sábado, 31 de janeiro de 2015

Mulher é abordada pela PM, se descontrola, e é autuada por desacato.

Uma motorista foi autuada por desacato após discutir com um policial militar do 31º BPM (Barra da Tijuca) na Rua Newton Fontoura Reis, no Recreio. A ação foi toda filmada pelo PM, que apresentou o vídeo na 42ª DP (Recreio). Segundo o policial, ele estava em patrulhamento pelo bairro quando suspeitou de um carro com os vidros cobertos por insulfilm. Ele afirmou que, mesmo após ligar a sirene, a mulher não parou. 
 — Percorremos 2km até emparelharmos com ela. Quando conseguimos que ela parasse o carro, ela começou a discutir com a gente, dizendo que era arquiteta e que nós deveríamos estar atrás de bandidos — afirmou o PM. 
No vídeo, a mulher, identificada na delegacia como Ana Maria Lucas de Souza, de 50 anos, tenta pegar a câmera da mão do policial. — Eu sou arquiteta, eu estou fazendo obra em várias UPPs, você quer saber? — afirma a mulher. Ela negou, em depoimento, ter desacatado os militares. Procurada, Ana Maria não quis falar sobre o assunto.
video

*A arquiteta Ana Maria Lucas de Souza, é uma das sócias da Construtora AG Prima, investigada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Construtoras, da ALERJ, por dar golpe em vários clientes, que compraram imóveis que não foram entregues.

RÁDIOS DAS VIATURAS FORA DE SERVIÇO

Roberta Trindade

Os rádios de todas as viaturas da Polícia Militar permaneceram mudos durante toda a noite desta sexta-feira, dia 30 de janeiro. Os PMs de serviço não tiveram como receber ocorrências ou informações sobre casos em andamento e a comuniação só pôde ser feita através dos telefones celulares particulares.

Licitação de compra de coletes à prova de bala é suspensa



A secretaria de segurança do Rio suspendeu uma licitação para comprar quase 4 mil coletes à prova de balas para as polícias Civil e Militar. Somente na última semana, seis policiais militares foram baleados em serviço no Rio. 
O pregão eletrônico deveria ter sido realizado em novembro do ano passado, mas ainda não há previsão de quando a licitação vai acontecer. A estimativa da secretaria era gastar até R$ 12,2 milhões com a compra dos 3.722 coletes balísticos.

Sogra de PM morto por traficantes questiona o secretário: ‘Você sabe a dor da minha filha?’


O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, esteve ontem à tarde no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, para acompanhar o enterro do corpo do soldado Bruno Guimarães Miguez, morte por bandidos da Cidade de Deus, na noite de quarta-feira. O ‘xerife' do Rio foi alvo de protestos dos familiares do PM, e a sogra do militar chegou a colocar o dedo em riste para ele, culpando-o pela morte. "O culpado disso talvez seja o senhor. 
O culpado disso que nós estamos passando hoje, que a minha filha está passando, o senhor é culpado. Você sabe a dor da minha filha?", desabafou a sogra de Miguez, cara a cara com Beltrame e dois oficiais da PM, em cena que foi flagrada por uma cinegrafista. Depois da bronca, Beltrame saiu de fininho. Em entrevista, o secretário lamentou a morte de Miguez: "Infelizmente, mais uma vez, perdemos mais um policial em uma emboscada. Em um lugar que está, na nossa avaliação, relativamente tranquilo, em função de outros acontecimentos. 
Mas eu não tenho como promover uma cidade totalmente limpa, sem homicídios, onde não se tenha arma de fogo e onde policiais e pessoas não percam sua vida por atos irresponsáveis". 
A viúva passou mal durante o velório do soldado Miguez. Mais de 200 pessoas compareceram ao cemitério, muitas delas vestiam usando uma camisa em homenagem ao policial.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Policial Militar é morto na Cidade de Deus

O soldado Miguez da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, morreu e outro ficou ferido, na noite desta quarta-feira. Segundo colegas de farda, o soldado  estaria fazendo uma abordagem numa escadaria, na localidade conhecida como Apartamentos, quando levou um tiro na cabeça. O agente foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da comunidade e depois transferido para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul da cidade, mas não resistiu ao ferimento. Há informações, ainda não confirmadas, de que outro PM teria sido baleado no ombro.

PM deve R$ 19 milhões em contas de água e luz, que estão atrasadas desde setembro de 2014

Não bastasse o governo estadual anunciar um corte de R$ 1,37 bilhão no orçamento de 2015 para a segurança pública, a Polícia Militar se vê mergulhada numa grave crise financeira. Somente para as concessionárias Cedae, Light e Ampla, a corporação deve R$ 19 milhões, referentes às contas dos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro do ano passado. A inadimplência foi descoberta em um levantamento feito pelo novo comando da PM, que tomou posse no início deste mês. 
E as dívidas não se restringem às contas de luz e água. Embora ainda não tenha sido concluído, um levantamento da situação financeira da corporação revela outros problemas. A PM também deve pagamentos à empresa CNS Nacional de Serviços, responsável pela limpeza de batalhões e por tarefas administrativas. A conta chega a R$ 9,5 milhões. 
Na próxima semana, haverá uma reunião do comitê criado pela PM para detalhar os problemas financeiros da corporação. No encontro, serão apresentados dados de uma dívida com a empresa de telefonia Oi. A PM vem negociando pagamentos com as concessionárias e prestadores de serviços e, para honrar compromissos não cumpridos pela gestão anterior, planeja cortar a locação de veículos usados por seus setores administrativos. 

PREOCUPAÇÃO COM GASTOS 
A descoberta da dimensão da inadimplência da PM vem num momento em que a Secretaria de Planejamento e Gestão reduz em 16,5% o orçamento para a corporação e a Polícia Civil. Foi publicado nesta quarta-feira no Diário Oficial que, dos R$ 3,2 bilhões de restos a pagar do governo do estado (dívidas que foram contraídas, mas não quitadas, ao longo de 2014 e em anos anteriores), R$ 153,1 milhões são referentes à Polícia Militar. A Polícia Civil e a Secretaria estadual de Segurança também devem R$ 87 milhões e R$ 6,6 milhões, respectivamente. 
Se depender do comando da PM, não haverá calote. Embora tenha se recusado a dar informações sobre as dívidas da corporação, o setor de relações públicas informou que, no último dia 15, uma comissão extraordinária foi criada ‘‘para tratar da racionalização dos recursos’’. O grupo é presidido pelo subchefe do Estado-Maior Geral e Administrativo, coronel Paulo Augusto de Souza Teixeira. Além dele, quatro oficiais de áreas estratégicas vêm fazendo cálculos para tentar reduzir gastos. Segundo o chefe do Estado-Maior da PM, coronel Robson Rodrigues, que também integra a equipe, todos os contratos em vigor estão sendo revistos. Ele afirmou que serão encontradas soluções para adequar a corporação ao ajuste estipulado pelo governo:
 — O estado determinou o contingenciamento e faremos a nossa parte. Estamos estudando cada item com o objetivo de reduzir despesas, mesmo que seja necessário tomar medidas drásticas. O governador Luiz Fernando Pezão já disse que o projeto de pacificação e a nomeação de 6 mil policiais aprovados no concurso de 2014 estão mantidos. Vamos pagar nossas dívidas e reduzir despesas sem diminuir a qualidade do serviço prestado à sociedade. Talvez seja necessário frear projetos de modernização da corporação, mas tudo vem sendo avaliado com cuidado. 
A Polícia Militar tem 90 dias para concluir as reavaliações e reduções. Dentro do levantamento que está sendo feito, a corporação também estuda o impacto causado por desvios de verbas, como o ocorrido na compra de material superfaturado para hospitais. O prejuízo, nesse caso, foi calculado em R$ 1,6 milhão, de acordo com um exame preliminar. Em um Inquérito Policial-Militar (IPM) sobre o caso, 11 oficiais foram indiciados. Outros 15 IPMs foram instaurados para apurar furtos de combustível, que teriam sido praticados por cinco oficiais e seis praças.
Marcus Salvador, dono da CNS Nacional de Serviços, não quis confirmar o valor da dívida da PM com sua empresa: — Não há nada em definitivo. O estado está propondo a redução dos contratos, o que é previsto em lei. Atualmente, tenho 450 funcionários trabalhando para a corporação. 
Lembrando que não têm autorização para fornecer informações sobre seus consumidores, a Cedae, a Light e a Ampla não quiseram comentar o assunto.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Ministério Público diz que policial teve a intenção de matar Haíssa

JORNAL EXTRA
A 9ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal do Ministério Público (MP) concluiu que os 10 tiros de fuzil disparados pelo soldado Márcio José Watterlor Alves, de 32 anos, contra o carro onde estava a atendente de telemarketing Haíssa Vargas Motta, 22, apontam a intenção de matar. Ele vai ser denunciado nesta terça-feira pelo crime de homicídio doloso contra a moça, que foi atingida nas costas por um dos disparos. O crime ocorreu há cinco meses, durante perseguição desastrada ao Hyundai HB20, ocupado pela vítima e três amigos em Nilópolis, na Baixada Fluminense. 
Da janela de uma viatura do 41º BPM (Irajá), Márcio, que confessou ter confundido o automóvel com carro de bandidos, atirou antes de dar ordem para o motorista do veículo parar. O caso foi divulgado pela revista Veja.
Ele e o cabo Delviro Anderson Moreira Ferreira, que dirigia a viatura, podem ser expulsos da corporação. Nesta terça-feira a PM conclui o Inquérito Policial Militar (IPM) aberto para investigar a conduta dos agentes no caso.

Caso Amarildo: major Edson dos Santos promete apresentar provas que comprovam inocência

Em entrevista a jornal de São Paulo, o major Edson dos Santos, acusado de liderar a morte do ajudante de pedreiro Amarildo, promete apresentar provas que compravam sua inocência. Segundo ele, o tráfico armou o desaparecimento de Amarildo para desestabilizar a política de pacificação.
 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Homem morre após atacar equipe da Polícia Civil no Centro do Rio

Policiais civis que estavam em uma viatura da 6ª DP (Cidade Nova) foram atacados, na manhã desta quarta-feira (21), por criminosos nas proximidades do Morro da Providência, na Gamboa, bairro do Centro do Rio. Os agentes realizavam uma diligência na região para chegar uma denúncia de venda de drogas na Rua Santo Cristo. 
Segundo a Polícia Civil, três criminosos realizaram diversos disparos contra o carro. No momento da ação, os policiais reagiram e um homem identificado como Wellington Alves da Silva, de 22 anos, foi atingido. Ele estava com uma pistola Encaminhado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, o ferido não resistiu aos ferimentos e morreu. Os seus comparsas conseguiram fugir.Com os marginais. No local, foram encontrados drogas e radiotransmissores. 
A perícia foi realizada no local e as armas dos policiais apreendidas para o confronto balístico.

Assaltantes em fuga erram caminho e são espancados em favela


Policiais Militares do 9º BPM (Rocha Miranda) resgataram um casal de assaltantes que entrou por engano na Comunidade da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio. 
Segundo a polícia, os dois são moradores da comunidade Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, e roubaram um carro na Rua Joviano, em Madureira. Na fuga, a dupla errou o caminho e acabou entrando na Serrinha. Os dois foram agredidos por traficantes da região e possivelmente seriam executados por morar em uma comunidade dominada por facção rival à da favela de Madureira. 
Os assaltantes foram socorridos para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, medicados, em seguida levados para a 29ª DP (Madureira), onde foi feito o registro do caso. Com eles foi apreendida uma réplica de fuzil utilizada para cometer o assalto.

PM se recusa a vestir colete à prova de balas devido ao mau cheiro


Um policial militar da UPP Turano, na Tijuca, Zona Norte do Rio, se recusou a vestir o colete à prova de balas disponibilizado pela própria unidade. Em um ofício enviado ao comandante da Unidade de Polícia Pacificadora com data de domingo (18), ele reclamou do mau cheiro do equipamento. No documento, do último domingo, o militar afirmou que não conseguiu usar o colete porque o forte odor do equipamento estava causando náuseas. Ele argumentou que o suor nos coletes, que deveriam ser de uso individual, pode facilitar a proliferação de micoses, verrugas e infecções bacterianas. Por fim, o PM afirmou que é comum, na Polícia Militar, o uso de equipamentos individuais, coletivamente e pediu que seja disponibilizado um colete para cada policial, com o objetivo evitar doenças por falta de higiene. Ou, então, que seja feito o pagamento de um percentual por insalubridade. Assim, os policiais poderiam adquirir coletes por meios próprios.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Agentes da Operação Lapa Presente são atacados


Homens que estavam uma moto dispararam, ao menos, 30 tiros contra agentes da Operação Lapa Presente durante a madrugada desta terça-feira (20). O fato aconteceu na Rua do Riachuelo, altura da Rua Monte Alegre. Na ação criminosa, ninguém ficou ferido. Segundo testemunhas, antes dos disparos, um dos autores pediu que as pessoas se afastassem dos agentes, que revidaram. 
Uma das hipóteses para o crime seria a de retaliação por conta das prisões realizadas pelos policiais nas constantes operações no bairro. O caso foi registrado na a 5ª DP (Mem de Sá).

domingo, 18 de janeiro de 2015

Bonde comandado pelo traficante Playboy invade o Morro do Juramento e expulsa o CV


