segunda-feira, 11 de abril de 2016

DIGA NÃO AO PL 257

Barrar o PL 257 e garantir serviço público de qualidade


O povo brasileiro precisa ficar atento. Está tramitando na Câmara dos Deputados o PL 257, que sob o pretexto de renegociar as dívidas dos estados e municípios, faz ataques terríveis ao serviço público, à população e aos servidores. O PL 257 é uma iniciativa do governo federal, negociado pela presidente Dilma com 16 governadores.
A Intersindical conclama a todos/as que busquemos construir lutas unitárias para derrubar esse projeto tão nocivo ao País, que propõe: arrocho e congelamento de salário ao funcionalismo, privatização de empresas estatais, fim da política de valorização do salário mínimo, ampliação da terceirização e inclusão desses na rubrica dos “gastos com pessoal”, proibição de concursos e novas contratações, PDVs, aumento da contribuição previdenciária aos servidores, nova LRF. Ou seja, o PL promoverá uma profunda precarização dos serviços públicos, inaceitável num país desigual como o Brasil.
É fundamental que as entidades sindicais e populares preparem grandes mobilizações. Nessa semana, muitos sindicatos estão em Brasília para pressionar os deputados a não votarem o nefasto PL 257. Nos próximos dias, essa movimentação de trabalhadores/as no Congresso é muito importante.
O projeto é amplo e seus impactos negativos são incalculáveis na vida do povo brasileiro.
“Para isso, é fundamental nesse momento que o conjunto do funcionalismo federal, estadual e municipal acertem um calendário unificado de mobilizações, paralisações, greves e manifestações. A Fasubra tirou fazer atos nos estados no dia 14/04. Outros setores do funcionalismo federal também. Isso um passo importante, mas para derrotar o projeto é necessário unir todo mundo”, alerta Bernadete Menezes, Secretária de Defesa do Serviço Público da Intersindical.
“É necessário que as centrais sindicais se unam em torno da derrubada desse projeto. Somos contrários ao golpe da direita e vamos combate-lo. Mas somos, na mesma medida, contrários ao ajuste fiscal que ganha agora com o PL 257 um novo patamar nos ataques”, lembra Amauri Soares, Secretário de Formação Sindical da Central.
Nesse dia 05/04, centenas de trabalhadores, principalmente da segurança pública percorreram os gabinetes dos deputados, pressionaram os parlamentares e exigiram a retirada do projeto. Companheiros/as do Sinpol Pernambuco, do Sindsaúde e da Aprasc Santa Catarina, entre outras entidades, já estão em Brasília pressionando a Câmara dos Deputados para arquivar o nefasto projeto.   
“A Intersindical Central da Classe Trabalhadora não é dada a fazer chamados aos outros setores. Preferimos, sempre, buscar o diálogo e a construção coletiva. Mas com a urgência e gravidade da situação, nos dirigimos ao conjunto das centrais sindicais e demais entidades sindicais e populares para que busquemos construir um calendário unitário, envolvendo todos os níveis do serviço público, mas também dialogando com o conjunto das categoriais e a população trabalhadora em geral. O projeto é muito ruim para a maioria do povo brasileiro”, lembra Edson Carneiro Índio, Secretário Geral da Intersindical.

2 comentários:

  1. Dilma Rousseff desvaloriza os servidores públicos, pois nunca trabalhou na vida!

    ResponderExcluir
  2. Êxodo 22:2 Lei acerca da proteção da propriedade
    Dez interpretações para melhor compreender as Escrituras
    1. 2 (Bíblia hebraica) Se acharem um ladrão invadindo uma casa, e ele for ferido e morrer, quem o feriu não será culpado de sangue.

    2. 2 (Bíblia Torá) Se minando a casa for achado o ladrão, e for ferido e morrer, não será culpado de sangue quem o ferir.

    3. 2 (Bíblia judaica) Se um ladrão for pego enquanto arrombava uma casa e for ferido e morrer, não se trata de assassinato,

    4. 2 (Bíblia NVI) Se o ladrão que for pego arrombando for ferido e morrer, quem o feriu não será culpado de homicídio,

    5. 2 (Bíblia católica) Se um ladrão for surpreendido a arrombar uma casa, for ferido e morrer, não existe homicídio culposo.

    6. 2 (Bíblia CNBB) ( Se um ladrão for surpreendido arrombando uma casa e for mortalmente ferido, não haverá por ele vingança de sangue.

    7. 2 (Bíblia RA) Se um ladrão for achado arrombando uma casa e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue.

    8. 2 (Bíblia NTLH) (2-4) Quem roubou deverá pagar por aquilo que roubou. Se não tiver com que pagar, então deverá ser vendido como escravo para pagar por aquilo que roubou. Se o animal roubado, seja boi, jumento ou ovelha, for encontrado vivo com a pessoa que o roubou, ela pagará dois por um. Se um ladrão for apanhado roubando de noite uma casa e for morto, quem o matar não será culpado pela morte do ladrão. Mas, se isso acontecer durante o dia, ele será culpado de assassinato.

    9. 2 (Bíblia RC) Se o ladrão for achado a minar, e for ferido, e morrer, o que o feriu não será culpado do sangue.

    10. 2 (Bíblia TB) Se o ladrão for achado minando uma casa, e for ferido de modo que morra, o que o feriu não será réu de sangue.

    ResponderExcluir