terça-feira, 21 de junho de 2016

Atendimento médico de presos apenas em hospitais penitenciários

O secretário estadual de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, quer apresentar ao governo fluminense uma proposta para que presos tenham o atendimento médico feito apenas em hospitais penitenciários. A ideia foi apresentada durante reunião do Gabinete de Gestão de Crise, realizada neste domingo (19) para discutir o resgate de Nicolas Labre Pereira de Jesus, conhecido como Fat Family, por homens armados dentro do Hospital Souza Aguiar.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança, a proposta foi debatida pelos participantes do encontro e ficou de ser levada para discussão com outro representantes do governo estadual. Responsável pelo Hospital Municipal Souza Aguiar, onde ocorreu no domingo, a Secretaria Municipal de Saúde preferiu não se posicionar por ainda não ter sido comunicada sobre uma possível mudança ou de uma reunião para estudar a troca, mas se colocou à disposição para ouvir as ideias do secretário.

O sistema penitenciário fluminense tem dois hospitais penais, a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Dr. Hamilton Agostinho Vieira de Castro, em Bangu, zona oeste do Rio, e o Hospital Penal de Niterói. Além disso, há o Hospital Psiquiátrico Roberto Medeiros, em Bangu.

Quanto às informações de que os policiais já sabiam que haveria uma tentativa de resgate do criminoso, a Secretaria Estadual de Segurança afirmou que “todo o fluxo de informações funcionou”. Segundo o órgão, na noite de quinta-feira (16), os primeiros informes chegaram à Coordenadoria de Comunicações e Operações Policiais da Polícia Civil (Cecopol), aos setores de Inteligência da secretaria e das polícias. A comunicação foi imediatamente repassada ao setor operacional responsável, o 5º Batalhão de Polícia Militar da Praça da Harmonia, para as devidas providências.

Questionada sobre isso e por qual motivo não aumentou o número de policiais, a Polícia Militar apenas disse que havia reforçado o local com quatro militares, mas que, ainda no pátio externo, os criminosos renderam um ambulante e o fizeram refém.

O grupo estava armado de fuzis, pistola e explosivos. Um artefato foi arremessado contra a viatura policial e, no momento da chegada dos criminosos, um soldado do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) que estava socorrendo um amigo também foi atacado. Os dois foram feridos e o amigo do policial morreu.

Posteriormente, os criminosos renderam e fizeram uma funcionária refém e a obrigaram a mostrar onde estava Fat Family. Ele teve sua algema cortada por um alicate, que foi abandonado no local. Após a saída do grupo de criminosos, policiais militares do 5º Batalhão fizeram varredura por todo o hospital e áreas próximas, para verificar se havia algum criminoso.

A polícia também informou que está fazendo operações na região metropolitana do Rio para tentar os prender criminosos que participaram do resgate de Fat Family. A polícia pede que quem tiver informações sobre os suspeitos ligue para o Disque-Denúncia, no telefone (21) 2253-1177 ou 190.

Agência Brasil

5 comentários:

  1. GANHA-SE MUITO POUCO PARA ARRISCAR A VIDA VESTINDO A FARDA DA POLÍCIA MILITAR NO RIO DE JANEIRO

    Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Seu salário supria todas as suas necessidades vitais básicas, previstas no Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal, ou seja, estava acima do Salário Mínimo Necessário estimado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos ("despesas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência"), que corresponde a R$ 3.795,24.

    Soldado da PMERJ recebe um salário bruto de apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: O salário bruto do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário, o que demonstra o DESCASO do Governo do Estado do Rio de Janeiro com profissionais que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à sociedade fluminense. Com os descontos do Imposto de Renda e do Rio Previdência o salário fica ainda mais defasado. É deprimente, impossível não haver esse quadro de desmotivação dos Policiais Militares! Um Soldado da PMCE, que também não ganha bem, tem salário inicial de R$ 3.135,08.

    Como e quando a sociedade fluminense irá ter um bom aparato policial-militar com o salário de fome que os Policiais Militares recebem? Um Policial Militar, a nível de Soldado iniciante, tinha que ter um salário líquido de no mínimo R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais. Não sei como ainda tem gente disposta a ser Policial Militar com o salário de fome que o Governo do Estado do Rio de Janeiro paga. Se pagassem bem, a PMERJ poderia exigir Nível Superior completo para Soldado e Bacharelado em Direito para Oficial.

    ResponderExcluir
  2. Isenções Fiscais de mais de R$ 138,6 bilhões pagariam Servidores do Estado por mais de cinco anos!

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa cancelar as ISENÇÕES FISCAIS DE R$ 138.619.218.639,09 (CENTO E TRINTA E OITO BILHÕES, SEISCENTOS E DEZENOVE MILHÕES, DUZENTOS E DEZOITO MIL, SEISCENTOS E TRINTA E NOVE REAIS E NOVE CENTAVOS) CONCEDIDAS A DIVERSAS EMPRESAS para poder cumprir as suas obrigações, ou seja, pagar seus servidores em dia!

    Outra coisa, os reajustes salariais são obrigatórios, conforme determina o Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo..."). O Salário Mínimo Necessário, de acordo com o referido dispositivo constitucional, é de R$ 3.795,24, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O cálculo é feito mensalmente desde 1994 pelo DIEESE com base em valores da cesta básica. Um Soldado da PMERJ ganha apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: Salário do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário. Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Isso explica o quadro de desmotivação dos Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  3. gente se preparem para o pior! greve das polícias e. bombeiros e servidores públicos do rio de janeiro dia 27.06 não saiam as ruas! a cidade estará sitiada por bandidos e oportunistas! irão destruir tudo. avisem suas famílias sobre o perigo que podem sofrer com a falta de segurança nesse dia. as greve começa as 6 h da manhã do dia 27. espalhem. a notícia para alertar a todos.

    ResponderExcluir
  4. A MATANÇA DE POLICIAIS MILITARES NA GESTÃO BELTRAME
    https://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2016/06/a-matanca-de-policiais-militares-na.html

    Sete policiais são baleados em 15 horas no Rio. Três morreram!

    ResponderExcluir
  5. Alguém sabe se haverá ainda mais publicação no BOL das emissão de CRAF pela PMERJ, pq o meu tem mais de um ano e nada até agora.

    ResponderExcluir