sábado, 28 de fevereiro de 2015

Alô Beltrame! Precisamos identificar e prender o vagabundo que produziu o vídeo


Uma péssima notícia para PMs e BMs ativos e aposentados


Os 95 mil policiais e bombeiros militares ativos e aposentados do Estado do Rio terão desconto de 11% para o Rioprevidência sobre a Gratificação de Regime Especial de Trabalho (Gret). O valor do débito adicional será de R$ 70 a R$ 350, conforme a remuneração do servidor. O novo desconto tem validade já a partir deste mês, com a folha de pagamento que será creditada no dia 2 de março para inativos e dia 3 para os ativos. De acordo com a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag), a contribuição vai representar gasto adicional de R$13,8 milhões por mês para esse grupo de militares, sendo R$9,8 milhões para os ativos e R$ 4 milhões para os inativos. O montante será destinado ao Rioprevidência. Já o Tesouro Estadual vai arcar com R$ 19,6 milhões a mais por mês. O valor é referente à contribuição patronal de 22% sobre a contrapartida dos PMs e bombeiros militares ativos. Em nota, a Seplag explicou que a medida foi tomada devido à obrigatoriedade jurídica da incidência de contribuição nesta gratificação, por sua natureza remuneratória. E também seguiu orientação da Procuradoria Geral do Estado, já que todos os 95 mil servidores levavam a Gret para a aposentadoria, sem contribuir para o Rioprevidência. Não haverá cobrança de retroativos. 
Vale lembrar também que os militares aposentados só vão contribuir com os 11% para a Gret no total que exceder o teto do INSS (R$ 4.663,75). Os pensionistas estão de fora dessa nova obrigatoriedade, uma vez que o valor que excede o teto do INSS já tem desconto para o Rioprevidência, também de 11%. Presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Vanderlei Ribeiro afirmou que vai ingressar com ação na Justiça para impedir a nova contribuição.“Não achamos justo ter nova redução salarial, uma vez que a nossa remuneração já é baixa. Vamos saber como virão os descontos e entrar na Justiça”, diz.

continue lendo: O DIA 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Mulher com problemas mentais tenta esfaquear policiais durante operação na Cidade de Deus

Pezão não tem mais dinheiro para pagar os aposentados e pensionista do Estado.


Com os cofres do estado vazios, o governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, aposta todas as suas fichas em convênio com o Judiciário para pagar a folha de pagamento dos 260 mil inativos e pensionistas do Rio Previdência e arcar com custos de precatórios — ações perdidas pelo Executivo na Justiça. Para impedir o colapso das finanças, ele apresentou projeto aos desembargadores do Órgão Especial para usar pelo menos R$ 11,7 bilhões dos R$ 16,84 bilhões do Fundo de Depósito Judicial. O valor garante o pagamento de ações judiciais, como a coluna ‘Justiça e Cidadania’ publicou com exclusividade na terça-feira. 
A decisão da Corte sobre o pedido de empréstimo será votada pelos 25 desembargadores mais antigos do tribunal dia 9 de março. A recomposição dos valores seria feita pelo estado, a partir de 2019. Segundo o secretário da Casa Civil, Leonardo Espínola, o rombo no Rio Previdência é estimado em R$ 5 bilhões. “Fizemos um estudo nos últimos dez anos e percebemos que a verba do fundo só aumenta. Ainda deixaríamos mais de R$ 5 bilhões. Não há o menor risco de o ganhador de uma ação não receber”, afirmou.
Continue lendo JORNAL O DIA

FALSO POLICIAL É PRESO EM ITAIPUAÇU


Policiais do 12°BPM de Itaipuaçu prenderam Carlos Augusto dos Santos Pires, o Azul, 43 anos, nesta quarta-feira. Ele se fazia passar por sargento da PM. 
Leia a reportagem completa: Lei Seca Maricá

Policial militar é baleado em tentativa de assalto na Vila Valqueire


O soldado Rômulo José Freitas de Oliveira foi baleado na noite desta quarta-feira (25) durante uma tentativa de assalto em uma farmácia na Vila Valqueire. De acordo com o 9º BPM (Rocha Miranda), ele foi socorrido e levado ao Hospital Estadual Carlos Chagas. A tentativa de assalto ocorreu, segundo a PM, por volta das 22h em uma farmácia localizada na Praça Saiqui.


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

PM morre atropelado ao fugir de bandidos na Linha Vermelha


O soldado morreu por volta das 20h30m desta terça-feira, ao fugir de um assalto. Segundo informações da 59ª DP (Duque de Caxias), ele abandonou a moto que pilotava e atravessou as pistas da Linha Vermelha quando foi atingido por dois veículos, na pista sentido Centro. Sérgio ainda foi levado por uma ambulância do Corpo de Bombeiros para o Hospital municipal Moacyr do Carmo, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. O policial era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Coroa/Fallet/Fogueteiro. O corpo do PM foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Duque de Caxias. 
O enterro será no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

NO PAÍS DA COPA, NO ESTADO QUE VAI SEDIAR A OLIMPÍADA DE 2016


Sargento atingido por um tiro de fuzil no pé

Fonte: Roberta Trindade

Esse é o sargento Carlos Fernando Dias Chaves, 40 anos - 15 deles dedicados à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). Lotado no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 41°BPM, o sargento participava de incursão no Morro do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, quando foi atingido por um tiro de fuzil no pé durante confronto com criminosos que controlam a venda de drogas no local. A troca de tiros ocorreu no dia 21 de julho de 2014. De lá para cá, o sargento passou pela avaliação de uma Junta Médica da PMERJ por quatro vezes e ouviu do médico que o acompanha desde o incidente que não teria condições de voltar ao trabalho. Nesta sexta-feira, dia 20 de fevereiro, foi surpreendido ao ouvir de um outro médico que estaria apto ao retorno - mesmo que, sete meses após ter perdido três dedos de um dos pés, ainda não tenha recebido indenização, atendimento psicológico e nem previsão de órteses que pudessem auxiliar na tentativa de voltar a sustentar o corpo ou normalizar sua caminhada. "Hoje sem condições alguma de voltar a trabalhar fui considerado apto pelo médico major Siqueira. Detalhe que estou aguardando nova cirurgia. Estou mutilado e a Polícia me abandonou. Não tenho acompanhamento psicológico e sequer me fizeram uma órtese. Não tenho condições físicas e nem psicológicas de voltar ao trabalho", desabafou o sargento C. Fernando. 

Beltrame afirmou que polícia está sozinha no estado.

O secretário de segurança do Rio, José Mariano Beltrame, afirmou à GloboNews que a polícia do estado atua sozinha no combate à criminalidade no Rio. Segundo Beltrame, outras instituições não dão o apoio necessário. A afirmação foi feita durante o velório do policial civil Thiago Thome de Deus, de 29 anos, assassinado na manhã de domingo, no bairro do Fonseca, em Niterói, quando voltava do Sambódromo. Bandidos teriam tentado roubar o carro onde ele estava com a mulher. Segundo a polícia, o agente teria reagido, mas sua arma não funcionou.
 — A polícia está só. A polícia está sozinha nessa selvajaria toda, com essas pessoas que não tem apego nenhum pela vida e matam por um celular. Precisamos da ajuda das outras instituições que compõem o conceito de segurança pública. A ponta disso tudo é a polícia, e na ponta a polícia está sozinha — disse Beltrame.

PEC reestrutura modelo de segurança e desmilitariza polícia


A PEC 51/2013, do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), reestrutura o modelo de segurança pública atual, prevendo a desmilitarização das polícias, em especial da Polícia Militar. A PEC é defendida por senadores ligados aos direitos humanos, mas não agrada os policiais. Saiba mais sobre o Projeto em Destaque: OUÇA A RÁDIO SENADO ( clique aqui )

Leia e entenda a PEC 51 que quer desmilitarizar as PMs:
http://blitzdigital.com.br/index.php/artigos/702-leia-e-entenda-a-pec-51-que-quer-desmilitarizar-as-pm-s

Polícias Militar e Civil poderão deixar de receber R$ 1,37 bilhão, a maior redução no estado


O cenário de incertezas na economia atingiu em cheio o orçamento da Segurança. Segundo um decreto do governador Luiz Fernando Pezão que, publicado nesta segunda-feira no Diário Oficial, estabelece limites para os gastos públicos, as polícias Militar e Civil tiveram R$ 1,37 bilhão de seus orçamentos congelados. Dos R$ 4,5 bilhões que eram previstos para a PM, R$ 1,2 bilhão está com repasse suspenso. O corte equivale a 26% dos investimentos que seriam destinados à corporação, que, agora, deverá receber R$ 3,3 bilhões este ano. A liberação de mais verbas dependerá da disponibilidade de recursos. Continue lendo O GLOBO

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Policial é assassinado no Recreio dos Bandeirantes


Um policial militar do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) foi morto a tiros na tarde deste domingo, na Praia dos Amores, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O soldado Alan Barros da Silva foi vítima de uma tentativa de assalto. Ele chegou a ser levado para o Hospital Lourenço Jorge, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

PM morre em tentativa de assalto em padaria de Nova Iguaçu


Um PM morreu e outro ficou ferido em uma tentativa de assalto na manhã deste domingo em uma padaria na rua Barros Júnior, no Centro de Nova Iguaçu. Ao todo, três policiais estavam no estabelecimento quando homens armados anunciaram o assalto. Pedro Gabriel Carlos Ferreira, de 23 anos, não resistiu aos ferimentos. Durante a troca de tiros, outro policial foi baleado na perna e em seguida encaminhado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. O terceiro policial militar que estava no local escapou ileso da ação dos criminosos. Segundo a polícia, um dos assaltantes também foi ferido na troca de tiros e morreu.

Polícia tenta identificar homem que realizou disparos em uma festa

No vídeo o homem, que está vestido de bombeiro, aparece em uma festa em Nova Iguaçú no Rio de Janeiro, aparece bebendo uma cerveja e ao dançar saca uma arma e atira para o alto. 

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Pacientes do Hospital Central da Polícia Militar denunciam as péssimas condições da unidade

PM expulsa 43 policiais acusados de cobrar propina de comerciantes em Bangu

A Corregedoria Interna da Polícia Militar concluiu seis procedimentos administrativos disciplinares e publicou na sexta-feira (20) , em boletim interno da corporação, a expulsão de 43 policiais militares. Eles são acusados de terem cometido os crimes de concussão e extorsão. 
A partir das investigações desencadeadas pela Operação Compadre, ficou constatado o envolvimento dos PMs na cobrança de propina a comerciantes, empresários e ambulantes na região de Bangu e Honório Gurgel, zona oeste do Rio. Segundo apuração da Corregedoria, os policiais prejudicavam o policiamento ostensivo na área do 14º BPM (Bangu), ignorando o combate ao transporte irregular de vans, kombis e mototaxistas. Submetidos a conselho de disciplina, foi verificada a existência de fortes indícios que apontam para práticas criminosas e graves transgressões disciplinares, segundo informou a PM neste sábado (21). 
A Operação Compadre foi desencadeada em 2012 e contou com a participação de agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e da Corregedoria da Polícia Militar, além do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público.

NENHUM OFICIAL FOI EXPULSO !

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

PM cancela festa de carnaval financiada pelo tráfico no Morro Serrinha

Policial da UPP Cidade de Deus morre após ser baleado na cabeça


Policial militar  da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, foi baleado na cabeça e morreu após um confronto com suspeitos na madrugada desta quarta-feira (18). Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, um grupo de suspeitos em um carro estava sendo perseguido por policiais do 18º BPM quando entraram na comunidade. No local, houve um novo confronto com policiais da UPP. O cabo Rogerio Pereira da Silva, 29 anos, trabalhava na permanência da P2 e foi baleado quando saía da base da UPP junto com outros policiais. Na ação, quatro pessoas teriam ficado feridas, entre eles uma adolescente grávida.

Vídeo mostra socorro de PM morto por traficantes na Cidade de Deus 

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Major do Bope espera 40 dias por cirurgia no Hospital Central da Polícia Militar e acaba morrendo

A família do major aposentado do Bope Ademar Aguiar Teixeira denuncia a demora para a realização de uma cirurgia cardíaca no Hospital Central da Polícia Militar. Depois de 40 dias esperando, ele chegou a ser transferido para o Instituto de Doenças do Coração, mas não resistiu e morreu.

Novos soldados da PM do Rio deverão ter curso superior


A Polícia Militar (PM) prepara uma grande reestruturação interna que modificará os critérios de ingresso na corporação. Uma das decisões é a exigência de curso superior para a admissão de novos soldados. Assim, eles poderão seguir carreira até o último posto (coronel), sem a necessidade de um novo concurso para o oficialato, como ocorre atualmente. 
A mudança na estrutura da carreira é um dos temas da reformulação, disse ao Estado o chefe do Estado Maior da PM, coronel Robson Rodrigues. Outra proposta é aumentar o controle da ação policial. Com apoio do Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), foi criado sistema de monitoramento de cada um dos cerca de 50 mil PMs, que será usado como critério para promoções e deverá ser implementado até o meio deste ano. 
Os soldados a ser admitidos passarão pelo mesmo treinamento prático dos oficiais. Os concursos serão mantidos, mas poderão ter o número de vagas alterado. Essa formação prática vai durar entre um e três anos, segundo Rodrigues. Para os praças (soldados, cabos e sargentos) que já estão na PM, será oferecida a possibilidade de formação como tecnólogos. 
A PM busca apoio de instituições de ensino para oferecer esse apoio a seus profissionais. Há conversações com a Universidade Federal Fluminense (UFF) A PM formou um grupo de 30 especialistas, treinado há um mês, para apurar “quaisquer sinais de desvio” de policias, observadas ocorrências e denúncias que chegam à corporação, disse o coronel, para quem é preciso “humanizar” a polícia. 
A reformulação integra um pacote de medidas anunciadas no começo do ano pela cúpula da segurança do Rio, como a criação do que a PM chama de companhias integradas de polícia de proximidade, voltadas para um patrulhamento comunitário, com o emprego de armas de menor calibre, por exemplo. 
O coronel afirmou que o objetivo das reformas é valorizar a meritocracia na corporação, marcada pela hierarquia. O processo de reformulação vem sendo elaborado desde 5 de janeiro, quando tomou posse a nova cúpula da PM, comandada pelo coronel Alberto Pinheiro Neto. 
Segundo Rodrigues, “há equívocos, há desvios de conduta e há erros que precisam ser analisados" no processo de pacificação. Ele admite que a situação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) é “instável”. 
Criado em 2008, o projeto das UPPS passa por questionamentos da sociedade, já que em favelas consideradas pacificadas pelo governo estadual continuam ocorrendo confrontos entre criminosos e policiais. No ano passado, 111 PMs foram assassinados no Estado. 
O Índice de Proficiência Policial documentará desvios cometidos por policiais e dados sobre sua atuação, como quantas balas disparou e o número de autos de resistência cometidos. O índice medirá a capacidade motora e a saúde física e psicológica dos PMs. Ao final, será calculada uma média. Os dados serão utilizados para promoções ou para programas de apoio a policiais.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Deputado Paulo Ramos pede CPI para investigar ligação de coordenador do Afroreggae com 'Playboy'

O deputado estadual Paulo Ramos (Psol) protocolou, nesta terça-feira, um pedido de CPI para investigar o papel do coordenador do Afroreggae, José Júnior, nas negociações para a rendição do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, o traficante mais procurado do Rio. O deputado quer, através da Comissão, apurar qual a real função de Júnior na política de Segurança Pública do Estado. O coordenador do AfroReggae, José Júnior, confirmou no domingo a participação nas negociações para uma possível rendição do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o 'Playboy', no Morro da Pedreira, em Costa Barros, Zona Norte carioca. Em sua página no Facebook, o ativista postou uma foto com 'Playboy' e admitiu que intermediou a entrevista que o bandido mais procurado do país concedeu ao jornalista Leslie Leitão, da revista ‘Veja’.
"Temos que verificar a cumplicidade, a conivência, o trânsito que tem o senhor José Júnior em várias esferas administrativas e investigar a ONG Afroreggae, pelos contatos sem licitação, que me leva à certeza de tratar-se de desvio de recursos públicos e, no mínimo asssociação confessa ao tráfico do senhor José Júnior", disse Ramos. 
"Por que ele só publicou a foto no domingo, depois de toda a repercussão? Por que não disse antes que foi ele o intermediador da entrevista? O que ele tem a esconder? Ele está autorizado a negociar rendição de traficante pelas autoridades?", completou o psolista. 
O deputado também quer saber sobre o que o coordenador do Afroreggae se referia quando citou no Facebook que havia feito contato com o Ministério Público e um delegado de polícia para tratar do caso 'Playboy'. "Eu vou pedir uma audiência com o Marfan Vieira (procurador-geral do MP) e com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, é grave essa informação passada por ele e precisa ser investigada". 
O coordenador do Afroreggae foi procurado pela reportagem do DIA Online, mas não foi encontrado para responder as acusações do deputado. 


No domingo, José Júnior postou na rede social como foi seu encontro com 'Playboy e gerou polêmica até mesmo entre seus seguidores. “Ele fez questão de focar nos erros que ele cometeu e nos seus problemas. Não sei o q vai acontecer com ele ou o q ele decidirá pra sua vida mas percebi que esse ‘veterano’ de 32 anos ta refletindo o que é melhor pro seu futuro. Eu dei a minha opinião só q a decisão é exclusivamente dele. Que venham os tempos de paz”, escreveu José Júnior. 
Segundo o ativista, Playboy teria negado todas as histórias sobre corrupção policial, levantadas na entrevista. “Duas situações me impressionaram bastante, a história de um garoto da Zona Sul trabalhador, que virou o bandido mais procurado do Brasil e a sua lealdade nas relações estabelecidas não fazendo nenhum comentário que comprometa qualquer pessoa seja criminoso, policial ou morador da favela”, escreveu. 
Parte da conversa, informou, foi registrada num vídeo, ainda não divulgado. Ao comentar o post, disse ter sido convocado para prestar depoimento na Polícia Civil. 

Coordenador cita negociação envolvendo delegado e Ministério Público 
Ao responder as críticas de uma usuária do Facebook, o líder do Afroreggae citou o envolvimento do Ministério Público e de um delegado em uma negociação. Tudo começou quando uma internauta criticou a atuação de Júnior em acordos com traficantes para uma eventual rendição. 
Escreveu ela: "Sinceramente, acho que o MP tem que chamar você e os jornalistas que fizeram a tal entrevista com este bandido a prestar depoimentos. Por que é isso o que ele é, e não é por que ele não quis citar nomes de policiais, entre outros, que ele vai virar um homem bom. Na minha opinião, você e os jornalistas deveriam responder por associação ao tráfico. Quem se junta com porcos, farelo come..." 
 E José Júnior respondeu: "O contato foi feito intermediado por um delegado junto ao MP 2 dias depois" 
Coordenador do Afroreggae citou negociação com Ministério Público e com delegado no caso Playboy 