Um bonde da facção Amigos dos Amigos (ADA), comandado pelo traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, invadiu na noite de sexta-feira o Morro do Juramento, em Vicente Carvalho, Zona Norte do Rio, onde o tráfico era dominado pelo Comando Vermelho (CV). Houve intenso tiroteio durante a madrugada de ontem. Moradores falam que há pelo menos seis mortos na comunidade, mas a polícia não confirma. O Juramento foi reduto de bandidos da ADA durante 16 anos, mas nos últimos três estava sob o comando do CV. A localidade Igrejinha seria a única região do morro que não teria ‘mudado de mãos’. Na tarde de ontem, policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fizeram operação na favela, mas, segundo a PM, ninguém foi preso nem houve apreensão de drogas ou armas. O 41º BPM (Irajá), responsável pela região, informou que o patrulhamento foi reforçado. Um helicóptero sobrevoou a região durante o dia de ontem. 
Moradores informaram que na noite de sexta-feira várias explosões de granadas e rajadas de tiros foram ouvidas. Eles disseram ainda que o confronto teve início por volta das 19h, quando cerca de 200 integrantes da ADA invadiram o morro e tomaram o comando da localidade conhecida como Rodo. 

A troca de tiros, segundo os moradores durou até as 2h da madrugada de ontem. Um vendedor, que pediu para não ser identificado, disse que não conseguiu dormir em casa por conta da guerra do tráfico no morro: “Eles (os bandidos) fizeram uma barricada na minha rua. Se passar por lá estarei no meio do fogo cruzado. Estou dormindo na casa de amigos.”

sábado, 17 de janeiro de 2015

Desembargadores mandam soltar réus em processo de milícia que atua nas zonas Norte e Oeste do Rio


Os  desembargadores da Sexta Câmara Criminal concederam liberdade aos 48 acusados de integrar uma milícia que atua nas Zona Norte e Oeste do Rio, investigados durante a Operação Armagedom pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). 
Na decisão do último dia 13, os magistrados ainda consideraram inepta (que não é apta a produzir efeitos jurídicos) a denúncia do Ministério Público estadual contra os réus, que respondem a processo na 41ª Vara Criminal da Capital. Apesar da decisão, Tarcísio Albuquerque de Moura, o TC, apontado como líder do grupo, não será solto, já que no dia em que a operação foi deflagrada, 10 de dezembro do ano passado, a polícia encontrou várias armas e grande quantidade de munição em sua casa. Por causa do material apreendido, Tarcísio responde a outro processo, na 1ª Vara Criminal de Madureira, junto com sua esposa. 
O primeiro a conseguir revogação de sua prisão no processo da Armagedon foi o guarda municipal Leonardo Fróes da Costa, acusado de ser segurança e sentinela do grupo miliciano. No dia 28 do mês passado, o desembargados Luiz Noronha Dantas, da Sexta Câmara Criminal, concedeu ao guarda uma liminar de habeas corpus na qual criticou duramente a denúncia do Ministério Público. Na decisão do último dia 13, os magistrados da câmara — os desembargadores Joaquim Domingos de Almeida Neto, Nildson Araújo da Cruz, além do próprio Noronha — julgaram o mérito, confirmaram a decisão anterior e ainda estenderam para todos os réus. Na decisão, desembargadores consideraram a denúncia inepta Na decisão, desembargadores consideraram a denúncia inepta.
Em seu despacho do dia 28, Noronha chama a denúncia de “uma razoável crônica jornalística policial” na qual todos os réus foram acusados genericamente. O magistrado compara a postura da promotoria com aquela que era vista nos regimes ditatoriais: “Em verdade a situação é muito mais grave, uma vez que a Denúncia, ofertada e recebida, é manifesta e formalmente inepta, porque absolutamente genérica, indeterminada e imprecisa”, critica. 
Os detalhes sobre a decisão mais recente, do último dia 13, ainda serão publicados em Acórdão que será feito pelo próprio Noronha. Como o documento não foi publicado, o MP ainda não tomou ciência da decisão, por isso não pôde comentar se vai recorrer. 
Essa não foi a primeira vez que a denúncia da Operação Armagedom foi alvo de críticas. Em 12 de novembro do ano passado, a juíza Leila Santos Lopes, da 41ª Vara Criminal, recusou-se a receber o documento ministerial, que considerou inepto. A ação acabou distribuída para outro magistrado, o juiz Tiago Fernandes de Barros, que aceitou a denúncia e decretou as prisões preventivas. 
Segundo as investigações da Draco, a organização criminosa explora toda as atividades que possam gerar lucro nas favelas, como controle do transporte alternativo (vans e mototáxis), monopólio da venda de botijões de gás a preços superfaturados, cobrança irregular de taxas de segurança, distribuição ilícita de sinais de TV a cabo e internet e a prática de agiotagem com extorsão de juros estratosféricos. As ações dos bandidos são, ainda de acordo com as investigações, “cruéis e envolvem a prática de homicídios, ocultação de cadáveres, tortura, roubos, lesões corporais graves, extorsões, ameaças, constrangimentos ilegais e injúrias”.

Policial morre e outro fica ferido após troca de tiros em Duque de Caxias


Um policial morreu e outro ficou gravemente ferido após uma troca de tiros na Rodovia Washington Luís, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, por volta das 6h30m deste sábado. Segundo a Polícia Militar, o soldado Pacheco dirigia a viatura durante uma perseguição pela via quando foi atingido. Ele perdeu a direção, bateu com o carro e morreu no local. 
O outro policial, que não teve o nome divulgado, foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, no bairro de Saracuruna, em Caxias.

Comentário no Facebook expulsa PM da corporação



Boletim  disciplinar da PM divulgou nesta semana, punição para o PM acusado de desrespeitar regras da corporação. O soldado Igor da Costa Martins fez comentários no Facebook após o coronel Frederico Caldas, à época comandante das UPPs, ter sido ferido em tiroteio na favela da Rocinha. 

“Aeee até que enfim os traficantes decidiram mirar e acertas nos comandos para eles sentirem na pele o que o Sd (soldado) sente todos os dias”, escreveu Igor, no Facebook, em 16 de fevereiro de 2014, quando Caldas foi atingido. 
Em outra ocasião, na rede social, o soldado ironizou o fato de seus colegas na corporação sempre solicitarem sua ajuda. “Me sugaram”, comentou. 

De acordo com publicação no boletim, Igor serve de “exemplo negativo para seus pares”. 
- Engraçado, porque tem coronel que fala o que quer por aí, e nada acontece. Fui expulso por um desabafo. Quando o coronel Frederico foi baleado, eu tinha tomado tiro no Lins, onde trabalhava, e estava revoltado. Sei que fui imaturo no comentário, mas quis dizer apenas que com o comandante baleado, tomariam atitudes. E o pior é que nada mudou. Estou sem chão. Com o dinheiro da PM, ajudo minha família. Não sei o que fazer agora - lamenta. 

Operação do Bope no Morro da Covanca tem fuzil, granada e drogas apreendidas

tiroteio-bope-na-covanca-2

Nesta sexta-feira (16) agentes do Bope realizaram uma operação contra o tráfico de drogas do Comando Vermelho no Morro da Covanca e Jacarepaguá. Na chegada houve intenso tiroteio que durou aproximadamente uma hora. Moradores relataram em redes sociais o que acontecia na comunidade. Foram apreendidos um fuzil G3, duas pistolas, uma granada e drogas ainda não contabilizadas. Não Não houve  presos ou feridos.

tiroteio-bope-na-covanca-1
Os policiais encontraram também um acampamento de traficantes com três barracas na área de mata do morro.

PM morre baleado em tentativa de assalto em Niterói


Morreu, na tarde desta sexta-feira, o soldado PM Herbert da Silva de Souza, de 22 anos, baleado durante uma tentativa de assalto em Niterói, no dia 26 de dezembro. Ele foi atingido por um tiro e estava internado desde então, em estado grave, no Hospital Estadual Azevedo Lima. Ele era lotado na UPP do Alemão. Ainda não há informações sobre o local de sepultamento do militar. 
 O soldado era carona na motocicleta de outro PM, também lotado na UPP, quando foi abordado por dois outros motociclistas que anunciaram um assalto. O bandido que estava armado disparou quando o veículo em que as vítimas estavam engasgou durante a redução de velocidade. 
Os dois militares moravam de Itaboraí e seguiam para o trabalho quando foram abordados por uma dupla de assaltantes na Avenida do Contorno, na Zona Norte de Niterói. Herbert teve um rim e um pulmão perfurados pela bala e caiu da moto, já em baixa velocidade. Os bandidos tentaram levar o veículo, mas desistiram e fugiram. Um outro policial militar, do 12º BPM (Niterói) seguia atrás dos motociclistas, viu a ação e parou para prestar socorro. Os ladrões não foram presos.

Máfia da Saúde: 11 envolvidos em esquema são oficiais

JORNAL O DIA


Onze oficiais foram responsabilizados em Inquérito Policial Militar (IPM) por envolvimento com a Máfia da Saúde. Foram identificadas irregularidades na compra de itens para o Hospital da Polícia Militar de Niterói (HPM/Nit), como a de 13.720 lençóis comprados, mas foi constatado o desaparecimento de 9.620 peças. Do investimento de pouco mais de R$ 2 milhões, o prejuízo foi de R$ 1,6 milhão. 
Esse foi o primeiro IPM concluído. Há outros seis em andamento na corporação. A investigação apontou que o ex-chefe do Estado-Maior Administrativo, coronel Ricardo Pacheco; o ex-chefe da Diretoria Geral de Administração e Finanças, coronel Kleber dos Santos Martins; o ex-gestor do Fundo de Saúde da PM (Fuspom), coronel Décio Almeida da Silva; o ex-diretor do HPM/Nit, coronel Sérgio Sardinha; além de outros sete oficiais, cometeram crime militar. A conclusão será encaminhada ao Ministério Público que atua junto à Auditoria de Justiça Militar.
O grupo será ainda submetido a Procedimento Administrativo Disciplinar, que pode resultar na expulsão. A conclusão do inquérito será publicada hoje no Boletim Interno. “Vamos reformular o controle e gestão do Fuspom. Agora, estamos vendo a parte correcional”, disse o chefe do Estado-Maior, coronel Robson Rodrigues. O sinal de alerta foi dado com a identificação de fraude na compra, por R$ 4,4 milhões, de 75 mil litros de ácido peracético para o Hospital Central da PM. O líquido seria usado para esterilizar material cirúrgico que não ia para o equipamento chamado autoclave. A coluna ‘Justiça e Cidadania’ publicou com exclusividade em outubro que o produto não foi entregue. 

Fraude pode ter sido de R$20 milhões 
O pagamento de todas as compras de material médico-hospitalar é feito pelo Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom). O fundo é bancado por militares que têm desconto de 10% do soldo e de mais 1% para cada dependente, o que gera receita anual de R$ 115 milhões. A contribuição não é obrigatória. É do fundo também que saem os recursos para toda a rede hospitalar. São beneficiados mais de 230 mil, entre PMs da ativa, inativos e familiares. Em paralelo, a corrupção na área da Saúde é investigada também pela Subsecretaria de Inteligência, da Secretaria de Segurança, e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público. 
A estimativa é de que as fraudes e desvios de material cheguem a quase R$ 20 milhões. Durante as auditorias foram constatados o desaparecimento de aparelhos de ar-condicionado, lençóis e até o desvio de stent — prótese implantada para abrir as artérias — no HCPM. Em uma inspeção, foi identificado que a corporação adquiriu lote de aparelhos por R$ 2,1 milhões. Mas 14 deles, avaliados em mais de R$ 100 mil, não foram localizados. Quatro analistas do Tribunal de Contas do Estado (TCE) estão passando pente-fino nos contratos da PM na saúde feitos nos últimos cinco anos. A inspeção especial foi determinada pelo presidente da Corte, Jonas Lopes. As empresas fornecedoras também estão sendo investigadas.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Perseguição insana

GRUPO PCERJ / Inspetor Figueiredo

O vídeo conseguido pela Revista VEJA, que mostra Policiais Militares efetuando disparos em uma perseguição a um carro que em momento algum disparou em direção à viatura é reflexo de uma TRAGÉDIA ANUNCIADA. 
Lamentavelmente, quando os gestores da segurança colocam pessoas ligadas à área Operacional para comandar a PMERJ, sinaliza para a “tropa" que o Estado está entrando em guerra contra as facções criminais que estão executando Policiais Militares nas ruas da cidade. 
O resultado não pode ser outro, senão a produção de acidentes e incidentes de trabalho como esse, vitimando cidadãos inocentes e jovens policiais que têm suas carreiras interrompidas em razão da responsabilização penal de seus atos. 
Os PMs estão sendo caçados nas ruas? Sim, isso é um fato estatístico que não pode ser negado. 
E os políticos e gestores públicos, ao que parece, se interessam apenas pelos RESULTADOS POSITIVOS, pelas ações EXITOSAS das suas polícias, assumindo como suas as realizações e esforços de terceiros. 
Porém, quando o despreparo, o açodamento, a falta de comando, produz resultados dantescos e inapropriados, estes mesmos políticos e gestores se apressam em ir à TV e aos Jornais para dizer que vão "PUNIR EXEMPLARMENTE" os agentes que falharam. 
Assim, garantem que o povo, o populacho, a plebe ignara, continue acreditando em "SALVADORES DA PÁTRIA" importados de outras instituições e estados, sem fazer uma análise precisa da conjuntura, sem aprofundar o debate sobre QUE POLICIA DESEJAMOS TER. 
Estamos em guerra? Não creio! 
A “pista está quente” para os Agentes da Lei? Sim! Policial que der mole nas ruas morrerá nas mãos dos bandidos. 
As Leis e as penas são suficientes para fazer cessar a matança? Não! E esse é o problema! 
O resto é chorumela e conversa fiada para boi dormir.!


LEIA A REPORTAGEM DA REVISTA VEJA AQUI

Denúncia: policiais reclamam das condições do batalhão da Maré

Policiais militares fazem novas denunciam sobre as condições de trabalho em batalhões do Rio de janeiro. Desta vez, a reclamação vem dos policiais do vigésimo segundo batalhão, o batalhão da Maré.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Policial é atropelada durante blitz da Lei Seca

Uma policial militar foi atropelada durante uma blitz da operação Lei Seca realizada na madrugada deste domingo, em Laranjeiras. Por volta das 3h40m, a soldado ordenou a parada de um Honda Civic, mas o motorista não obedeceu, seguiu adiante e atropelou a PM. A agente, identificada apenas como soldado Fabiana, teve o pé esquerdo fraturado e foi encaminhada ao Hospital Central da corporação. 
Após uma perseguição, o motorista foi alcançado e se recusou a fazer o teste do bafômetro, então foi conduzido pelos policiais à 10ª DP (Botafogo). A perícia deu resultado negativo para embriaguez, mas o motorista foi autuado por transpor bloqueio viário policial e por dirigir ameaçando pedestres em via pública, além de ter o veículo rebocado.

Desvios de combustível: Polícia Militar contrata firma de consultoria

A Polícia Militar contratou uma empresa de consultoria externa para analisar procedimentos administrativos da corporação e inibir a prática de fraudes. Escolhida por licitação, a Falconi, firma especializada em gestão, elaborou um estudo sobre a corporação. A primeira mudança que já começou a ser implementada foi no sistema de distribuição de combustível — os pedidos, agora, devem ser feitos pelos comandantes de batalhão diariamente e em horários específicos. A PM está investigando desvios de gasolina em 15 de suas unidades ao longo do ano de 2013. 
Recentemente, um grupo de estudos liderado pelo subchefe administrativo do Estado Maior da corporação, coronel Paulo Teixeira, foi criado para viabilizar novos mecanismos que coíbam eventuais fraudes. Os encontros contam com a participação de um representante da Falconi. O trabalho de aperfeiçoamento é um desejo antigo do coronel Robson Rodrigues, chefe do Estado-Maior Geral. Em meados de 2013, então à frente do Estado-Maior Administrativo, ele iniciou um processo semelhante, que acabou interrompido quando o coronel José Luís Castro Menezes substituiu o coronel Erir Ribeiro no comando da PM. 
Os desvios de combustível já ocasionaram o indiciamento de 11 agentes — entre eles três majores, lotados no Comando de Operações Especiais, no 16º BPM (Olaria) e no 3º Comando de Policiamento de Área (CPA). Só nos tanques do Regimento de Polícia Montada (RPMont), em Campo Grande, e do próprio 16º BPM, foi comprovado um rombo de dois milhões de litros de gasolina, que abasteceriam toda a frota por quase dois meses. O Inquérito Policial Militar que apurou a fraude no RPMont mostrou que o combustível que saía da fornecedora não chegava nem ao batalhão. Entretanto, notas fiscais falsas eram lançadas no controle para simular a entrada da gasolina no tanque das viaturas.

Material apreendido pode ser de chefão da Pedreira


Policiais do 39º BPM (Belford Roxo), após intensa troca de tiros com criminosos da Comunidade São Leopoldo, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, prenderam na noite de sábado um homem com armas e munição. Com Douglas Amaro de Souza Oliveira, conhecido como Douglinhas, de 20 anos, a polícia encontrou um fuzil Rugger 556 com carregador e munição, uma pistola modelo 840, usada pela PM, duas balas de calibre 380, dois projéteis de 9 milímetros, 48 munições de fuzil 762, um coldre de couro e radiotransmissor, entre outros. 
O que chamou a atenção de policiais foi que no fuzil apreendido havia adesivo de um coelho da marca Playboy, que pode ser referência ao traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, chefe foragido do tráfico do complexo da Pedreira, composto pelas comunidades da Pedreira, Lagartixa, Quitanda, Final Feliz e Terrinha.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Polícia aumenta para R$ 50 mil recompensa por traficante Playboy

O Portal dos Procurados aumentou de R$ 20 mil para R$ 50 mil a recompensa por informações que levem à prisão do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy. O criminoso é apontado como mandante do roubo de quase 200 motos de depósito do Detro no dia 31 de dezembro e é o mais procurado pela Polícia do Rio de Janeiro.


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Morre PM baleado na UPP São Carlos


O soldado Caio Robinson da Silva Lins, 27 anos, morreu após ser baleado na tarde desta terça-feira por bandidos do Morro São Carlos. Um homem identificado como Maurício Monnera, que seria morador da comunidade, também foi alvejado durante o confronto e não resistiu aos ferimentos. Outro homem, ainda não identificado, também foi ferido. As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM). 
O tiroteio aconteceu quando os PMs encontraram com um grupo de bandidos armados na Rua São Carlos. Após os disparos, os bandidos fugiram. No local do confronto foram apreendidos uma pistola calibre 45 e uma mochila com drogas. O caso está foi registrado na 6ª DP (Cidade Nova). A Polícia Civil informou que as investigações ficarão a cargo da Delegacia de Homicídios (DH). Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), 
O Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs, assim como outras unidades da região, enviaram agentes para o local para ajudar nas buscas pelos criminosos que conseguiram fugir.

Cel Erir Ribeiro foi nomeado vice-presidente do DETRO


Derrotado na corrida para deputado estadual, o ex-comandante da Polícia Militar Erir Ribeiro Costa Filho ganhou um presente de Ano Novo.  Foi nomeado, ontem, vice-presidente do Detro.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Novo comandante-geral da PM tomou posse hoje


O novo comandante-geral da Policia Militar do Rio de Janeiro, coronel Alberto Pinheiro Neto, tomou posse do cargo na manhã desta segunda-feira (5), em uma cerimônia fechada no Quartel-General, no Centro do Rio. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança, estiveram presentes o chefe do Estado-Maior Geral, coronel Robson Rodrigues da Silva, o chefe do Gabinete do Comando-Geral, coronel Íbis Silva Pereira, assim como o subchefe do Estado-Maior Geral Operacional, coronel Cláudio Lima Freire e o subchefe do Estado-Maior Geral Administrativo, o coronel Paulo de Souza Teixeira.

Beltrame pede exoneração de comandante de Batalhão de Choque


O secretário de Segurança do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, anunciou na manhã desta segunda-feira (5) a exoneração do coronel Fábio Souza de Almeida, comandante do Batalhão de Choque. O procurador de Justiça Marcio Mothé, coordenador de Direitos Humanos do Ministério Público Estadual, vai solicitar à Central de Inquéritos do órgão que investigue se o oficial e outros policiais cometeram o crime de incitação ao nazismo. Em conversas num grupo do WhatsApp, os agentes teriam feito referências e mostram simpatia ao nazismo. Nas mensagens, eles defendem a “caça” aos chamados peito de ladrilho - policiais que não possuem cursos especiais e classificam-se como uma “raça pura e sem defeitos”. A denúncia sobre as mensagens foi feita pela revista Veja.

LEIA A REPORTAGEM DA REVISTA VEJA ( clique no link abaixo )
Oficiais da PM do Rio incitaram pancadaria contra black blocs 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Policial civil é Morto com 40 tiros em São João de Meriti


Foi enterrado, na tarde deste sábado (03), no cemitério de Campo Grande, na zona oeste do Rio, o corpo do policial civil Marcelo de Castro Santos, assassinado na noite de ontem, na Baixada Fluminense. 
Ele foi morto com 40 tiros dentro de um bar na Rua Teixeira Pinto,em Vilar dos Teles, São João de Meriti. O local fica cem metros da casa de Marcelo. O policial era lotado na delegacia de Bangu há 15 anos, e também já trabalhou na polícia militar. 
A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o caso.

Delegado reage a tentativa de assalto e mata bandido dentro de agência bancária no Centro do Rio

As câmeras de segurança de uma agência bancária na Rua Graça Aranha, no Centro do Rio, flagraram o momento em que um delegado da Polícia Federal reagiu ao que seria uma tentativa de assalto e matou o suposto assaltante, ontem à tarde. O delegado foi levado à Divisão de Homicídios da Polícia Civil, onde prestou depoimento e foi liberado. A tentativa de assalto foi por volta de 17 horas. As imagens mostram o suspeito abordando o policial federal, que usava o caixa eletrônico. O delegado contou que pagava contas quando foi abordado. O homem levanta a camisa e mostra uma arma, o policial saca um revólver e atira contra o suspeito, que cai. O vídeo mostra ainda a chegada de policiais militares à agência, levados pelo delegado. O suspeito aparentava estar já sem vida. A arma que estava na cintura do assaltante seria de brinquedo, segundo a polícia. A Divisão de Homicídios, que investiga o caso, informou que, ao menos inicialmente, trata-se de legítima defesa e o policial federal não deve ser indiciado por homicídio, a menos que surjam novos elementos.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

PM reformado é assassinado em Nova Iguaçu

Um subtenente do Batalhão de Choque foi assassinado na noite desta terça-feira (30) no trecho de Nova Iguaçu da Via Dutra, na Baixada Fluminense. Por volta das 22h, um grupo de ao menos quatro criminosos roubou o carro do policial próximo ao Makro, na pista sentido Rio, e teria atirado quando perceberam que a vítima era policial. O PM morreu no local. 
Identificado como José Messias Passos, o subtenente trabalha no Batalhão e era músico na banda da corporação. No momento do crime, a esposa dele também estava no carro. O casal voltava para casa no bairro de Comendador Soares, também em Nova Iguaçu, após deixar uma igreja evangélica. Os criminosos fugiram no carro do subtenente. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense.