quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Juiz determina fechamento do BEP após agressão a magistrada


Presos da Unidade Prisional (BEP) agrediram a juíza Daniela Barbosa Assumpção, da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Rio, e membros da escolta dela durante inspeção na unidade, na tarde desta quinta-feira, em Benfica. O alvo principal dos policiais militares presos era a magistrada, que teve a blusa rasgada, mas, cercada pelos seguranças, conseguiu escapar. Cinco agentes que protegiam a juíza foram espancados com pedaços de pau.
Após o incidente, o juiz Eduardo Oberg, titular da Vara de Execuções Penais, determinou o fechamento imediato do Batalhão Especial Prisional. O magistrado determinou que todos os 221 policiais militares presos na unidade sejam transferidos para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, em até 72 horas.

O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) criticou a atuação da juíza Daniela Assumpção dentro do BEP. De acordo com o parlamentar, a juíza "interpelou de forma ríspida um dos presos que toma remédio controlado" e "se dirigiu de forma desrespeitosa a alguns policiais, chamando-os de vagabundos e milicianos". O deputado acrescentou que PMs vão fazer registro de ocorrência contra a magistrada.
— Tudo o que eles (os presos) têm aqui a VEP permite. A juíza está querendo demonstrar força e vaidade. Ao serem tratados como bandidos os policiais ficaram indignados e vão registrar ocorrências contra ela — afirmou Bolsonaro, que criticou a decisão de fechar a unidade: — A transferência dos presos para Bangu é absurda porque os militares têm a prerrogativa em lei de aguardarem pelo julgamento em unidades diferenciadas do preso comum. Levango eles para Bangu, os militares se juntariam a chefes de facções criminosas.
Presidente da Associação de Magistrados do Estado do Rio (Amaerj), o juiz Rossidélio Lopes rebateu as acusações de excessos por parte da juíza.
— É injustificável colocar a culpa na juíza diante desse desrespeito. Isso seria colocar em xeque todo o Estado Democrático de Direito. Esses presos não têm noção de hierarquia e se acham acima da lei. Ela (a juíza Daniela) ficou acuada e seus seguranças chegaram a receber pauladas. Então ela foi para uma sala, mas, depois, com reforço policial, voltou e conseguiu fazer a inspeção com cabeça erguida. A Daniela nesse momento representou toda a magistratura brasileira. E a magistratura não pode se curvar — disse Rossidélio.

13 comentários:

  1. Ora, se eles agrediram, querem o quê? Eles foram tratados como bandidos? Ora se estão presos, boa coisa não são. Quando é o contrário, quando é cidadão comum, Bolsonaro diz que tem que matar, tem morrer, pena de morte, etc.... Agora para fazer média com um grupo, para ganhar voto, fica falando essas coisas aí!

    Eu desconfio das duas categorias, seja o Judiciário, seja a Segurança Pública. Mas o bandido de farda com certeza é o pior. Pode acreditar que respeito os bons profissionais, mas esses aí que vem aparecendo na mídia negativamente são bem carniceiros, um perigo.

    Imagino que os bandidos de farda devem estão xingando todo o Judiciário. Infelizmente os covardes devem está até desejando a morte de juízes. Mas é bom quando policiais do mal encontram um pela frente que tem mais "poder" que eles. Vamos ver como vai acabar esse caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ali se encontram pessoas somente acusadas ( não condenadas), ali se encontram pessoas que estão por faltas , atrazos, falta de cobertura..a violencia esta assim por culpa de nosso judiciario e de nossas leis.
      Se vc agredir alguem na rua , o maximo que sera condenado é a uma cesta basica!
      qual a diferença perante a lei de vc e de uma juiza ?

      Excluir
  2. É muito magistrado bandido nesse país...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de falar mal da Instituição dos outros veja se a sua instituição é tão exemplar, se não bate records negativos, e que inclusive, é falada mal mundialmente.

      Excluir
    2. Antes de falar merda,diga aí quantos juízes perderam o cargo por roubar? Ah,já sei,nenhum,eles são premiados com uma polpuda aposentadoria!

