A irmã Odete Franciscana percebeu que o local havia sido invadido por um criminoso e tentou acionar a polícia, mas foi morta enquanto estava ao telefone com oito facadas nas costas. Um homem de 52 anos foi preso pela polícia suspeito de latrocínio (roubo seguido de morte).

    A ação ocorreu por volta das 5h30. A irmã Odete estava em um sobrado, dentro da própria fazenda, onde mora com mais duas freiras. No momento do assalto, ela e uma das companheiras estavam no local, enquanto a terceira freira rezava na capela da fazenda.

    Segundo o delegado Hugo Parreiras de Macedo, responsável pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Guaratinguetá, que lidera a investigação do caso, um homem, que estava encapuzado e descalço, invadiu o abrigo e exigiu que uma das irmãs entregasse a ele dinheiro.

    Ao informar o criminoso que não havia dinheiro no local, ela foi amarrada. A freira conseguiu se soltar e fugir, mas o criminoso a perseguiu, conseguindo capturá-la e voltou a amarrá-la dentro do sobrado.

    A irmã Odete, que dormia na parte superior do sobrado, acordou e desceu para o térreo. Nesse momento, foi abordada pelo criminoso, mas conseguiu fugir para um cômodo do abrigo onde existe uma linha de telefone fixo. Enquanto ela ligava para a polícia, o marginal entrou no local e, depois de luta corporal, desferiu oito golpes de faca nas costas dela. Irmã Odete morreu ainda no local e a ligação não chegou a ser completada.

    O criminoso fugiu e teria se abrigado, segundo os investigadores, em uma casa vazia que fica nas proximidades do local. A terceira freira, que estava na capela no momento da invasão, ouviu os gritos e chamou a polícia depois de encontrar o corpo de irmã Odete.

    Suspeito

    Após chegar ao local, a polícia interrogou a freira que havia sido amarrada. Em buscas na região, o desempregado Airton César Ramos Pinto, 52, foi encontrado escondido em uma residência próxima ao local. “Ele tem uma extensa ficha criminal, que inclui um homicídio e dois estupros, além de furtos e roubos”, disse o delegado Hugo.

    O acusado foi preso e teve partes do corpo identificadas pela freira que amarrou. O delegado informou ainda que Pinto, que é dependente químico e ex-interno da Fazenda da Esperança, já havia realizado outros assaltos no local e que conhecia bem o funcionamento do centro de reabilitação. “Acreditamos que ele foi lá para conseguir o dinheiro sem a intenção de matar ninguém. Ele já fez furtos no local e, na última oportunidade, quase foi pego pelos próprios internos, que fizeram um esquema de vigilância”, disse.

    À polícia, entretanto, o suspeito informou que efetivamente participou de assaltos no local, o último deles na segunda-feira, mas negou envolvimento no crime. Ele foi enviado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) da cidade e está à disposição da Justiça.

    Trabalho com dependentes

    A irmã Odete desenvolvia, há seis anos, um trabalho na Fazenda da Esperança, centro dedidacado à recuperação de dependentes químicos. Ela atuava com os jovens e era a responsável pela catequese dos internos.

    A instituição tem hoje 350 internos, entre os que pagam por tratamento e os que recebem cuidado gratuito. O local, aberto na década de 1980, já recebeu, no total, mais de 7 mil pessoas.

    Procurada, a Fazenda da Esperança informou que a ação foi cometida por uma pessoa de fora da instituição. “Lamentamos hoje a perda de nossa querida Irmã Odete, da Congregação das Franciscanas de Siessen. Irmã Odete tinha 65 anos de vida e desenvolvia trabalhos de catequese e acompanhamento espiritual com os acolhidos na fazenda”, disse a instituição.

    ResponderExcluir
  4. IMPEACHMENT DE DILMA JÁ!

    FORA PT!!!

    ResponderExcluir
  5. "O policial têm que parar de esperar um salvador ou salvadores, nós somos a última linha de defesa entre o caos e a normalidade, então porque na hora de exercermos nossa cidadania e dizer que não aceitamos mais essa chacina de agentes da lei, parecem todos veadinhos indefesos esperando um cavaleiro nu montado num cavalo branco..." (Elituzalem Gomes Freitas – Major PM)

    http://rvchudo.blogspot.com.br/2015/07/o-pm-tem-direito-nao-ter-direito-mude.html

    ResponderExcluir