Após a resposta, Júnior foi bombardeado por indagações questionando o motivo de o Ministério Público e um delegado de polícia saberem do encontro e ainda assim não haver a prisão de Playboy. "Pois é como foi intermediado e o cara é o mais procurado e nao houve prisão? Nao há interesse?", escreveu uma seguidora do líder do Afroreggae. 
"Já que MP e delegado estão envolvidos, as autoridades estão cientes onde ele está e nao há interesse em pegá-lo!!!! Nós como cidadãos de bem sofremos com isso todo dia bala perdida assaltos...", escreveu outra seguidora. O coordenador da ONG não voltou à rede social para esclarecer as dúvidas. O DIA Online procurou José Júnior para esclarecer o que seria a negociação, mas ele se negou a falar com a reportagem. No início da tarde de segunda-feira, o Ministério Público negou as declarações do coordenador do AfroReggae de que tinha conhecimento do encontro dele com o traficante Playboy. 

Deputado também quer investigar contratos sem licitação do Afroreggae com Prefeitura 

Paulo Ramos também quer investigar os contratos sem licitação da ONG com a prefeitura. Em reportagem publicada pelo DIA , mostrou que o AfroReggae conseguiu com a prefeitura do Rio, desde 2010, sem precisar participar de licitação, contratos que somam cerca de R$ 9,5 milhões. O motivo do grupo ser dispensado das concorrências públicas é um mistério que nem o próprio AfroReggae ou o município conseguem explicar. 

 "Eu já encontrei quatro CNPJs do Afroreggae. O que é isso? Uma franquia? Não para entender uma coisa dessa", disse Ramos. 

Para a Secretaria municipal de Cultura, que celebrou alguns dos convênios, a organização possui uma “metodologia específica” no trabalho com jovens de comunidades. Perguntada sobre o que seria essa ‘metodologia’ diferenciada, integrantes da secretaria sugeriram que a reportagem entrasse em contato com a ONG para esclarecimentos. A organização, que atua em favelas como Vigário Geral, Parada de Lucas e Complexo do Alemão foi procurada, mas preferiu não se pronunciar. 
Na Secretaria Municipal da Casa Civil, o AfroReggae conseguiu quatro convênios — também sem licitação —, entre os anos de 2010 e 2014. Os gastos com esses contratos totalizam cerca de R$ 2,7 milhões. O dinheiro foi repassado, segundo a assessoria da pasta, para dar apoio operacional à realização de atividades no Centro Cultural Waly Salomão, em Vigário Geral. E o argumento para que o grupo ganhasse a preferência em detrimento a outras ONGs é que o AfroReggae é o única com tal expertise no local.

Soldado do Bope foi baleado próximo ao Morro da Providência

Nota da PM sobre o ataque contra o carro do Bope: 
“Durante a noite desta segunda-feira, 09/02, policiais militares do BOPE trafegavam próximo a Central do Brasil, quando pararam no engarrafamento em frente ao Beco da Pedra liza, na Rua Rego Barros 97, próximo ao Morro da Providência, na Gamboa. Onde um marginal com um fuzil ao perceber a aproximação dos policiais efetuou disparos contra os agentes. Houve confronto e um policial foi ferido e socorrido ao Hospital Estadual Souza Aguiar. O marginal fugiu e a ocorrência foi encaminhada para a 4ª DP”.

Policial Militar é morto e tem corpo carbonizado em Cabo Frio


Um policial militar lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, foi morto e teve o corpo carbonizado na noite desta segunda-feira. O crime aconteceu em Cabo Frio, município da Região dos Lagos. Segundo informações, Leandro da Silva Carvalho, de 34 anos, foi reconhecido como PM quando estava numa igreja. Ele foi rendido e colocado no porta-malas de um Hyundai i30.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Coordenador do AfroReggae negocia rendição do traficante Playboy

José Júnior, se encontrou com traficante mais procurado do país e confirmou neste domingo a participação nas negociações para uma possível rendição do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o 'Playboy', no Morro da Pedreira, em Costa Barros. Em sua página no Facebook, José Júnior postou uma foto com 'Playboy' e admitiu que intermediou a entrevista que o bandido mais procurado do país concedeu ao jornalista Leslie Leitão, da revista ‘Veja’.


O Ministério Público negou as declarações do coordenador do AfroReggae de que tinha conhecimento do encontro dele com o traficante Playboy.

Leia a reportagem >>>> JORNAL O DIA

Demora no pagamento, PMs desistem do RAS

A insatisfação com o atraso no pagamento da gratificação do Regime Adicional de Serviço (RAS) de dezembro, que já dura cerca de um mês, está levando policiais militares a desmarcar as horas extras que já haviam programado. A revolta fica clara no formulário de justificativa de exclusão da escala.


Um PM não economizou na ironia: “Nem relógio trabalha de graça!”. Outro destacou a “falta de compromisso de pagamento” e disse que a tropa está deixando de gozar folgas para reforçar o policiamento. A demora no depósito gerou muita polêmica nas redes sociais. Sobrou até para o governador Luiz Fernando Pezão. Ao anunciar, na semana passada, em seu perfil no Facebook, que o RAS seria pago, foi contestado por uma internauta, que disse ter ligado para a Secretaria estadual de Fazenda e para a PM e recebido a informação de que o dinheiro ainda não tinha sido liberado.
A PM havia prometido que o dinheiro sairia na semana passada, o que não aconteceu. Na última sexta-feira, outra promessa: a Secretaria de Fazenda informou ter liberado a verba para depositar o bônus e que o dinheiro estará nas contas dos PMs na próxima terça-feira.


Armas desaparecem do Centro de Suprimento de Material da PM-RJ


Vinte e seis armas, incluindo onze fuzis, desapareceram do Centro de Suprimento de Material da Polícia Militar do Rio, na cidade de Niterói. O comandante-geral da corporação, coronel Alberto Pinheiro Neto, determinou a abertura de inquérito para apurar o caso. 
Há cerca de quatro meses, 23 pistolas calibre ponto 40 tinham sumido do Centro de Manutenção de Materiais do Batalhão de Choque da PM. Na ocasião, os policias que estavam de plantão na unidade foram presos administrativamente. O caso continua em apuração até hoje, em outro inquérito policial-militar. 

UM AMBIENTE HOSTIL: Beltrame critica ação da PM em morte de mototaxista na Vila Cruzeiro


Diego da Costa Algarves, de 22 anos, "trabalhava como mototaxista" e foi atingido nas costas durante "uma abordagem de policiais da  UPP".

COMO TRABALHAR NUM AMBIENTE HOSTIL?






SOBRE A DESATIVAÇÃO DO BLOG

A administradora do blog SOS PMERJ me autorizou continuar com as postagens, devido aos vários pedidos pela NÃO DESATIVAÇÃO DO BLOG. Afinal temos uma visitação diária de 5 a 10 mil pessoas por dia. 


REGRAS: 
Não publicarei comentários com palavrões ou ofensas



segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

PM encontrado morto na Avenida Brasil será sepultado nesta segunda-feira

A Divisão de Homicídios (DH) da capital investiga as circunstâncias da morte do policial militar Diego Lima Soares, de 28 anos. O corpo do soldado — que era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kennedy — foi encontrado em Santíssimo, na madrugada deste domingo, com dez perfurações de tiros. Ao lado, estava o cadáver de outro homem, ainda não identificado, que tinha 20 marcas de disparos. Os corpos estavam dentro de um saco preto. 
Em depoimento à DH, a viúva do policial contou que o marido saiu de casa, em Paciência, por volta das 16h30m de sábado. Ele tinha que estar na UPP às 18h. Como o carro do soldado estava enguiçado, ela não soube dizer se Diego foi para o trabalho de carona ou transporte público. A mulher afirmou ainda que desconhece qualquer desavença que possa ser a causa da morte do marido. Ainda segundo a viúva, ele não vinha recebendo nenhuma ameaça. 
 O soldado foi encontrado apenas com uma carteira com documentos, entre eles sua identidade de policial militar. A arma pessoal de Diego, com a qual ele saiu de casa, teria sido levada. O outro rapaz estava só com uma aliança. Os corpos não tinham marcas de agressões. 
Os investigadores da DH não descartam nenhuma hipótese para os assassinatos. As equipes tentam localizar câmeras de segurança que possam ter flagrado as execuções, além de testemunhas do crime. Os policiais querem também esclarecer se o policial e o outro rapaz morto se conheciam. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML), que fica pronto hoje, vai apontar, com precisão, quantos tiros cada uma das vítimas levou. As perfurações encontradas nos corpos podem ser consequência de um disparo que entrou por uma região e saiu por outra. O enterro do soldado está marcado para as 16h de hoje, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

Proposta dá poder de investigação à Polícia Militar


Tramita na Câmara dos Deputados Proposta dá poder de investigação à Polícia Militar Tramita na Câmara dos Deputados a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 431/14, de autoria do deputado licenciado Subtenente Gonzaga (PDT-MG), que amplia a competência da Polícia Militar (PM), dando-lhe atribuições de polícia judiciária, com poderes de investigação. Atualmente, conforme a Constituição Federal (art. 144), as atividades de polícia judiciária são de responsabilidade das polícias civil e federal. E, de acordo com o Código de Processo Penal (art. 4º), a polícia judiciária é um órgão da segurança do Estado que tem como principal função apurar as infrações penais e a autoria desses crimes. O texto da PEC prevê que a PM terá competência para realizar o "ciclo completo de polícia", durante a persecução (perseguição) penal, além das atribuições de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública, já definidas pela Constituição. Após esse ciclo, que poderá envolver trabalhos de inteligência, os resultados deverão ser entregues ao Ministério Público. 

Modelo exportado 
Segundo Subtenente Gonzaga, esse é o moderno modelo adotado por outros países. "Defendemos que o Brasil adote o que o mundo inteiro já adotou: a competência para que todas as polícias realizem o 'ciclo completo de polícia', ou seja, aquela investigação que ele [órgão policial] iniciou possa ser levada ao Ministério Público e ao Poder Judiciário", diz. "A sociedade merece uma segurança pública de maior qualidade e o Estado brasileiro tem condições de dar isso, desde que adote medidas", acrescenta Gonzaga. A persecução criminal, a que o projeto se refere, é o procedimento que abrange duas fases: a investigação criminal e o processo penal. Hoje, na investigação, o meio mais comum para colher informações é o inquérito policial, procedimento administrativo que poderá contribuir para o início da ação penal. 
Já o processo penal é o procedimento principal, de caráter jurisdicional, que termina com um trâmite judicial que resolve se o cidadão acusado deverá ser condenado ou absolvido. 
A última vez que o artigo da Constituição (art. 144) que define os órgãos de segurança pública foi modificado aconteceu com a aprovação da Emenda 82, que deu caráter constitucional à competência de órgãos e agentes de trânsito. 

Tramitação 
A proposta, que tramita apensada à PEC 423/14, terá a admissibilidade examinada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Se aprovada, será analisada por uma comissão especial a ser criada especificamente para esse fim. Depois, seguirá para o Plenário, onde precisará ser votada em dois turnos.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Depois da bronca, Beltrame saiu de fininho.

Beltrame é cobrado no enterro do policial militar Miguez .
"O culpado disso talvez seja o senhor. O culpado disso que nós estamos passando hoje, que a minha filha está passando, o senhor é culpado. Você sabe a dor da minha filha?", desabafou a sogra de Miguez, cara a cara com Beltrame e de  oficiais da PM




Policial militar é encontrado morto em Campo Grande

Um policial do 14º BPM (Bangu) identificado como Diego Soares foi encontrado morto, com marcas de tiros, no início da madrugada deste domingo, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Ao lado, estava o corpo de um outro homem, ainda não identificado. De acordo com informações da Divisão de Homicídios (DH), os corpos foram encontrados dentro de um saco preto. Ainda não há informações sobre as circunstâncias do crime. A polícia abriu inquérito para apurar o caso, e ainda não se sabe se o PM é de alguma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).