      Excluir
  3. O próprio texto desse demente já mostra como o ego desses juízes é inflado, essa país já acabou mesmo, "Estado Democrático de Direito" sério? só se for o direito que eles acham que tem de bancar deus.
    Juiz aqui no Brasil é piada mesmo, não sabe se portar como autoridade, se porta como dono do mundo, acha que pode falar o que der na telha, para qualquer um, queria ver essa vadia falar para um líder de facção do CV tudo isso que falou para os policiais, ai ao invés de ter a blusa rasgada teria ela furada por tiros, afinal com militar eles adoram por banca mas com vagabundos de verdade parecem uns cachorros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se agridem uma juíza, imagine o que não fazem com as pessoas comuns. Tudo de bom ao PMs honestos, que defendem a sociedade, melhores salários, melhor condição de trabalho, etc.. Aos bandidos é XADREZ, e sem regalias.

      Esses Bolsonares são loucuras total. Eles só falam uma ou duas frases que agradam ao policial, como por exemplo, bandido tem que morrer, violência contra os bandidos, já é o suficiente para os senhores dizerem que ele te representa. Ai, aí!

      Excluir
    2. Falou besteira!

      Excluir
  4. Realmente não houve excesso por parte da juíza, na verdade o judiciário não comete excessos! Até mesmo a ida dos 4 militares para Bangu 1 não é excessiva, por isso que querem enviá-los para um presidio federal!
    Será que eles oferecem risco muito grande para a sociedade, simplesmente por terem agredido uma magistrada?
    Ao que me parece, pela primeira vez na história da magistratura haverá excessos!
    Aguardemos os "Deusembargadores".....

    ResponderExcluir
  5. MUITO BEM COLOCADO, E ESSE MERDA QUE COMPARA O PM COM UM BANDIDO COMUM, EU LHE DIGO QUE NÃO É E NUNCA SERÁ IGUAL, TEM MUITA DIFERENÇA, NA MAIORIA DOS CASOS DE PMs PRESOS, SÃO EM DEFESA DA SOCIEDADE E ACABAM SOFRENDO POR TER UM MONTE DE BOSTA QUE PREFERE O MARGINAL AO PM, MAS SE UM DIA CAIR NA MÃO DO BANDIDO, OU TER UM FILHO BARBARIZADO, AÍ COM CERTEZA IRÁ PEDIR AO PM PARA FAZER O QUE MUITOS ACABAM FAZENDO, POR SER HUMANOS E TOMAREM AS DORES DOS QUE SOFREM COM A IMPUNIDADE E VEEM OS BANDIDOS RIREM NA CARA DOS PAIS DAS VITIMAS, E DEPOIS FICAM SENDO PERSEGUIDOS ATÉ PRESOS. CAMBADA DE HIPÓCRITAS.

    ResponderExcluir
  6. A juíza se excedeu assim como o judiciário,não havia necessidade de todos pagarem por atos ou pretensos atos de poucos. O Estado de Direito não existe quando se trata de dar ou garantir direitos constitucionais de policiais. Hipocrisia e falta de comando na PMERJ, permitem que o policial seja tratado como escravo em pleno século 21.
    A segurança da juíza, com certeza se calará e fará parte da farsa ali representada. O presidio de Niterói foi desativado por não oferecer condições dignas de se manter um cidadão preso conforme o que dita o estabelecido nos tratados relativos aos direitos humanos.O policial não sendo um cidadão pode ser alojado naquela imundície,pois é menos que um "animal" perante a sociedade e os membros do JUDICIÁRIO.

    ResponderExcluir
  7. Que os Juízes em sua autossuficiência façam a sua própria segurança e arquem com o ônus de defender a sociedade, tal qual o policial. Que suas famílias sofram a mesma pressão que sofrem as famílias dos policiais. Que percam suas polpudas remunerações e regalias ao serem acusados de crimes e desvios, vindo para um local de prisão como esse reservados aos policiais.

    ResponderExcluir
  8. Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total.

    Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir