sexta-feira, 11 de março de 2016

MORADORES SE UNEM NO PARANÁ PARA COMPRAR FUZIS PARA A POLÍCIA

Moradores de Ivaiporã, no norte do Paraná, juntaram dinheiro para comprar fuzis para a Polícia Militar (PM) e para a Polícia Civil. Eles levantaram R$ 50 mil para aquisição do armamento, que será doado aos policiais.

A iniciativa foi liderada pelo Conselho de Segurança Municipal (Conseg) e do Conselho Municipal Antidrogas. Segundo ambos, as armas são feitas sob encomenda e devem ser entregues em abril.

De acordo com o presidente do Conseg de Ivaiporã, Jair Burato, a onda de assaltos a bancos e a notável falta de equipamentos na polícia, segundo ele, foram motivos para a compra.

“As armas atuais utilizadas pelos policiais não são compatíveis com as usadas pelas quadrilhas que assaltam bancos e explodem caixas eletrônicos que têm agido na região”, afirma Burato.

Os fuzis encomendados são de calibre 5.56 milímetros, fabricados na Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel), usados pelo Exército Brasileiro. Cada um deles custa, em média, R$ 8 mil.

É um espanto! Não a medida desses moradores, que é louvável, mas sim o estágio em que as coisas chegaram em nosso país, após décadas de esquerdismo. O governo, cuja função precípua é justamente garantir a ordem e proteger a propriedade privada, não tem dinheiro nem para equipar decentemente os agentes da lei, pois gasta rios de dinheiro em outras coisas, como nos programas “sociais”, sem falar de corrupção, empreguismo etc.

Enquanto isso, o governo federal, que fica com cerca de 70% da arrecadação total de tributos, nada faz para impedir a entrada de armamento pesado no país, sendo que fiscalizar as fronteiras deve ser uma de suas atribuições básicas. Claro, o governo federal também está muito mais preocupado com a “justiça social”, além do petrolão, mensalão etc. Sem falar que a esquerda faz campanha para desmoralizar a polícia, acusada de “fascista” o tempo todo.

Resultado: faltam recursos para os governos estaduais investirem em segurança decente, mesmo num país cujo governo já arrecada 40% do PIB em impostos, enquanto os bandidos possuem armamento pesado militar e ainda são protegidos pela ideologia de esquerda, como se fossem “vítimas da sociedade”. E, para piorar a situação, o governo desarma a população civil ordeira, transformando todos em vítimas fáceis dos marginais, em cordeirinhos incapazes de reagir. Está tudo errado!

O povo de Ivaiporã faz bem em armar melhor seus policiais, claro. São os indivíduos cansados da inoperância do estado. Mas isso deveria ser obrigação do governo. Que corte outros gastos desnecessários, pois segurança é prioridade. Investir na polícia, em seu bom treinamento e equipamentos decentes, deveria ser uma das metas prioritárias do todo governo. Mas, em nosso estranho país, o governo federal prefere repassar verbas para os bandidos, como no caso do MST.

Não é fácil ser brasileiro…

Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário